Cidade de Rohri e Fortaleza de Bukker, às margens do Indo

“Cidade de Rohri e Fortaleza de Bukker, às margens do Indo” é uma das 25 litografias da obra Esboços no Afeganistão, de James Atkinson, publicada em Londres em 1842. Atkinson (de 1780 a 1852) foi um homem de muitos talentos, mais conhecido por suas primeiras traduções de poesia e prosa persas para o inglês. Ele nasceu na Inglaterra e estudou medicina em Londres e Edimburgo. Em 1805 foi nomeado cirurgião assistente no departamento de Bengala, e passou a maior parte do resto de sua vida na Índia. Ele usou seu tempo livre para dominar a língua persa, e em 1814 já tinha publicado a tradução de parte da obra Shahnamah (Livro dos Reis), de Firdawsi, a primeira vez que um público de língua inglesa teve acesso ao épico poema persa. Em 1838, Atkinson foi nomeado cirurgião-chefe do Exército do Indo, e nessa função acompanhou o exército em sua marcha para Cabul na Primeira Guerra Anglo-Afegã (de 1839 a 1842). Ele deixou o Afeganistão em 1841 a fim de retornar para a Índia. Em 1842 ele publicou em primeira mão um relato da guerra intitulado Expedição para o Afeganistão: Anotações e Rascunhos Descritivos do País. Atkinson também era um artista talentoso, e várias de suas obras atualmente são mantidas na Galeria Nacional de Retratos, em Londres. Esboços no Afeganistão é baseado em desenhos feitos por Atkinson enquanto ele esteve no Afeganistão.

Acampamento em Dadur com a entrada para o Passo de Bolan

“Acampamento em Dadur com a entrada para o Passo de Bolan” é uma das 25 litografias da obra Esboços no Afeganistão, de James Atkinson, publicada em Londres em 1842. Atkinson (de 1780 a 1852) foi um homem de muitos talentos, mais conhecido por suas primeiras traduções de poesia e prosa persas para o inglês. Ele nasceu na Inglaterra e estudou medicina em Londres e Edimburgo. Em 1805 foi nomeado cirurgião assistente no departamento de Bengala, e passou a maior parte do resto de sua vida na Índia. Ele usou seu tempo livre para dominar a língua persa, e em 1814 já tinha publicado a tradução de parte da obra Shahnamah (Livro dos Reis), de Firdawsi, a primeira vez que um público de língua inglesa teve acesso ao épico poema persa. Em 1838, Atkinson foi nomeado cirurgião-chefe do Exército do Indo, e nessa função acompanhou o exército em sua marcha para Cabul na Primeira Guerra Anglo-Afegã (de 1839 a 1842). Ele deixou o Afeganistão em 1841 a fim de retornar para a Índia. Em 1842 ele publicou em primeira mão um relato da guerra intitulado Expedição para o Afeganistão: Anotações e Rascunhos Descritivos do País. Atkinson também era um artista talentoso, e várias de suas obras atualmente são mantidas na Galeria Nacional de Retratos, em Londres. Esboços no Afeganistão é baseado em desenhos feitos por Atkinson enquanto ele esteve no Afeganistão.

Vista da Montanha Baba-Naunee, chamada Kutl-Gahor

“Vista da Montanha Baba-Naunee, chamada Kutl-Gahor” é uma das 25 litografias da obra Esboços no Afeganistão, de James Atkinson, publicada em Londres em 1842. Atkinson (de 1780 a 1852) foi um homem de muitos talentos, mais conhecido por suas primeiras traduções de poesia e prosa persas para o inglês. Ele nasceu na Inglaterra e estudou medicina em Londres e Edimburgo. Em 1805 foi nomeado cirurgião assistente no departamento de Bengala, e passou a maior parte do resto de sua vida na Índia. Ele usou seu tempo livre para dominar a língua persa, e em 1814 já tinha publicado a tradução de parte da obra Shahnamah (Livro dos Reis), de Firdawsi, a primeira vez que um público de língua inglesa teve acesso ao épico poema persa. Em 1838, Atkinson foi nomeado cirurgião-chefe do Exército do Indo, e nessa função acompanhou o exército em sua marcha para Cabul na Primeira Guerra Anglo-Afegã (de 1839 a 1842). Ele deixou o Afeganistão em 1841 a fim de retornar para a Índia. Em 1842 ele publicou em primeira mão um relato da guerra intitulado Expedição para o Afeganistão: Anotações e Rascunhos Descritivos do País. Atkinson também era um artista talentoso, e várias de suas obras atualmente são mantidas na Galeria Nacional de Retratos, em Londres. Esboços no Afeganistão é baseado em desenhos feitos por Atkinson enquanto ele esteve no Afeganistão.

Entrada para o Passo de Bolan de Dadur

“Entrada para o Passo de Bolan de Dadur” é uma das 25 litografias da obra Esboços no Afeganistão, de James Atkinson, publicada em Londres em 1842. Atkinson (de 1780 a 1852) foi um homem de muitos talentos, mais conhecido por suas primeiras traduções de poesia e prosa persas para o inglês. Ele nasceu na Inglaterra e estudou medicina em Londres e Edimburgo. Em 1805 foi nomeado cirurgião assistente no departamento de Bengala, e passou a maior parte do resto de sua vida na Índia. Ele usou seu tempo livre para dominar a língua persa, e em 1814 já tinha publicado a tradução de parte da obra Shahnamah (Livro dos Reis), de Firdawsi, a primeira vez que um público de língua inglesa teve acesso ao épico poema persa. Em 1838, Atkinson foi nomeado cirurgião-chefe do Exército do Indo, e nessa função acompanhou o exército em sua marcha para Cabul na Primeira Guerra Anglo-Afegã (de 1839 a 1842). Ele deixou o Afeganistão em 1841 a fim de retornar para a Índia. Em 1842 ele publicou em primeira mão um relato da guerra intitulado Expedição para o Afeganistão: Anotações e Rascunhos Descritivos do País. Atkinson também era um artista talentoso, e várias de suas obras atualmente são mantidas na Galeria Nacional de Retratos, em Londres. Esboços no Afeganistão é baseado em desenhos feitos por Atkinson enquanto ele esteve no Afeganistão.

Passagem isolada de Siri Kajoor

“Passagem isolada de Siri Kajoor” é uma das 25 litografias da obra Esboços no Afeganistão, de James Atkinson, publicada em Londres em 1842. Atkinson (de 1780 a 1852) foi um homem de muitos talentos, mais conhecido por suas primeiras traduções de poesia e prosa persas para o inglês. Ele nasceu na Inglaterra e estudou medicina em Londres e Edimburgo. Em 1805 foi nomeado cirurgião assistente no departamento de Bengala, e passou a maior parte do resto de sua vida na Índia. Ele usou seu tempo livre para dominar a língua persa, e em 1814 já tinha publicado a tradução de parte da obra Shahnamah (Livro dos Reis), de Firdawsi, a primeira vez que um público de língua inglesa teve acesso ao épico poema persa. Em 1838, Atkinson foi nomeado cirurgião-chefe do Exército do Indo, e nessa função acompanhou o exército em sua marcha para Cabul na Primeira Guerra Anglo-Afegã (de 1839 a 1842). Ele deixou o Afeganistão em 1841 a fim de retornar para a Índia. Em 1842 ele publicou em primeira mão um relato da guerra intitulado Expedição para o Afeganistão: Anotações e Rascunhos Descritivos do País. Atkinson também era um artista talentoso, e várias de suas obras atualmente são mantidas na Galeria Nacional de Retratos, em Londres. Esboços no Afeganistão é baseado em desenhos feitos por Atkinson enquanto ele esteve no Afeganistão.

Abertura para a passagem estreita acima do Siri Bolan

“Abertura para a passagem estreita acima do Siri Bolan” é uma das 25 litografias da obra Esboços no Afeganistão, de James Atkinson, publicada em Londres em 1842. Atkinson (de 1780 a 1852) foi um homem de muitos talentos, mais conhecido por suas primeiras traduções de poesia e prosa persas para o inglês. Ele nasceu na Inglaterra e estudou medicina em Londres e Edimburgo. Em 1805 foi nomeado cirurgião assistente no departamento de Bengala, e passou a maior parte do resto de sua vida na Índia. Ele usou seu tempo livre para dominar a língua persa, e em 1814 já tinha publicado a tradução de parte da obra Shahnamah (Livro dos Reis), de Firdawsi, a primeira vez que um público de língua inglesa teve acesso ao épico poema persa. Em 1838, Atkinson foi nomeado cirurgião-chefe do Exército do Indo, e nessa função acompanhou o exército em sua marcha para Cabul na Primeira Guerra Anglo-Afegã (de 1839 a 1842). Ele deixou o Afeganistão em 1841 a fim de retornar para a Índia. Em 1842 ele publicou em primeira mão um relato da guerra intitulado Expedição para o Afeganistão: Anotações e Rascunhos Descritivos do País. Atkinson também era um artista talentoso, e várias de suas obras atualmente são mantidas na Galeria Nacional de Retratos, em Londres. Esboços no Afeganistão é baseado em desenhos feitos por Atkinson enquanto ele esteve no Afeganistão.

Aproximação da Fortaleza de Quetta

“Aproximação da Fortaleza de Quetta” é uma das 25 litografias da obra Esboços no Afeganistão, de James Atkinson, publicada em Londres em 1842. Atkinson (de 1780 a 1852) foi um homem de muitos talentos, mais conhecido por suas primeiras traduções de poesia e prosa persas para o inglês. Ele nasceu na Inglaterra e estudou medicina em Londres e Edimburgo. Em 1805 foi nomeado cirurgião assistente no departamento de Bengala, e passou a maior parte do resto de sua vida na Índia. Ele usou seu tempo livre para dominar a língua persa, e em 1814 já tinha publicado a tradução de parte da obra Shahnamah (Livro dos Reis), de Firdawsi, a primeira vez que um público de língua inglesa teve acesso ao épico poema persa. Em 1838, Atkinson foi nomeado cirurgião-chefe do Exército do Indo, e nessa função acompanhou o exército em sua marcha para Cabul na Primeira Guerra Anglo-Afegã (de 1839 a 1842). Ele deixou o Afeganistão em 1841 a fim de retornar para a Índia. Em 1842 ele publicou em primeira mão um relato da guerra intitulado Expedição para o Afeganistão: Anotações e Rascunhos Descritivos do País. Atkinson também era um artista talentoso, e várias de suas obras atualmente são mantidas na Galeria Nacional de Retratos, em Londres. Esboços no Afeganistão é baseado em desenhos feitos por Atkinson enquanto ele esteve no Afeganistão.

Diário de uma Missão Política ao Afeganistão

Diário de uma Missão Política ao Afeganistão é um relato de uma missão realizada em 1857 a Candaar, no Afeganistão, por Henry Burnett Lumsden, um oficial britânico no exército indiano. A missão de Lumsden era garantir que os subsídios pagos pelo governo da Índia ao emir Dost Mohammad Khan, governante do Afeganistão, estavam sendo usados na manutenção das tropas empregadas para defender o Afeganistão contra os persas, um interesse britânico fundamental. Lumsden foi acompanhado por seu irmão e companheiro de farda, o tenente Peter Lumsden, e pelo Dr. Henry Walter Bellew, autor do livro que aqui apresentamos. Bellew era um oficial médico e cirurgião do exército indiano que realizou diversas missões políticas no Afeganistão e passou a escrever várias outras obras sobre temas indianos e afegãos. O livro possui duas partes. A primeira, composta por três capítulos, é uma introdução ao Afeganistão e ao seu povo. Essa parte abrange temas como geografia, topografia, casamento e costumes, grupos étnicos que compõem a população afegã, história e religião. As origens do povo afegão e a tradição que afirma serem descendentes de Saul, o primeiro rei de Israel, são discutidas em detalhes. A segunda parte do livro, bem maior que a primeira, apresenta o diário da missão de Bellew dividido em 11 capítulos. Essa parte apresenta oito belas impressões coloridas relacionadas a temas afegãos, e um apêndice com uma lista de todas as plantas coletadas por Bellew durante a marcha de ida e volta a Candaar, com uma breve descrição de suas características e, quando pertinente, seu uso medicinal.

Na Ásia Central: de Moscou a Báctria

Gabriel Bonvalot (de 1853 a 1933) foi um explorador e autor francês que liderou três importantes expedições à Ásia Central nas décadas de 1880 e 1890. En Asie centrale: de Moscou en Bactriane (Na Ásia Central: de Moscou a Báctria) é o relato de Bonvalot sobre a primeira dessas expedições, realizada entre 1880 e 1882 com o cientista Dr. Guillaume Capus (de 1857 a 1931). Após viajarem de trem de Moscou a Semipalatinsk (no atual Cazaquistão), onde tiveram acesso ao Turquestão Russo, os dois seguiram rumo ao sudeste, em direção a Tashkent (no atual Uzbequistão), e de lá para Qarshi, atualmente região sul do Uzbequistão. Eles exploraram as cabeceiras do Sir Dária e finalmente alcançaram a parte do rio Amu Dária que marca a fronteira entre o Império Russo e o Afeganistão. Na viagem de volta, Bonvalot e Capus passaram por Samarcanda, Bucara e Khiva. O nome “Báctria” que aparece no título se refere à planície situada entre o rio Amu Dária e Indocuche, governada em diversos momentos ao longo da história por persas, selêucidas e vários outros povos, e que hoje faz parte dos territórios do Afeganistão, do Uzbequistão e do Tajiquistão. Na década de 1880, buscando expandir seu império e sua influência global, o governo francês financiou a expedição de Bonvalot. Capus era afiliado do Museu Nacional de História Natural em Paris, para quem levou muitas amostras científicas. A obra contém descrições dos locais visitados e dos povos que encontraram, como afegãos, ciganos (roma), quirguizes, hindus, judeus, tártaros, uzbeques e outros. O livro apresenta ilustrações com gravuras e conclui com um mapa desdobrável do Turquestão Russo, que traz um mapa adicional mostrando a rota percorrida por Bonvalot e Capus.

Cartas sobre a Índia: na Fronteira Afegã

James Darmesteter (de 1849 a 1894) foi um grande estudioso francês sobre o Irã francês que a partir de 1885 trabalhou como professor de língua e literatura persa no Collège de France em Paris. Seus principais campos de estudo eram a filologia iraniana e a religião zoroástrica. Sua maior realização acadêmica consistiu na tradução do Avesta, os antigos textos sagrados remanescentes dos zoroastristas. Darmesteter também tinha muito interesse na língua e na história do Afeganistão. Em 1886 e 1887 ele realizou uma missão filológica de onze meses à Índia, subsidiada pelo Ministério da Educação francês. Durante a missão, passou a maior parte do tempo na região da Fronteira Noroeste de Punjab, onde estudou pastó, não como língua literária de textos escritos, mas como língua viva. Auxiliado por dois amanuenses locais, transcreveu textos de canções interpretadas por cantores populares. Após seu retorno a Paris, Darmesteter publicou Chants populaires des Afghans (Canções Populares dos Afegãos), uma coleção de mais de 100 canções em escrita pastó, com traduções comentadas para o francês. Em 1888 Darmesteter também publicou um volume de acompanhamento com base em suas viagens na Fronteira Noroeste, Lettres sur l’Inde: À la frontière afghane (Cartas Sobre a Índia: na Fronteira Afegã), obra que apresentamos aqui. O livro contém breves capítulos literários sobre a jornada de Darmesteter; lugares como Peshawar, Yagistan, Abbottabad e Lahore; os emires e as dinastias afegãos; a filosofia afegã; o célebre afegão poeta-guerreiro Khushal Khan Khatak (também conhecido como Khwushhal); e os capítulos que discutem histórias, cultura e situações contemporâneas dos afridi, baluchis, ghilzi (ou ghilji), pastós, hazaras e outros povos do Afeganistão e do atual Paquistão.