Cadeia em Ouro Preto

A Coleção Thereza Christina Maria é composta por 21.742 fotografias, reunidas pelo Imperador Pedro II ao longo de sua vida e por ele doadas à Biblioteca Nacional do Brasil. A coleção abrange uma ampla variedade de temas. Documenta as conquistas do Brasil e do povo brasileiro no século XIX, e também inclui muitas fotografias da Europa, África e da América do Norte. A cadeia em Ouro Preto, cidade de mineração de ouro, foi construída entre 1784 e 1837. Serviu como prisão ao longo do século XIX. Em 1938, o prédio transformou-se no Museu da Inconfidência, um movimento de independência brasileiro liderado por mineiros. O prédio foi fotografado por Augusto Riedel durante uma expedição para o interior do Brasil com o genro do Imperador Pedro II, Luis Augusto, Duque de Saxe. Várias cidades do estado de Minas Gerais foram visitadas durante a expedição, sendo Ouro Preto a mais famosa delas. Conhecida por suas fachadas barrocas, a cidade recebeu o título de Patrimônio Histórico Mundial pela Unesco em 1980.

Retrato do Autor Ernest Hemingway Posando com um Peixe-vela

Ernest Hemingway (1899-1961) foi um escritor americano que ganhou o Prêmio Nobel de Literatura em 1954. Ele nasceu em Oak Park, Illinois, e começou sua carreira de escritor como jornalista, em Kansas City, aos 17 anos de idade. Suas experiências na Europa inspiraram os seus primeiros romances. Hemingway serviu com uma unidade ambulâncias voluntaria nos Alpes, na I Guerra Mundial durante a maior parta de décade de 1920, e foi repórter na Revolução Grega e na Guerra Civil na Espanha. Sua percepção adquirida através destes eventos resultou em O Sol Nasce Sempre (1926), O Adeus às Armas (1929) e, como pensam alguns, seu maior romance Por Quem os Sinos Dobram (1940). Durante grande parte dss décadas de 1930 e 1940, Hemingway dividiu seu tempo entre Key West, Flórida e Cuba. Ele era um ávido desportista, cujo interesse em esportes como caça, pesca e touradas refletiam-se em seus romances e contos. Em Key West e Cuba, Hemingway descobriu uma paixão pela pesca desportiva que o inspiraria para o resto da sua vida,e que produziu seu notável romance, O Velho e o Mar (1951). Esta fotografia, tirada em Key West na década de 1940, mostra Hemingway com um peixe-vela que tinha capturado. Muitos dos seus romances, contos e seus trabalhos de não-ficção são clássicos da literatura americana, caracterizadas pelo seu eufemismo, a prosa solta e autêntica caracterização.

Breve Antropologia, ou A Ciência do Homem

Naiden P. Stoianov (1830–1876) foi o autor de muitos livros didáticos búlgaros, mas é mais conhecido como um dos líderes da revolta do búlgaros contra o Governo Otomano em abril de 1876. Também conhecida como a revolta de Koprivshtitsa, uma das cidades na qual a insurreição se centralizou, a Revolta de Abril foi brutalmente esmagada pelos otomanos. Stoianov morreu na prisão depois de ser torturado. Ele foi aluno de Neofit Rilski e de Naiden Gerov, escritores líderes e luminares do Despertar Nacional da Bulgária no século XIX. Seu livro Breve Antropolgia, ou A Ciência do Homem, publicado em 1856, marcou o início do desenvolvimento da terminologia científica búlgara, e em particular de palavras descrevendo o corpo humano.

Ginásio Kekin. Vista da torre do campanário da Igreja de Todos os Santos. Rostov, a Grande

No começo do século XX, o fotógrafo russo Sergei Mikhailovich Prokudin-Gorskii (1863-1944), usou um processo especial de fotografia colorida para criar um registro visual do Império Russo. Algumas fotografias de Prokudin-Gorskii datam de 1905, mas a maior parte de seu trabalho é do período entre 1909 e 1915 quando, com o apoio do Czar Nicolau II e do Ministério dos Transportes, ele empreendeu extensas viagens por muitas partes diferentes do império.