9 de junho de 2015

A derrota dos alemães no rio Bzura

Esta impressão, que mostra a derrota dos alemães no rio Bzura, faz parte da coleção de pôsteres em estilo lubok da Primeira Guerra Mundial, conservada na Biblioteca Britânica. A legenda descreve: “Em três batalhas anteriores, o derrotado exército alemão foi incapaz de realizar uma ofensiva completa e extensa contra nosso invencível exército ao longo da linha de frente no rio Bzura. Os alemães só conseguiram realizar ataques separados, e como resultado suas hordas permaneceram na margem esquerda do Bzura. Os sacrifícios feitos pelos alemães no rio Bzura são enormes, mas durante alguns dias milhares de cadáveres das hordas do sanguinário Kaiser encheram as margens desse rio agora histórico. No início, nossas tropas deixaram os alemães atravessar o rio e, em seguida, com um ataque rápido, derrotaram o esquadrão que havia acabado de atravessar. Várias vezes regimentos alemães inteiros tentaram atravessar o rio, mas em todas as tentativas eram forçados a voltar para a água, ao mesmo tempo que muitos prisioneiros eram capturados no nosso lado do rio. Depois dessas tentativas, os alemães recuaram, e nossas tropas começaram uma ofensiva com força indestrutível. Já fizemos progressos importantes em toda a linha de frente”. Lubok é uma palavra russa para impressões populares criadas a partir de gravuras, xilogravuras, águas-fortes ou, mais tarde, litografia. As impressões muitas vezes se caracterizavam por simples ilustrações coloridas que retratavam uma narrativa, e também podiam incluir textos. Lubok ganhou popularidade na Rússia a partir do final do século XVII. Geralmente com narrativas de acontecimentos históricos, literaturas ou contos religiosos, as impressões eram usadas para levar essas histórias a pessoas analfabetas. Além da sua expressividade, as impressões tinham tons bem diversificados, variando de comentários bem-humorados a instrutivos, passando por assuntos políticos afiados a temas sociais. As imagens eram claras e de fácil compreensão, e algumas foram publicadas em série, antecessoras da moderna história em quadrinhos. Devido ao baixo custo de sua reprodução, as impressões eram, portanto, uma forma que as massas tinham para mostrar arte em casa. No começo, esse estilo artístico não foi levado a sério pelas classes mais altas, mas até o final do século XIX, o estilo lubok ficou tão bem-conceituado que inspirou artistas profissionais. Durante a Primeira Guerra Mundial, o estilo informou os russos sobre os eventos na linha de frente, reforçou o moral e serviu como propaganda contra combatentes inimigos.

Guerra Russo-Turca. A derrota do exército turco em Sarikamish

Esta impressão, que mostra uma explosão no meio do exército turco em Sarikamish, faz parte da coleção de pôsteres em estilo lubok da Primeira Guerra Mundial, conservada na Biblioteca Britânica. A legenda descreve: “Nossas gloriosas tropas caucasianas derrotaram duas divisões turcas em Sarikamish. A 9ª divisão turca está destruída. O comandante da divisão, Iskhan Pasha, os chefes da 17ª, 28ª e 29ª divisões, seu estado-maior e mais de 100 oficiais foram presos. O número de mortos e feridos somam grandes perdas para os turcos”. Lubok é uma palavra russa para impressões populares criadas a partir de gravuras, xilogravuras, águas-fortes ou, mais tarde, litografia. As impressões muitas vezes se caracterizavam por simples ilustrações coloridas que retratavam uma narrativa, e também podiam incluir textos. Lubok ganhou popularidade na Rússia a partir do final do século XVII. Geralmente com narrativas de acontecimentos históricos, literaturas ou contos religiosos, as impressões eram usadas para levar essas histórias a pessoas analfabetas. Além da sua expressividade, as impressões tinham tons bem diversificados, variando de comentários bem-humorados a instrutivos, passando por assuntos políticos afiados a temas sociais. As imagens eram claras e de fácil compreensão, e algumas foram publicadas em série, antecessoras da moderna história em quadrinhos. Devido ao baixo custo de sua reprodução, as impressões eram, portanto, uma forma que as massas tinham para mostrar arte em casa. No começo, esse estilo artístico não foi levado a sério pelas classes mais altas, mas até o final do século XIX, o estilo lubok ficou tão bem-conceituado que inspirou artistas profissionais. Durante a Primeira Guerra Mundial, o estilo informou os russos sobre os eventos na linha de frente, reforçou o moral e serviu como propaganda contra combatentes inimigos.

A captura de Yaroslav

Esta impressão, que mostra a cena de uma enorme batalha e a captura de Yaroslav (atual Jarosław, na Polônia), faz parte da coleção de pôsteres em estilo lubok da Primeira Guerra Mundial, conservada na Biblioteca Britânica. A legenda descreve: “Várias batalhas no início de setembro terminaram com a captura da área de Sandomierz-Radomysl Wielki. Aqui, o rio San se une ao rio Vístula. O inimigo queria fugir da perseguição por trás do rio San, então assumiu uma posição fortificada em Przheshov. Em seguida houve uma terrível batalha. Em 3 de setembro, nossas tropas capturaram cabeças de pontes e travessias, atravessaram a ponte sobre o rio San e chegaram a Yaroslav e Przemyśl. Nossa pesada artilharia parou em Yaroslav e começou a bombardear a cidade. O bombardeio durou dois dias, e em 5 de setembro Yaroslav foi incendiada. No entanto, o inimigo continuou lutando. A batalha foi tão intensa e contínua que durante quatro dias não houve remoção dos mortos. Em 6 de setembro, capturamos cinco fortificações na margem direita do San perto de Yaroslav. Na manhã seguinte, a batalha continuou com intensidade em todas as fortificações. De trincheiras e veículos blindados, o inimigo disparou contra nós, mas nossa artilharia o obrigou a abandonar as trincheiras e eles recuaram. Na noite de 8 de setembro, capturamos Yaroslav, e na manhã do dia 9 de setembro nossas tropas entraram na cidade”. Lubok é uma palavra russa para impressões populares criadas a partir de gravuras, xilogravuras, águas-fortes ou, mais tarde, litografia. As impressões muitas vezes se caracterizavam por simples ilustrações coloridas que retratavam uma narrativa, e também podiam incluir textos. Lubok ganhou popularidade na Rússia a partir do final do século XVII. Geralmente com narrativas de acontecimentos históricos, literaturas ou contos religiosos, as impressões eram usadas para levar essas histórias a pessoas analfabetas. Além da sua expressividade, as impressões tinham tons bem diversificados, variando de comentários bem-humorados a instrutivos, passando por assuntos políticos afiados a temas sociais. As imagens eram claras e de fácil compreensão, e algumas foram publicadas em série, antecessoras da moderna história em quadrinhos. Devido ao baixo custo de sua reprodução, as impressões eram, portanto, uma forma que as massas tinham para mostrar arte em casa. No começo, esse estilo artístico não foi levado a sério pelas classes mais altas, mas até o final do século XIX, o estilo lubok ficou tão bem-conceituado que inspirou artistas profissionais. Durante a Primeira Guerra Mundial, o estilo informou os russos sobre os eventos na linha de frente, reforçou o moral e serviu como propaganda contra combatentes inimigos.

A heroica luta do cossaco Kuzma Kryuchkov contra 11 alemães

Esta impressão, que mostra um cavaleiro solitário ferindo mortalmente o inimigo, faz parte da coleção de pôsteres em estilo lubok da Primeira Guerra Mundial, conservada na Biblioteca Britânica. A legenda descreve: “Todos os russos conhecem a façanha de Kuzma Kryuchkov, um respeitado cossaco. Ele corajosamente confirmou a glória militar dos cossacos russos, que aterrorizam os inimigos da Rússia. Um esquadrão de seis cossacos, incluindo Kryuchkov, foi enviado de Kolvari, perto da fronteira da Prússia, para patrulhar a área. Eles encontraram um destacamento da cavalaria prussiana formada por 27 homens. Dois cossacos imediatamente voltaram para avisar o fato aos seus superiores, enquanto os outros quatro travaram uma luta com o inimigo, fizeram os prussianos recuar e os perseguiram por 12 milhas. Kryuchkov enfrentou 11 alemães sozinho, dando início a uma feroz batalha. Os alemães o atacaram com suas lanças, ele lutou primeiro com seu rifle. Quando o rifle foi tirado de suas mãos, ele começou a ferir o inimigo com sua espada, usando depois uma lança alemã. Esse herói cossaco foi ferido 16 vezes, mas saiu vencedor da luta, matando sozinho 11 alemães. Por sua incrível bravura, Kryuchkov foi a primeira pessoa a ser condecorada com a Cruz de São Jorge durante essa guerra”. Lubok é uma palavra russa para impressões populares criadas a partir de gravuras, xilogravuras, águas-fortes ou, mais tarde, litografia. As impressões muitas vezes se caracterizavam por simples ilustrações coloridas que retratavam uma narrativa, e também podiam incluir textos. Lubok ganhou popularidade na Rússia a partir do final do século XVII. Geralmente com narrativas de acontecimentos históricos, literaturas ou contos religiosos, as impressões eram usadas para levar essas histórias a pessoas analfabetas. Além da sua expressividade, as impressões tinham tons bem diversificados, variando de comentários bem-humorados a instrutivos, passando por assuntos políticos afiados a temas sociais. As imagens eram claras e de fácil compreensão, e algumas foram publicadas em série, antecessoras da moderna história em quadrinhos. Devido ao baixo custo de sua reprodução, as impressões eram, portanto, uma forma que as massas tinham para mostrar arte em casa. No começo, esse estilo artístico não foi levado a sério pelas classes mais altas, mas até o final do século XIX, o estilo lubok ficou tão bem-conceituado que inspirou artistas profissionais. Durante a Primeira Guerra Mundial, o estilo informou os russos sobre os eventos na linha de frente, reforçou o moral e serviu como propaganda contra combatentes inimigos.

Navios russos abatem o cruzador alemão “Magdeburg”

Esta impressão, que mostra um navio em chamas no mar, faz parte da coleção de pôsteres em estilo lubok da Primeira Guerra Mundial, conservada na Biblioteca Britânica. A legenda descreve: “Na noite de 13 de agosto, o cruzador alemão Magdeburg encalhou nas águas rasas do Golfo da Finlândia durante uma densa névoa. Apesar do auxílio de destroieres alemães que chegaram ao local do acidente, as tentativas de retirar o cruzador do banco de areia foram inúteis. Pela manhã, o nevoeiro se dissipou, e dois dos nossos cruzadores abriram fogo contra Magdeburg. Magdeburg revidou, mas logo foi forçado a cessar fogo. Durante a batalha, as tubulações do cruzador alemão foram destruídas e uma explosão na proa destruiu o navio até a ponte de comando. Apenas o comandante, dois oficiais e 40 marinheiros foram capturados e sobreviveram. Os outros oficiais e todo o restante da tripulação morreram”. Lubok é uma palavra russa para impressões populares criadas a partir de gravuras, xilogravuras, águas-fortes ou, mais tarde, litografia. As impressões muitas vezes se caracterizavam por simples ilustrações coloridas que retratavam uma narrativa, e também podiam incluir textos. Lubok ganhou popularidade na Rússia a partir do final do século XVII. Geralmente com narrativas de acontecimentos históricos, literaturas ou contos religiosos, as impressões eram usadas para levar essas histórias a pessoas analfabetas. Além da sua expressividade, as impressões tinham tons bem diversificados, variando de comentários bem-humorados a instrutivos, passando por assuntos políticos afiados a temas sociais. As imagens eram claras e de fácil compreensão, e algumas foram publicadas em série, antecessoras da moderna história em quadrinhos. Devido ao baixo custo de sua reprodução, as impressões eram, portanto, uma forma que as massas tinham para mostrar arte em casa. No começo, esse estilo artístico não foi levado a sério pelas classes mais altas, mas até o final do século XIX, o estilo lubok ficou tão bem-conceituado que inspirou artistas profissionais. Durante a Primeira Guerra Mundial, o estilo informou os russos sobre os eventos na linha de frente, reforçou o moral e serviu como propaganda contra combatentes inimigos.

A batalha em Gorodok

Esta impressão, que mostra uma batalha de cavalaria em Gorodok (atual Horodok, na Ucrânia), faz parte da coleção de pôsteres em estilo lubok da Primeira Guerra Mundial, conservada na Biblioteca Britânica. A legenda descreve, nas palavras de um relatório de 6 de agosto do estado-maior geral, em São Petersburgo: “Ao meio-dia de 4 de agosto, uma divisão austríaca se aproximou da linha em Gorodok-Kuzmin. Nossos cavaleiros iniciaram uma luta com o inimigo em Gorodok, que durou cinco horas. Nossa artilharia e cavalaria causaram perdas ao oponente. O campo inteiro está coberto de cadáveres inimigos, enquanto nossas baixas são insignificantes. Por volta das sete da noite do mesmo dia, a ferida divisão austríaca recuou, perseguida por nossa cavalaria”. Lubok é uma palavra russa para impressões populares criadas a partir de gravuras, xilogravuras, águas-fortes ou, mais tarde, litografia. As impressões muitas vezes se caracterizavam por simples ilustrações coloridas que retratavam uma narrativa, e também podiam incluir textos. Lubok ganhou popularidade na Rússia a partir do final do século XVII. Geralmente com narrativas de acontecimentos históricos, literaturas ou contos religiosos, as impressões eram usadas para levar essas histórias a pessoas analfabetas. Além da sua expressividade, as impressões tinham tons bem diversificados, variando de comentários bem-humorados a instrutivos, passando por assuntos políticos afiados a temas sociais. As imagens eram claras e de fácil compreensão, e algumas foram publicadas em série, antecessoras da moderna história em quadrinhos. Devido ao baixo custo de sua reprodução, as impressões eram, portanto, uma forma que as massas tinham para mostrar arte em casa. No começo, esse estilo artístico não foi levado a sério pelas classes mais altas, mas até o final do século XIX, o estilo lubok ficou tão bem-conceituado que inspirou artistas profissionais. Durante a Primeira Guerra Mundial, o estilo informou os russos sobre os eventos na linha de frente, reforçou o moral e serviu como propaganda contra combatentes inimigos.