3 de março de 2016

Batalha de Chin-cha-go-zi e cerco à cidade. 18 de junho de 1871

Este mapa topográfico mostra os planos de batalha do ataque russo em Chin-cha-go-zi, localizada na parte noroeste da província de Xinjiang, China. A batalha fez parte da invasão russa à região do Rio Ili. Durante a Revolta Dungan de 1864, a região ficou sob controle do povo dunganes e taranchis muçulmanos, que haviam deposto a autoridade Qing e estabelecido o Sultanato dos Taranchis. Os russos capturaram a cidade de Chin-cha-go-zi com uma rápida ofensiva de artilharia em 18 de junho de 1871. E, poucos dias depois, entraram em Ghulja, capital do Sultanato dos Taranchis, sem encontrar nenhuma resistência. Os russos temporariamente assumiram controle da região da Bacia de Ili. As autoridades chinesas em Xinjiang foram restabelecidas em 1877, mas foi somente em 1881, com a assinatura do Tratado de São Petersburgo (também conhecido como Tratado de Ili), que a parte oriental da região foi devolvida à China. Este mapa faz parte da Seção Histórica do Álbum do Turquestão, um abrangente levantamento visual da Ásia Central realizado após a Rússia imperial assumir controle da região na década de 1860. Encomendado pelo general Konstantin Petrovich von Kaufman (1818 a 1882), primeiro governador-geral do Turquestão Russo, o álbum é dividido em quatro seções, totalizando seis volumes: “Seção Arqueológica” (dois volumes), “Seção Etnográfica” (dois volumes), “Seção sobre o Comércio” (um volume) e “Seção Histórica” (um volume). O compilador das três primeiras seções foi o orientalista russo Aleksandr L. Kun, auxiliado por Nikolai V. Bogaevskii. A produção do álbum foi concluída entre 1871 e 1872. A quarta seção foi compilada por Mikhail Afrikanovich Terent’ev (nascido em 1837), um oficial militar, orientalista, linguista e autor russo que participou da expedição russa a Samarcanda de 1867 a 1868. O álbum contém cerca de 1.200 fotografias, bem como plantas arquitetônicas, desenhos em aquarela e mapas. A “Seção Histórica” registra as atividades militares russas entre 1853 e 1871 com fotografias e mapas em aquarela dos cercos e das batalhas mais importantes. As fotografias incluem retratos individuais e em grupo de soldados e oficiais militares. Dos homens retratados, a maioria recebeu a Cruz de São Jorge, uma condecoração conferida a soldados e marinheiros pela bravura em combate. Algumas fotografias no início do álbum registram oficiais condecorados com a Ordem de São Jorge, reconhecimento conferido aos oficiais seniores russos por alto mérito na condução de operações militares. O álbum também mostra vistas de cidadelas, fortificações, cidades e aldeias, igrejas, ruínas e monumentos em memória aos soldados mortos em batalha. O álbum contém 211 imagens em 79 placas.

Batalha de Suidun. 19 de junho de 1871

Este mapa topográfico mostra os planos de batalha do ataque russo na cidadela de Suidun (na atual Shuiding), localizada na parte noroeste da província de Xinjiang, China. A captura de Suidun ocorreu em 19 de junho de 1871 e fez parte da invasão russa da região do Rio Ili. Durante a Revolta Dungan de 1864, a região ficou sob controle do povo dunganes e taranchis muçulmanos, que haviam deposto a autoridade Qing e estabelecido o Sultanato dos Taranchis. Após as vitórias em Chin-cha-go-zi e Suidun, os russos temporariamente tomaram controle da região da Bacia de Ili. As autoridades chinesas em Xinjiang foram restabelecidas em 1877, mas foi somente em 1881, com a assinatura do Tratado de São Petersburgo (também conhecido como Tratado de Ili), que a parte oriental da região foi devolvida à China. Este mapa faz parte da Seção Histórica do Álbum do Turquestão, um abrangente levantamento visual da Ásia Central realizado após a Rússia imperial assumir controle da região na década de 1860. Encomendado pelo general Konstantin Petrovich von Kaufman (1818 a 1882), primeiro governador-geral do Turquestão Russo, o álbum é dividido em quatro seções, totalizando seis volumes: “Seção Arqueológica” (dois volumes), “Seção Etnográfica” (dois volumes), “Seção sobre o Comércio” (um volume) e “Seção Histórica” (um volume). O compilador das três primeiras seções foi o orientalista russo Aleksandr L. Kun, auxiliado por Nikolai V. Bogaevskii. A produção do álbum foi concluída entre 1871 e 1872. A quarta seção foi compilada por Mikhail Afrikanovich Terent’ev (nascido em 1837), um oficial militar, orientalista, linguista e autor russo que participou da expedição russa a Samarcanda de 1867 a 1868. O álbum contém cerca de 1.200 fotografias, bem como plantas arquitetônicas, desenhos em aquarela e mapas. A “Seção Histórica” registra as atividades militares russas entre 1853 e 1871 com fotografias e mapas em aquarela dos cercos e das batalhas mais importantes. As fotografias incluem retratos individuais e em grupo de soldados e oficiais militares. Dos homens retratados, a maioria recebeu a Cruz de São Jorge, uma condecoração conferida a soldados e marinheiros pela bravura em combate. Algumas fotografias no início do álbum registram oficiais condecorados com a Ordem de São Jorge, reconhecimento conferido aos oficiais seniores russos por alto mérito na condução de operações militares. O álbum também mostra vistas de cidadelas, fortificações, cidades e aldeias, igrejas, ruínas e monumentos em memória aos soldados mortos em batalha. O álbum contém 211 imagens em 79 placas.

Recebedores da Cruz de São Jorge e premiados com Sabres Dourados. Pela captura da fortificação de Ura Tiube em 3 de outubro de 1866. Capitão K.V. Popov do 1º Batalhão de Fuzileiros do Turquestão

Esta fotografia faz parte da Seção Histórica do Álbum do Turquestão, um abrangente levantamento visual da Ásia Central realizado após a Rússia imperial assumir controle da região na década de 1860. Encomendado pelo general Konstantin Petrovich von Kaufman (de 1818 a 1882), primeiro governador-geral do Turquestão Russo, o álbum é dividido em quatro seções, totalizando seis volumes: “Seção Arqueológica” (dois volumes); “Seção Etnográfica” (dois volumes); “Seção sobre o Comércio” (um volume) e “Seção Histórica” (um volume). O compilador das três primeiras seções foi o orientalista russo Aleksandr L. Kun, auxiliado por Nikolai V. Bogaevskii. A produção do ábum foi concluída em 1871 e 1872. A quarta seção foi compilada por Mikhail Afrikanovich Terent’ev (nascido em 1837), um oficial militar, orientalista, linguista e autor russo que participou da expedição russa à Samarcanda de 1867 a 1868. A “Seção Histórica” registra as atividades militares russas entre 1853 e 1871 com fotografias e mapas em aquarela dos cercos e das batalhas mais importantes. As fotografias incluem retratos individuais e em grupo de soldados e oficiais militares. Dos homens retratados, a maioria foi condecorada com a Cruz de São Jorge, uma medalha conferida a soldados e marinheiros pela bravura em combate. Algumas fotografias no início do álbum registram oficiais condecorados com a Ordem de São Jorge, reconhecimento conferido aos oficiais seniores russos por alto mérito na condução de operações militares. O álbum também mostra vistas de cidadelas, fortificações, cidades e aldeias, igrejas, ruínas e monumentos em memória aos soldados mortos em batalha. O álbum contém 211 imagens em 79 placas.

Recebedores da Cruz de São Jorge e premiados com Sabres Dourados. Pela captura da Fortificação de Ura Tiube em 3 de outubro de 1866. Sargento A.A. Tille da Infantaria e Artilharia

Esta fotografia faz parte da Seção Histórica do Álbum do Turquestão, um abrangente levantamento visual da Ásia Central realizado após a Rússia imperial assumir controle da região na década de 1860. Encomendado pelo general Konstantin Petrovich von Kaufman (de 1818 a 1882), primeiro governador-geral do Turquestão Russo, o álbum é dividido em quatro seções, totalizando seis volumes: “Seção Arqueológica” (dois volumes); “Seção Etnográfica” (dois volumes); “Seção sobre o Comércio” (um volume) e “Seção Histórica” (um volume). O compilador das três primeiras seções foi o orientalista russo Aleksandr L. Kun, auxiliado por Nikolai V. Bogaevskii. A produção do ábum foi concluída em 1871 e 1872. A quarta seção foi compilada por Mikhail Afrikanovich Terent’ev (nascido em 1837), um oficial militar, orientalista, linguista e autor russo que participou da expedição russa à Samarcanda de 1867 a 1868. A “Seção Histórica” registra as atividades militares russas entre 1853 e 1871 com fotografias e mapas em aquarela dos cercos e das batalhas mais importantes. As fotografias incluem retratos individuais e em grupo de soldados e oficiais militares. Dos homens retratados, a maioria foi condecorada com a Cruz de São Jorge, uma medalha conferida a soldados e marinheiros pela bravura em combate. Algumas fotografias no início do álbum registram oficiais condecorados com a Ordem de São Jorge, reconhecimento conferido aos oficiais seniores russos por alto mérito na condução de operações militares. O álbum também mostra vistas de cidadelas, fortificações, cidades e aldeias, igrejas, ruínas e monumentos em memória aos soldados mortos em batalha. O álbum contém 211 imagens em 79 placas.

Recebedores da Cruz de São Jorge e premiados com a mais alta condecoração militar. Pela defesa de Samarcanda de 2 a 8 de junho de 1868: primeiro-sargento Donov da 1ª Brigada de Artilharia do Turquestão, suboficial Timashev e soldados profissionais Fedorov, Makarov, Nikitin e Shishkin da Unidade de Sapadores do Turquestão, entre outros

Esta fotografia faz parte da Seção Histórica do Álbum do Turquestão, um abrangente levantamento visual da Ásia Central realizado após a Rússia imperial assumir controle da região na década de 1860. Encomendado pelo general Konstantin Petrovich von Kaufman (de 1818 a 1882), primeiro governador-geral do Turquestão Russo, o álbum é dividido em quatro seções, totalizando seis volumes: “Seção Arqueológica” (dois volumes); “Seção Etnográfica” (dois volumes); “Seção sobre o Comércio” (um volume) e “Seção Histórica” (um volume). O compilador das três primeiras seções foi o orientalista russo Aleksandr L. Kun, auxiliado por Nikolai V. Bogaevskii. A produção do ábum foi concluída em 1871 e 1872. A quarta seção foi compilada por Mikhail Afrikanovich Terent’ev (nascido em 1837), um oficial militar, orientalista, linguista e autor russo que participou da expedição russa à Samarcanda de 1867 a 1868. A “Seção Histórica” registra as atividades militares russas entre 1853 e 1871 com fotografias e mapas em aquarela dos cercos e das batalhas mais importantes. As fotografias incluem retratos individuais e em grupo de soldados e oficiais militares. Dos homens retratados, a maioria foi condecorada com a Cruz de São Jorge, uma medalha conferida a soldados e marinheiros pela bravura em combate. Algumas fotografias no início do álbum registram oficiais condecorados com a Ordem de São Jorge, reconhecimento conferido aos oficiais seniores russos por alto mérito na condução de operações militares. O álbum também mostra vistas de cidadelas, fortificações, cidades e aldeias, igrejas, ruínas e monumentos em memória aos soldados mortos em batalha. O álbum contém 211 imagens em 79 placas.

Okrug de Zeravshan. Colina de Zyrabulak marcada pela vitória sobre o exército do emir de Bucara em 2 de junho de 1868

Esta fotografia faz parte da Seção Histórica do Álbum do Turquestão, um abrangente levantamento visual da Ásia Central realizado após a Rússia imperial assumir controle da região na década de 1860. Encomendado pelo general Konstantin Petrovich von Kaufman (de 1818 a 1882), primeiro governador-geral do Turquestão Russo, o álbum é dividido em quatro seções, totalizando seis volumes: “Seção Arqueológica” (dois volumes); “Seção Etnográfica” (dois volumes); “Seção sobre o Comércio” (um volume) e “Seção Histórica” (um volume). O compilador das três primeiras seções foi o orientalista russo Aleksandr L. Kun, auxiliado por Nikolai V. Bogaevskii. A produção do ábum foi concluída em 1871 e 1872. A quarta seção foi compilada por Mikhail Afrikanovich Terent’ev (nascido em 1837), um oficial militar, orientalista, linguista e autor russo que participou da expedição russa à Samarcanda de 1867 a 1868. A “Seção Histórica” registra as atividades militares russas entre 1853 e 1871 com fotografias e mapas em aquarela dos cercos e das batalhas mais importantes. As fotografias incluem retratos individuais e em grupo de soldados e oficiais militares. Dos homens retratados, a maioria foi condecorada com a Cruz de São Jorge, uma medalha conferida a soldados e marinheiros pela bravura em combate. Algumas fotografias no início do álbum registram oficiais condecorados com a Ordem de São Jorge, reconhecimento conferido aos oficiais seniores russos por alto mérito na condução de operações militares. O álbum também mostra vistas de cidadelas, fortificações, cidades e aldeias, igrejas, ruínas e monumentos em memória aos soldados mortos em batalha. O álbum contém 211 imagens em 79 placas.