42 resultados em português
O novo remédio químico inventado por Paracelso
Al-Tibb al-al-kīmiyā'ī Jadīd alladhī ikhtara'ahu Barākalsūs (A nova medicina química inventada por Paracelso) é um compêndio árabe de obras alquímicas do início da Europa moderna escrito por Salih ibn Nasrallah al-Halabi ibn Sallum (falecido em 1671). Ibn Sallum era um notável médico em Aleppo e mais tarde médico-chefe na capital otomana de Istambul. A obra de Ibn Sallum trata de iatroquímica e consiste de traduções de Philippus Aureolus Theophrastus Bombastus von Hohenheim, conhecido como Paracelso (de 1493 a 1541), um alquimista, médico e reformador da medicina, e de ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
As maravilhas da criação
ʻAjāʼib al-makhlūqāt wa-gharāʼib al-mawjūdāt (As maravilhas da criação, ou literalmente, Maravilhas das coisas criadas e aspectos surpreendentes das coisas existentes), de Zakriya ibn Muhammad al-Qazwini (por volta de 1203 a 1283), é um dos textos mais conhecidos do mundo islâmico, muitas vezes referido como “A cosmografia”. A obra começa com uma introdução e é seguida por duas seções, a primeira sobre o supraterrestre, e a segunda sobre as criaturas terrestres. Al-Qazwini conclui com uma seção sobre monstros e anjos. O gênero de Aja’ib al-makhluqat (As maravilhas da criação), do ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
Recuperação de doenças e remédio para dores
O nome completo do autor de Shifāʼ al-asqām wa dawāʼ al-ālām (Recuperação de doenças e remédio para dores), é Khidr ibn ʻAli ibn Marwan ibnʿAli ibn Husam al-Din, originalmente chamado de al-Qunawi, também conhecido como Hajji Pasha al-Aidini e al-Misri, identificando, portanto, sua proveniência de Konya, Turquia. Em sua introdução ao Shifāʼ al-asqām wa dawāʼ al-ālām,o autor descreve a sua prolongada estadia no Egito, onde exerceu a profissão de médico no célebre hospital Maristan al-Mansuri, bem como em outros, assim confirmando o nome al-Misri (o Egípcio). Ele também se ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
Dicas na ciência da interpretação dos sonhos
Ghars al-Din Khalil Ibn Shahin al-Zahiri nasceu em 1410 ou 1411, provavelmente em Jerusalém (ou talvez Cairo). Seu pai era um mameluco do primeiro sultão Burji (al-Malik al-Zahir) Sayf al-Din Barquq, de quem o nisba (nome que indica proveniência) al-Zahiri se deriva. Ghars al-Din Khalil estudou no Cairo e, debaixo do governo dos sultões mamelucos Barsbay e Jaqmaq, alcançou uma notável carreira como administrador, servindo no Cairo (como vizir), bem como em Alexandria, Karak, Safed e Aleppo (como nazir, ou supervisor). Al-Ishārāt fī ʻilm al-ʻibārāt(Dicas na ciência da interpretação ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
Comentário sobre o pequeno cânone
O Qānūnjah (também conhecido por seu nome persa, o Qānūncha), um livro médico de Mahmud ibn Muhammad al-Jaghmini, foi escrito no final do século XII ou início do século XIII e, conforme indicado pelo nome, foi inspirado pela obra enciclopédica de Avicena, al-Qānūn fī al-ibb (O cânone da medicina). A obra de Al-Jaghmini era em si mesma o assunto de grande interesse e, por sua vez, inspirou muitos comentários. O presente comentário sobre o Qānūnjah foi escrito por ʻAli ibn Kamal al-Din al-Astarabadi durante o reinado do ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
A claridade da explicação e os mistérios da prova no entendimento dos paradigmas da ciência de pesos e medidas. Parte Um
Este manuscrito consiste na primeira parte de Anwār al-bayān wa asrār al-burhān fī fahm awzān ʻilm al-mīzān (A claridade da explicação e os mistérios da prova no entendimento dos paradigmas da ciência de pesos e medidas). Foi escrito pelo alquimista persa Aidamur ibn ʻAli ibn Aidamur al-Jaldaki (também visto como al-Gildaki, falecido por volta de 1342). O nome do autor indica que ele nasceu em Jaldak, no atual Afeganistão. Durante 17 anos al-Jaldaki viajou para Iraque, Ásia Menor, África Ocidental, Egito, Iêmen, Hejaz e Síria. O relato dessas viagens aparece ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
A ciência da fisiognomia para efeitos de gestão
Shams al-Din Muhammad ibn Abi Talib al-Sufi al-Ansari al-Dimashqi (de 1256 ou 1257 a 1327), foi um escritor islâmico que escreveu sobre diversos temas diferentes, de culinária a teologia. Ele era conhecido como xeique de Hattin e, mais tarde, como xeique de al-Rabwa (em referência a duas aldeias de Levante onde serviu como xeique sufi). Sua fama é maior por causa da obra cosmográfica Nukhbat al-dahr fī ajāʿib al barr wa al-bar (A escolha da idade, sobre as maravilhas da terra e do mar), uma ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
Definições de doenças
Muhammad Akbar, comumente chamado de ʻUrf Muhammad Arzani, que morreu em Deli, em Rabiʻ al-Thani de 1134 A.H. (janeiro-fevereiro de 1722), é autor de inúmeros textos médicos em persa e árabe. Ele esteve ativo na Índia Mogol, embora parece ter recebido parte de sua formação médica em Shiraz na Pérsia. Ḥudūd al-Amrāḍ (Definições de doenças), consiste de uma lista alfabética de doenças médicas com suas definições. Os termos médicos estão principalmente em árabe, mas incluem uma boa quantidade em latim e grego (por ex.: mania, melancolia e um ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
Capsula Eburnea: epístola do túmulo de Hipócrates
Esta breve obra consiste numa coleção de 25 máximas atribuídas a Hipócrates (por volta de 460 a aproximadamente 377 a.C.). As máximas tratam exclusivamente do prognóstico de pacientes doentes em fase terminal. A forma padrão das máximas consiste num sintoma, seguido pelo tempo (em dias), até a morte do paciente, acompanhada por um sintoma secundário confirmando o caso. A 14ª máxima, por exemplo, afirma: “Se atrás da orelha esquerda aparecer uma pústula preta, então o paciente morrerá em 24 dias, contados a partir do início da doença, e o ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
O novo remédio químico inventado por Paracelso
Al-Tibb al-al-kīmiyā'ī Jadīd alladhī ikhtara'ahu Barākalsūs (A nova medicina química inventada por Paracelso) é um compêndio árabe de obras alquímicas do início da Europa moderna escrito por Salih ibn Nasrallah al-Halabi ibn Sallum (falecido em 1671). Ibn Sallum era um notável médico em Aleppo e mais tarde médico-chefe na capital otomana de Istambul. A obra de Ibn Sallum trata de iatroquímica e consiste de traduções de Philippus Aureolus Theophrastus Bombastus von Hohenheim, conhecido como Paracelso (de 1493 a 1541), um alquimista, médico e reformador da medicina, e de ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
Livro de recuperação instantânea
Kitāb burʼ al-sāʻa (Livro de recuperação instantânea), é um curto tratado médico escrito pelo famoso cientista e médico islâmico Abu Bakr Muhammad ibn Zakariya Razi (falecido por volta de 925). A obra consiste em 24 seções curtas, que listam remédios para afecções comuns. A obra inclui seções sobre al-udāʻ (dores de cabeça), wajʻ al-asnān (dor de dente), e al-iʻyā wa al-taʻab (fadiga). O colofão lista o nome do escriba como Ghulam Muhammad Pursururi e a data de conclusão do manuscrito em 17 de Dhu Qa’da de 1173 ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
Cura rápida
Sadr al-Din Ali al-Gilani al-Hindi (falecido em 10 de abril de 1609), foi um renomado médico do século XVI. Seu tio era médico e talvez tenha sido o primeiro professor de Sadr al-Din. Sadr al-Din concluiu seus estudos na Pérsia (provavelmente na sua região natal, Gilan), e depois emigrou para a Índia e a corte de Akbar I (no poder de 1556 a 1605). Aqui apresentamos um manuscrito do século XVIII de al-Shifā’ al-ʻājil (Cura rápida), de Sadr al-Din. Na introdução, o autor afirma que compôs esta obra em resposta ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
O pequeno cânone (sobre medicina)
O título do texto médico de Mahmud ibn ʻUmar al-Jaghmini, o Qānūncha, (Ou Qānūnja em árabe), é uma referência à obra original de Avicena sobre a medicina, al-Qānūn (O cânone). O sufixo -cha é um diminutivo em persa, por isso o título da obra de al-Jaghmini pode ser traduzido como “O pequeno cânone”. O Qānūncha é escrito em dez capítulos: 1 – al-Umūr al-ṭabiʻiya (Sobre filosofia natural); 2 – al-Tashriḥ (Sobre anatomia); 3 – Aḥwāl badan al-insān (Sobre os estados do corpo humano), 4 – al-Nabḍ (Sobre o pulso); 5 – Tadbir al-aṣḥḥā’ wa ‘alāj ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
O cânone da medicina
Abu ʻAli al-Husayn Ibn Sina nasceu em Bucara (atual Uzbequistão) em 980 e faleceu em Hamadan (atual Irã) em 1037. Um dos notáveis intelectuais do mundo medieval, conhecido no Ocidente latino como Avicena, este polímata persa era frequentemente mencionado por autores muçulmanos como al-Shaykh al-Raʼīs (o proeminente estudioso), reconhecimento de seu status como um dos sábios mais importantes do mundo islâmico. Prolífico autor, Ibn Sina escreveu sobre tópicos bem diversos, como metafísica, teologia, medicina, psicologia, geociências, física, astronomia, astrologia e química. Na Europa sua fama se dá principalmente por esta ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
Comentário sobre o epítome de Ibn al-Nafis
Sharḥ Mūjiz ibn al-Nafīs (Comentário sobre o epítome de Ibn al-Nafis), também conhecido como al-Mughnī (O suficiente), escrito por Sadid al-Din ibn Mas’ud Kazaruni (falecido em 1357), é um conhecido texto médico do século XIV. A obra é também uma maravilhosa ilustração da tradição de comentar no mundo islâmico: Sharḥ Mūjiz ibn al-Nafīs consiste no comentário de Sadid al-Din sobre al-Mūjiz de Ibn al-Nafis (por volta de 1210 a 1288). Al-Mūjiz, por sua vez, foi a síntese ou resumo escrito por Ibn al-Nafis sobre seu próprio comentário do al-Qānūn ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
O cânone da medicina
Abu ʻAli al-Husayn Ibn Sina nasceu em Bucara (atual Uzbequistão) em 980 e faleceu em Hamadan (atual Irã) em 1037. Um dos notáveis intelectuais do mundo medieval, conhecido no Ocidente latino como Avicena, este polímata persa era frequentemente mencionado por autores muçulmanos como al-Shaykh al-Raʼīs (o proeminente estudioso), reconhecimento de seu status como um dos sábios mais importantes do mundo islâmico. Prolífico autor, Ibn Sina escreveu sobre tópicos bem diversos, como metafísica, teologia, medicina, psicologia, geociências, física, astronomia, astrologia e química. Na Europa sua fama se dá principalmente por esta ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
O cânone da medicina
Abu ʻAli al-Husayn Ibn Sina nasceu em Bucara (atual Uzbequistão) em 980 e faleceu em Hamadan (atual Irã) em 1037. Um dos notáveis intelectuais do mundo medieval, conhecido no Ocidente latino como Avicena, este polímata persa era frequentemente mencionado por autores muçulmanos como al-Shaykh al-Raʼīs (o proeminente estudioso), reconhecimento de seu status como um dos sábios mais importantes do mundo islâmico. Prolífico autor, Ibn Sina escreveu sobre tópicos bem diversos, como metafísica, teologia, medicina, psicologia, geociências, física, astronomia, astrologia e química. Na Europa sua fama se dá principalmente por esta ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
Terapêutica para Glauco de Galeno
Kitāb Jālinus ’ilā Ghlūqun (Terapêutica para Glauco de Galeno) do célebre tradutor e estudioso Hunayn ibn Ishaq al-ʻIbadi (por volta de 809 a 873) consiste em dois tratados do médico grego Galeno (Jalinus em árabe, por volta de 131 a 201). Husayn explica que os médicos gregos da grande escola de medicina em Alexandria classificaram as obras de Galeno em várias categorias para os alunos. A primeira categoria incluía quatro livros como obras introdutórias à medicina: 1º, um tratado sobre seitas médicas; 2º, uma pequena obra sobre a ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
O cânone da medicina
Abu ʻAli al-Husayn Ibn Sina nasceu em Bucara (atual Uzbequistão) em 980 e faleceu em Hamadan (atual Irã) em 1037. Um dos notáveis intelectuais do mundo medieval, conhecido no Ocidente latino como Avicena, este polímata persa era frequentemente mencionado por autores muçulmanos como al-Shaykh al-Raʼīs (o proeminente estudioso), reconhecimento de seu status como um dos sábios mais importantes do mundo islâmico. Prolífico autor, Ibn Sina escreveu sobre tópicos bem diversos, como metafísica, teologia, medicina, psicologia, geociências, física, astronomia, astrologia e química. Na Europa sua fama se dá principalmente por esta ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
Uma epístola sobre colite
Abu ʻAli al-Husayn Ibn Sina nasceu em Bucara (atual Uzbequistão) em 980 e faleceu em Hamadan (atual Irã) em 1037. Um dos notáveis intelectuais do mundo medieval, conhecido no Ocidente latino como Avicena, este polímata persa era frequentemente referido por autores muçulmanos como al-Shaykh al-Raʼīs (o proeminente estudioso), reconhecimento de seu status como um dos sábios mais importantes do mundo islâmico. Prolífico autor, Ibn Sina escreveu sobre tópicos bem diversos, como metafísica, teologia, medicina, psicologia, geociências, física, astronomia, astrologia e química. Na Europa sua fama se dá principalmente por ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
Tabulação de medicamentos
O nome completo do autor de Taqwīm al-adwiyah (Tabulação de medicamentos) é apresentado numa obra de Ismaʻil Basha al-Babani (falecido em 1920), Īḍāḥ al-maknūn (Esclarecimento do oculto), como Fakhr al-Din Muhammad ibn ʻAli ibn Abu al-Nasr al-Nisaburi,“e posteriormente” como al-Asfara’ini. Pouco se sabe da vida de Fakhr al-Din, mas acredita-se que ele tenha prosperado no século XIV. Ambas as atribuições a Neyshabur e a Esfarayen indicam que ele viveu e trabalhou em Coração, no leste da Pérsia. Fakhr al-Din é conhecido ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
Esmeralda verde e rubi vermelho
ʻAbd al-ʻAziz ibn Ahmad Qurashi foi um prolífico autor indiano do início do século XIX que compôs obras sobre a exegese corânica, o hadith e a medicina. Zumurrud akhḍar wa yāqūt aḥmar (Esmeralda verde e rubi vermelho) é uma das obras médicas de ʻAbd al-ʻAziz. O autor começa com aflições do cérebro e terapias relacionadas. Depois fala sobre aflições dos olhos, das orelhas e dos órgãos do corpo, antes de concluir com uma discussão de várias febres e dos remédios associados. Em sua introdução, ʻAbd al-ʻAziz louva Hipócrates e Galeno ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
O cânone da medicina
Abu ʻAli al-Husayn Ibn Sina nasceu em Bucara (atual Uzbequistão) em 980 e faleceu em Hamadan (atual Irã) em 1037. Um dos notáveis intelectuais do mundo medieval, conhecido no Ocidente latino como Avicena, este polímata persa era frequentemente mencionado por autores muçulmanos como al-Shaykh al-Raʼīs (o proeminente estudioso), reconhecimento de seu status como um dos sábios mais importantes do mundo islâmico. Prolífico autor, Ibn Sina escreveu sobre tópicos bem diversos, como metafísica, teologia, medicina, psicologia, geociências, física, astronomia, astrologia e química. Na Europa sua fama se dá principalmente por esta ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
Poema sobre as causas e os sintomas da febre
Embora o colofão desta cópia manuscrita de al-Urjūzah fī asbāb al-ḥumīyāt wa ’alāmātihā (Poema sobre as causas e os sintomas da febre) apresente como autor Abu ʻAli Husayn Ibn Sina (nascido em Bucara em 980, falecido em Hamadan em 1037; conhecido no Ocidente latino como Avicena), a verdadeira autoria permanece incerta. Em diversos casos a citação de obras médicas de Ibn Sina é duvidosa, já que muitas dessas obras comumente atribuídas ao polímata persa ainda precisam ser estudadas e autenticadas como de sua autoria. Ibn Sina foi chamado por seus ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
A nova medicina química inventada por Paracelso
Al-Tibb al-al-kīmiyā'ī Jadīd alladhī ikhtara'ahu Barākalsūs (A nova medicina química inventada por Paracelso) é um compêndio árabe de obras alquímicas do início da Europa moderna escrito por Salih ibn Nasrallah al-Halabi ibn Sallum (falecido em 1671). Ibn Sallum era um notável médico em Aleppo e mais tarde médico-chefe na capital otomana de Istambul. A obra de Ibn Sallum trata de iatroquímica e consiste de traduções de Philippus Aureolus Theophrastus Bombastus von Hohenheim, conhecido como Paracelso (de 1493 a 1541), um alquimista, médico e reformador da medicina, e de ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
Compêndio que visa à preservação da saúde e ao afastamento de doenças
Esta obra é uma cópia manuscrita de Jāmi‘ al-gharaḍ fī ḥifẓ al-ṣiḥḥah wa-daf‘ al-maraḍ (Compêndio que visa à preservação da saúde e ao afastamento de doenças) do médico sírio Abu al-Faraj ibn Ya‘qub Ibn al-Quff (de 1233 a 1286). A obra consiste em 60 capítulos sobre diversos temas relacionados à saúde e à higiene. Os títulos dos capítulos incluem kalām kullī fī ḥifẓ al-ṣiḥḥah (Observações gerais sobre a preservação da saúde), fī ḥifẓ ṣiḥḥat al-hublā (Sobre ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
O livro da elegância na ciência da agricultura
‘Abd al-Ghani ibn Isma’il al-Nabulusi (de 1641 a 1731, de 1050 a 1143 A.H.) foi um influente escritor sírio cujo corpus de pelo menos 150 obras conhecidas trata principalmente de questões místicas e outros assuntos teológicos. Depois de perder o pai durante sua juventude, al-Nabulusi desenvolveu um interesse no misticismo e entrou para as ordens sufi Naqshbandi e Qadiriyya. Residindo perto da grande mesquita omíada em Damasco, al-Nabulusi parece ter estudado a fundo durante longos períodos as obras de Ibn al-‘Arabi e outros escritores místicos, indiferente aos ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
Recuperação de doenças e remédio para dores
O nome completo do autor de Shifāʼ al-asqām wa dawāʼ al-ālām (Recuperação de doenças e remédio para dores), é Khidr ibn ʻAli ibn Marwan ibnʿAli ibn Husam al-Din, originalmente chamado de al-Qunawi, também conhecido como Hajji Pasha al-Aidini e al-Misri, identificando, portanto, sua proveniência de Konya, Turquia. Em sua introdução ao Shifāʼ al-asqām wa dawāʼ al-ālām, o autor descreve a sua prolongada estadia no Egito, onde exerceu a profissão de médico no célebre hospital Maristan al-Mansuri, bem como em outros, assim confirmando o nome al-Misri (o Egípcio). Ele também se ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
Coleção de remédios medicinais bem testados
O gênero demujarrabat é formado por conjuntos de estudos de casos médicos, incluindo soluções médicas testadas de utilidade comprovada no tratamento das doenças listadas. Manuais terapêuticos desse tipo não descrevem a natureza e a causa das doenças em si, mas se concentram nos sintomas e no remédio, talvez refletindo a natureza da obra como um manual de referência para o clínico. De acordo com a introdução de Jirāb al-mujarrabāt (Coleção de remédios medicinais bem testados), esta obra é uma compilação de estudos de ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
O Cânone da Medicina
Abu ʻAli al-Husayn Ibn Sina nasceu em Bucara (atual Uzbequistão) em 980 e faleceu em Hamadan (atual Irã) em 1037. Um dos notáveis intelectuais do mundo medieval, conhecido no Ocidente latino como Avicena, este polímata persa era frequentemente mencionado por autores muçulmanos como al-Shaykh al-Raʼīs (o proeminente estudioso), reconhecimento de seu status como um dos sábios mais importantes do mundo islâmico. Prolífico autor, Ibn Sina escreveu sobre tópicos bem diversos, como metafísica, teologia, medicina, psicologia, geociências, física, astronomia, astrologia e química. Na Europa sua fama se dá principalmente por esta ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
O Livro de Hermes, o Sábio
Kitāb Hirmis al-ḥakīm (O Livro de Hermes, o Sábio) é um texto sobre invocações, encantamentos mágicos e doses medicinais usados para o tratamento de doenças. O suposto autor, Hermes Trismegisto (Hermes, o três vezes grande), foi uma figura lendária nos mundos clássicos grego, romano e islâmico, a quem se atribuiu um grande corpus de escritos. O livro está organizado de acordo com as letras árabes dentro do sistema abjad (alifbā’, jīm, dāl e assim por diante). A discussão de cada letra começa com um diagnóstico de um homem adulto ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
Paul Ferdinand Gachet. Gravura de V. van Gogh, 1890
Paul Ferdinand Gachet (1828-1909) era um médico dissidente que praticava o que, mais tarde, veio a ser denominada medicina alternativa ou complementar. Ele tinha um consultório em Paris, para onde viajava de sua casa em Auvers-sur-Oise, fora da cidade. Ele era um amante das artes - um artista amador, colecionador de arte, e amigo de muitos aritstas, um dos quais era o holandês excêntrico, Vincent Van Gogh (1853-90). Gachet e Van Gogh conheceram-se por poucos meses:de 20 de maio de 1890, quando Van Gogh chegou para ficar numa hospedaria em ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
Os músculos da perna esquerda, vistos de frente, e os ossos e os músculos da perna direita, vistos em perfil direito, e entre eles, a rótula. Desenho por Michelangelo Buonarroti, cerca de 1515-1520
Estes desenhos, de uma perna humana, são do artista Michelangelo Buonarroti (1475-1564), cujos estudos de anatomia foram registrados por seus primeiros biógrafos, Vasari (1550) e Condivi (1553). Conta-se que Michelangelo dissecou um cadáver, pela primeira vez, em Florença, por volta de 1495, após ele ter sido contratado para esculpir um crucifixo de madeira para a igreja do Santo Espírito. O prior da igreja cedeu-lhe algumas salas nas quais ele pode, através da dissecação, aprender como representar os músculos do Cristo agonizante de uma forma convincente. Sua última dissecação testemunhada ocorreu ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
Henry Solomon Wellcome:três quartos de comprimento. Pintura a óleo por Hugh Goldwin Riviere, 1906.
Henry S. Wellcome nasceu em 1853, vindo de uma família de fazendeiros pobres de Almond, Wisconsin. Após sua morte em 1936, a Wellcome Trust, uma instituição de caridade britânica, foi criada. Muitos anos mais tarde, tornou-se a instuição de caridade mais financeiramente estável do mundo, com bens avaliados em 15 bilhões de libras. Wellcome deve essa conquista a seu sucesso como fabricante vendedor de produtos farmacêuticos. Após seu treinamento como farmacêutico na Faculdade de Farmácia de Filadélfia, ele foi para a Inglaterra em 1880 para associar-se a seu colega de ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
Um sonho de sacristão: São Cosme e Damião realizando uma cura milagrosa através do transplante de uma perna. Pintura a óleo atribuída ao Mestre de Los Balbases, cerca de 1495.
São Cosme e Damião foram martíres cristãos que, segundo a lenda, exerciciam medicina sem cobrar e, portanto, foram representados para o público como ideais médicos.Neste retábulo espanhol, os santos aparecem em uma visão, paramentados na eleglância completa dos médicos acadêmicos, fazendo o milagre do transplante de uma perna. A visão é descrita em um livro de Jacobus de Voragine, de 1275 . Legenda aurea (A lenda dourada). A visão foi recebida na Igreja de São Cosme e Damião, em Roma, por um sacristão, que tinha uma doença que estava corroendo ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
Esboço da dupla hélice do DNA, por Francis Crick
A imagem icônica da dupla hélice - a escada em caracol que transporta os códigos da enorme variedade de formas de vida terrestres - remonta a 1953, e ao modelo caseiro, em metal, criado pelo cientista britânico Francis Crick e seu colaborador americano, James Watson. Determinados a resolver o enigma levantado pela evidência das pesquisas da época, eles obtiveram uma nova percepção ao visualizar a estrutura da complexa molécula através de um modelo físico. Este esboço a lápis foi feito por Crick e faz parte do extenso Arquivo de Crick, na Biblioteca ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
Uma mulher, largando a xícara de chá, horrorificada ao descobrir o conteúdo monstruoso de uma gota amplificada de água do Tâmisa, revelando a impureza da água potável em Londres.
Esta caricatura, de 1828, mostra uma mulher olhando em um microscópio a fim de observar os monstros que nadam em uma gota da água de Londres. Na década de 1820, grande parte da água potável de Londres era proveniente do Rio Tâmisa, que era estremamente poluído pelos esgotos da cidade, os quais se esvaziavam nele. A Comissão nomeada para investigar a situação do Abastecimento de Água de Londres expediu um relatório em 1828, que resultou emvárias melhorias. As cinco companhias de água que serviam a margem norte do rio, melhoraram ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
Um Médico Vestindo um Traje Preventivo contra a Peste do Século Dezessete
Esta pintura em aquarela retrata os trajes vestidos pelos médicos em atendimento a pacientes atingidos pela peste no século XVII. O traje foi descrito por Jean Jacques Manget (1652-1742) em seu Traité de la peste (Tratado sobre a peste), publicado em Genebra em 1721. O traje possuía um jaleco de couro marroquino, embaixo do qual se vestia uma saia, calças e botas, todas de couro, e que se encaixavam uma na outra. A peça que cobria o nariz, uma espécie de bico comprido, era equipada com substâncias aromáticas, e os ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
China: Uma Noiva Manchu
Esta fotografia, feita pelo grande viajante, geógrafo e fotógrafo escocês John Thomson (1837-1921), mostra uma jovem do grupo étnico manchu em seu vestido de casamento. Ela está vestida com um traje ricamente bordado e usa, na cabeça, um grande adereço floral com borlas. Seu rosto está coberto com pó de arroz branco. Como etnógrafo, Thomson tirou muitas fotos de noivas em trajes luxuosos, mas também expressou uma visão pessimista da vida futura das noivas, que ele comparou à escravidão. "Nenhuma jovem manchu pode ficar noiva até que atinja quatorze anos ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
Papiro de Johnson
Herbários são diretórios de plantas, com sua propriedades e seus usos medicinais. Mais que provavelmente, no princípio os herbários não eram ilustrados, mas no final da Antiguidade adquiriram ilustrações. Este fragmento de uma folha, de um herbário ilustrado do Egito helenístico, mostra uma planta que é, possivelmente, um Symphytum officinale, ou confrei. O herbário é feito de papiro, uma planta que proliferava no vale do Nilo, e o texto está em grego, a língua da ciência em todo o Mediterrâneo Oriental naquela época. O fragmento é, provavelmente, de uma cópia ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
Livro de Receitas de Lady Ann Fanshawe
Lady Ann Fanshawe (1625-1680) era a esposa de Sir Richard Fanshawe (1608-1666), um fiel seguidor de Charles I. Os Fanshawe foram aprisionados e exilados após a execução de Charles, em 1649, e a criação da Commonwealth, sob Oliver Cromwell . Quando a monarquia foi restaurada em 1660, Sir Richard foi nomeado embaixador em Madri, a primeira embaixada permanente no estrangeiro mantida pela Coroa. Este livro originalmente pertenceu a Lady Ann e contém receitas médicas, culinária e outras. As entradas iniciais datam de 1651 e foram eescritas por Joseph Averie, provavelmente um ...
Fornecido por Biblioteca Wellcome
Folhas Anatômicas Transitórias de um Esqueleto, Figura Masculina e Figura Feminina
Estas folhas anatômicas, em xilogravura, das figuras masculina e feminina, publicadas na Alemanha em 1573, refletem o estado do conhecimento anatômico naquela época. Os textos explicativos em cada folha estão em latim, com alguns nomes de partes anatômicas fornecidos, também, em grego. As folhas usam abas móveis, que podem ser levantadas para mostrar cortes transversais das vísceras, anexados por baixo das abas. As folhas tem figuras suplementares que descrevem várias partes do corpo, com textos explicativos correspondentes.
Fornecido por Biblioteca Wellcome