3 de março de 2016

Vesperae Bachanales

Pantaleon Roškovský (1734 a 1789) foi um compositor, organista e professor eslovaco. Oriundo de Stará Ľubovňa, ele entrou para a ordem franciscana em 1755 e foi ordenado padre em Trnava, em 1759. Trabalhou principalmente nos principais monastérios da Congregação dos Padres Marianos (também conhecida como Marianos da Imaculada Conceição) em Bratislava e Trnava. Sua música religiosa (missas, litanias, antífonas marianas e hinos), bem como as peças para cravo e órgão, enquadra-se parcialmente no fim do período barroco, embora frequentemente apresente já traços do início do classicismo. Roskovšký é provavelmente mais conhecido pelo trabalho apresentado aqui, a paródia de Carnaval em quatro partes Vesperae bachanales (1768). Essa canção em homenagem ao antigo deus do vinho mantém a mesma estrutura das Vésperas católico-romanas. Os textos originais (salmos com as antífonas apropriadas, o hino, o Cântico de Maria e até mesmo as orações) são satirizados de forma inteligente, o que ganha destaque pela musicalização extremamente imaginativa (por exemplo, uma paródia de canto gregoriano executado de forma distorcida ao final da canção). O objetivo da Vesperae bachanales era divertir a comunidade monástica no Carnaval, o período imediatamente anterior ao jejum que, nos países e regiões católicas, era tradicionalmente marcado por comemorações eufóricas.

Recebedores da Cruz de São Jorge e premiados com a mais alta condecoração militar. Pela defesa de Samarcanda de 2 a 8 de junho de 1868: suboficiais Lapin, Pichin, Mokhin e Sienokosov do 9º Batalhão de Linha do Turquestão

Esta fotografia faz parte da Seção Histórica do Álbum do Turquestão, um abrangente levantamento visual da Ásia Central realizado após a Rússia imperial assumir controle da região na década de 1860. Encomendado pelo general Konstantin Petrovich von Kaufman (de 1818 a 1882), primeiro governador-geral do Turquestão Russo, o álbum é dividido em quatro seções, totalizando seis volumes: “Seção Arqueológica” (dois volumes); “Seção Etnográfica” (dois volumes); “Seção sobre o Comércio” (um volume) e “Seção Histórica” (um volume). O compilador das três primeiras seções foi o orientalista russo Aleksandr L. Kun, auxiliado por Nikolai V. Bogaevskii. A produção do ábum foi concluída em 1871 e 1872. A quarta seção foi compilada por Mikhail Afrikanovich Terent’ev (nascido em 1837), um oficial militar, orientalista, linguista e autor russo que participou da expedição russa à Samarcanda de 1867 a 1868. A “Seção Histórica” registra as atividades militares russas entre 1853 e 1871 com fotografias e mapas em aquarela dos cercos e das batalhas mais importantes. As fotografias incluem retratos individuais e em grupo de soldados e oficiais militares. Dos homens retratados, a maioria foi condecorada com a Cruz de São Jorge, uma medalha conferida a soldados e marinheiros pela bravura em combate. Algumas fotografias no início do álbum registram oficiais condecorados com a Ordem de São Jorge, reconhecimento conferido aos oficiais seniores russos por alto mérito na condução de operações militares. O álbum também mostra vistas de cidadelas, fortificações, cidades e aldeias, igrejas, ruínas e monumentos em memória aos soldados mortos em batalha. O álbum contém 211 imagens em 79 placas.

Recebedores da Cruz de São Jorge e premiados com a mais alta condecoração militar. Pela defesa de Samarcanda de 2 a 8 de junho de 1868: soldado profissional Okonev

Esta fotografia faz parte da Seção Histórica do Álbum do Turquestão, um abrangente levantamento visual da Ásia Central realizado após a Rússia imperial assumir controle da região na década de 1860. Encomendado pelo general Konstantin Petrovich von Kaufman (de 1818 a 1882), primeiro governador-geral do Turquestão Russo, o álbum é dividido em quatro seções, totalizando seis volumes: “Seção Arqueológica” (dois volumes); “Seção Etnográfica” (dois volumes); “Seção sobre o Comércio” (um volume) e “Seção Histórica” (um volume). O compilador das três primeiras seções foi o orientalista russo Aleksandr L. Kun, auxiliado por Nikolai V. Bogaevskii. A produção do ábum foi concluída em 1871 e 1872. A quarta seção foi compilada por Mikhail Afrikanovich Terent’ev (nascido em 1837), um oficial militar, orientalista, linguista e autor russo que participou da expedição russa à Samarcanda de 1867 a 1868. A “Seção Histórica” registra as atividades militares russas entre 1853 e 1871 com fotografias e mapas em aquarela dos cercos e das batalhas mais importantes. As fotografias incluem retratos individuais e em grupo de soldados e oficiais militares. Dos homens retratados, a maioria foi condecorada com a Cruz de São Jorge, uma medalha conferida a soldados e marinheiros pela bravura em combate. Algumas fotografias no início do álbum registram oficiais condecorados com a Ordem de São Jorge, reconhecimento conferido aos oficiais seniores russos por alto mérito na condução de operações militares. O álbum também mostra vistas de cidadelas, fortificações, cidades e aldeias, igrejas, ruínas e monumentos em memória aos soldados mortos em batalha. O álbum contém 211 imagens em 79 placas.

Recebedores da Cruz de São Jorge e premiados com a mais alta condecoração militar. Pela captura da Fortificação de Kitab em 13 de agosto de 1870: suboficial Bieliaev das tropas cossacas de Oremburgo e suboficial Sheikin das tropas cossacas siberianas

Esta fotografia faz parte da Seção Histórica do Álbum do Turquestão, um abrangente levantamento visual da Ásia Central realizado após a Rússia imperial assumir controle da região na década de 1860. Encomendado pelo general Konstantin Petrovich von Kaufman (de 1818 a 1882), primeiro governador-geral do Turquestão Russo, o álbum é dividido em quatro seções, totalizando seis volumes: “Seção Arqueológica” (dois volumes); “Seção Etnográfica” (dois volumes); “Seção sobre o Comércio” (um volume) e “Seção Histórica” (um volume). O compilador das três primeiras seções foi o orientalista russo Aleksandr L. Kun, auxiliado por Nikolai V. Bogaevskii. A produção do ábum foi concluída em 1871 e 1872. A quarta seção foi compilada por Mikhail Afrikanovich Terent’ev (nascido em 1837), um oficial militar, orientalista, linguista e autor russo que participou da expedição russa à Samarcanda de 1867 a 1868. A “Seção Histórica” registra as atividades militares russas entre 1853 e 1871 com fotografias e mapas em aquarela dos cercos e das batalhas mais importantes. As fotografias incluem retratos individuais e em grupo de soldados e oficiais militares. Dos homens retratados, a maioria foi condecorada com a Cruz de São Jorge, uma medalha conferida a soldados e marinheiros pela bravura em combate. Algumas fotografias no início do álbum registram oficiais condecorados com a Ordem de São Jorge, reconhecimento conferido aos oficiais seniores russos por alto mérito na condução de operações militares. O álbum também mostra vistas de cidadelas, fortificações, cidades e aldeias, igrejas, ruínas e monumentos em memória aos soldados mortos em batalha. O álbum contém 211 imagens em 79 placas.

Recebedores da Cruz de São Jorge e premiados com a mais alta condecoração militar. Pela captura da Fortificação de Kitab em 13 de agosto de 1870: agentes de escolta Denisov e Evsieev, e bombardeiro Khariamov da 1ª Brigada de Artilharia do Turquestão

Esta fotografia faz parte da Seção Histórica do Álbum do Turquestão, um abrangente levantamento visual da Ásia Central realizado após a Rússia imperial assumir controle da região na década de 1860. Encomendado pelo general Konstantin Petrovich von Kaufman (de 1818 a 1882), primeiro governador-geral do Turquestão Russo, o álbum é dividido em quatro seções, totalizando seis volumes: “Seção Arqueológica” (dois volumes); “Seção Etnográfica” (dois volumes); “Seção sobre o Comércio” (um volume) e “Seção Histórica” (um volume). O compilador das três primeiras seções foi o orientalista russo Aleksandr L. Kun, auxiliado por Nikolai V. Bogaevskii. A produção do ábum foi concluída em 1871 e 1872. A quarta seção foi compilada por Mikhail Afrikanovich Terent’ev (nascido em 1837), um oficial militar, orientalista, linguista e autor russo que participou da expedição russa à Samarcanda de 1867 a 1868. A “Seção Histórica” registra as atividades militares russas entre 1853 e 1871 com fotografias e mapas em aquarela dos cercos e das batalhas mais importantes. As fotografias incluem retratos individuais e em grupo de soldados e oficiais militares. Dos homens retratados, a maioria foi condecorada com a Cruz de São Jorge, uma medalha conferida a soldados e marinheiros pela bravura em combate. Algumas fotografias no início do álbum registram oficiais condecorados com a Ordem de São Jorge, reconhecimento conferido aos oficiais seniores russos por alto mérito na condução de operações militares. O álbum também mostra vistas de cidadelas, fortificações, cidades e aldeias, igrejas, ruínas e monumentos em memória aos soldados mortos em batalha. O álbum contém 211 imagens em 79 placas.

Recebedores da Cruz de São Jorge e premiados com a mais alta condecoração militar. Pela ação na Colina de Kulikelansk em 25 de junho de 1870: primeiro-sargento Antoniuk da 3ª Unidade da Artilheria da Fortificação de Chinaz

Esta fotografia faz parte da Seção Histórica do Álbum do Turquestão, um abrangente levantamento visual da Ásia Central realizado após a Rússia imperial assumir controle da região na década de 1860. Encomendado pelo general Konstantin Petrovich von Kaufman (de 1818 a 1882), primeiro governador-geral do Turquestão Russo, o álbum é dividido em quatro seções, totalizando seis volumes: “Seção Arqueológica” (dois volumes); “Seção Etnográfica” (dois volumes); “Seção sobre o Comércio” (um volume) e “Seção Histórica” (um volume). O compilador das três primeiras seções foi o orientalista russo Aleksandr L. Kun, auxiliado por Nikolai V. Bogaevskii. A produção do ábum foi concluída em 1871 e 1872. A quarta seção foi compilada por Mikhail Afrikanovich Terent’ev (nascido em 1837), um oficial militar, orientalista, linguista e autor russo que participou da expedição russa à Samarcanda de 1867 a 1868. A “Seção Histórica” registra as atividades militares russas entre 1853 e 1871 com fotografias e mapas em aquarela dos cercos e das batalhas mais importantes. As fotografias incluem retratos individuais e em grupo de soldados e oficiais militares. Dos homens retratados, a maioria foi condecorada com a Cruz de São Jorge, uma medalha conferida a soldados e marinheiros pela bravura em combate. Algumas fotografias no início do álbum registram oficiais condecorados com a Ordem de São Jorge, reconhecimento conferido aos oficiais seniores russos por alto mérito na condução de operações militares. O álbum também mostra vistas de cidadelas, fortificações, cidades e aldeias, igrejas, ruínas e monumentos em memória aos soldados mortos em batalha. O álbum contém 211 imagens em 79 placas.