Antiguidades de Samarcanda. Madrassa Shir Dar. Plano, elevação e seções

Este plano, seção e elevação da madrassa Shir Dar, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial à arquitetura islâmica de Samarcanda, como monumentos dos séculos XIV e XV do reinado de Timur (Tamerlão) e seus sucessores. No centro de Samarcanda está o conjunto de Registan, composto por três grandes exemplos de madrassa (escola religiosa). A mais antiga madrassa Registan foi construída entre 1417-1420 pelo rei estudioso Ulugh Beg, neto de Timur. O segundo exemplo, a madrassa Shir Dar, foi construída em 1619-1636, durante a dinastia astracã de Bucara. O formato desta madrassa é típico da Ásia Central: um portal imponente (iwan, ou saguão abobadado, com paredes em três lados e uma extremidade aberta) leva a um pátio retangular delimitado por uma arcada de dois andares com salas para aproximadamente 100 estudantes. O retângulo era delimitado por quatro minaretes e quatro cúpulas caneladas sobre as salas de instrução nos cantos. No lado oposto do portal há uma mesquita com cúpula. Cada um dos quatro lados possui um portal arqueado coberto com trabalho em cerâmica. Embora Shir Dar e seus minaretes tenham sofrido danos nesta zona de atividades sísmicas, a estrutura está relativamente bem preservada.

Antiguidades de Samarcanda. Madrassa de Ulugh Beg. Pátio interno (lado norte). Seção de uma coluna (pilar) ao lado do nicho principal

Esta fotografia de um detalhe no lado norte do pátio interno da madrassa de Ulugh Beg, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial à arquitetura islâmica de Samarcanda, como monumentos dos séculos XIV e XV do reinado de Timur (Tamerlão) e seus sucessores. No centro de Samarcanda está o conjunto de Registan, composto por três grandes exemplos de madrassa (escola religiosa). A madrassa mais antiga da Praça Registan recebeu o nome do rei astrônomo e neto de Timur, Ulugh Beg (1393?-1449), que a construiu entre 1417 e 1420. Durante o reinado de Ulugh Beg, aproximadamente 100 alunos frequentavam a madrassa, que era considerada um importante centro educacional islâmico. Esta imagem mostra uma coluna de cerâmica que emoldura o arco iwan (saguão abobadado, com paredes em três lados e uma extremidade aberta) na parede norte do pátio da madrassa. Apesar do dano à superfície, o trabalho policromado complexo está preservado e inclui padrões geométricos e botânicos. O trabalho em tiras em intersecção da coluna contém motivos florais, enquanto a parede pouco visível da esquerda parece incluir inscrições.

Antiguidades de Samarcanda. Madrassa de Ulugh Beg. Pátio interno (lado norte). Inscrição ao longo do lado direito do nicho do portal principal

Esta fotografia do lado norte do pátio interno da madrassa de Ulugh Beg, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial à arquitetura islâmica de Samarcanda, como monumentos dos séculos XIV e XV do reinado de Timur (Tamerlão) e seus sucessores. No centro de Samarcanda está o conjunto de Registan, composto por três grandes exemplos de madrassa (escola religiosa). A madrassa mais antiga da Praça Registan recebeu o nome do rei astrônomo e neto de Timur, Ulugh Beg (1393?-1449), que a construiu entre 1417 e 1420. Durante o seu reinado, a madrassa se tornou um importante centro educacional islâmico. Esta imagem mostra o lado direito (leste) do arco iwan (saguão abobadado, com paredes em três lados e uma extremidade aberta) no centro da parede norte do pátio da madrassa. Apesar do dano à superfície, o trabalho policromado complexo ainda é visível exibindo padrões geométricos e botânicos. A coluna de cerâmica complexa (lado esquerdo) no canto do nicho do arco possui motivos florais dentro do trabalho em tiras em intersecção. Na parede principal à direita da coluna há uma faixa de inscrição vertical com escrita estilizada e longa. Mais à direita há faixas ornamentais emoldurando painéis de cerâmica sobre uma galeria que continha salas para estudiosos.

Antiguidades de Samarcanda. Madrassa de Ulugh Beg. Coluna de mármore

Esta fotografia de uma parte da arcada do pátio na madrassa de Ulugh Beg, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial à arquitetura islâmica de Samarcanda, como monumentos dos séculos XIV e XV do reinado de Timur (Tamerlão) e seus sucessores. No centro de Samarcanda está o conjunto de Registan, composto por três grandes exemplos de madrassa (escola religiosa). A madrassa mais antiga da Praça Registan recebeu o nome do rei astrônomo e neto de Timur, Ulugh Beg (1393?-1449), que a construiu entre 1417 e 1420. Durante o reinado de Ulugh Beg, aproximadamente 100 alunos frequentavam a madrassa, considerada um importante centro educacional islâmico. Esta imagem mostra uma das salas, ou celas (khujras), para estudiosos no piso térreo da arcada do pátio. A fachada mostra uma decoração em faiança policromada com figuras geométricas e florais, enquanto o arco em ponta sai da coluna de cerâmica com uma base de mármore. Os flancos do nicho são cobertos por azulejos retangulares hachurados, criando inscrições cúficas em bloco da Kalima, a base da Chahada ou declaração islâmica de fé. O nicho também é coberto com azulejos de cerâmica em um padrão geométrico.

Antiguidades de Samarcanda. Madrassa de Ulugh Beg. Detalhe dos nichos inferiores dentre eles

Esta fotografia de um dos arcos iwan (saguão abobadado, com paredes em três lados e uma extremidade aberta) de menor importância na madrassa de Ulugh Beg em Samarcanda (Uzbequistão) faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial à arquitetura islâmica de Samarcanda, como monumentos dos séculos XIV e XV do reinado de Timur (Tamerlão) e seus sucessores. No centro de Samarcanda está o conjunto de Registan, composto por três grandes exemplos de madrassa (escola religiosa). A madrassa mais antiga da Praça Registan recebeu o nome do rei astrônomo e neto de Timur, Ulugh Beg (1393?-1449), que a construiu entre 1417 e 1420. Durante o reinado de Ulugh Beg, aproximadamente 100 alunos frequentavam a madrassa, que era considerada um importante centro educacional islâmico. Esta imagem mostra a parte superior de um arco iwan, parcialmente bloqueado, ao longo de um dos lados do pátio da madrassa. A fachada é decorada nas laterais com faixas verticais que exibem padrões geométricos complexos formados por azulejos monocromáticos em relevo. Essas faixas emolduram os painéis de cerâmica policromados nas laterais e ao redor da ponta do arco. A superfície interior do nicho é ornada com azulejos formando padrões de escrita em bloco. Na parte superior da fachada há outra inscrição monumental composta por azulejos de cerâmica.

Antiguidades de Samarcanda. Madrassa de Ulugh Beg. Fachada principal (lado leste). Inscrições nas paredes da fachada

Esta fotografia de um detalhe da fachada leste da madrassa de Ulugh Beg, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871 e 1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial à arquitetura islâmica de Samarcanda, como monumentos dos séculos XIV e XV do reinado de Timur (Tamerlão) e seus sucessores. No centro de Samarcanda está o conjunto de Registan, composto por três grandes exemplos de madrassa (escola religiosa). A madrassa mais antiga da Praça Registan recebeu o nome do rei astrônomo e neto de Timur, Ulugh Beg (1393?-1449), que a construiu entre 1417 e 1420. Durante o reinado de Ulugh Beg, matemáticos e astrônomos estavam entre os estudiosos que frequentavam a madrassa, que foi por muito tempo considerada um importante centro educacional islâmico. O fragmento de parede mostrado aqui se estende do grande arco iwan de entrada (saguão abobadado, com paredes em três lados, e uma extremidade aberta) até o pátio da madrassa. Apesar dos severos danos na fachada, esta imagem exibe ornamentação em cerâmica, com padrões geométricos formados por linhas em interseção. Dentro das figuras geométricas, há letras cúficas que formam palavras do Kalima, que é a base da Chahada, ou declaração de fé islâmica. O posicionamento inclinado dos azulejos cria uma superfície texturizada que enfatiza a estrutura monumental.

Antiguidades de Samarcanda. Madrassa de Ulugh Beg. Fachada principal (lado leste). Meio da inscrição

Esta fotografia de um detalhe da fachada leste da madrassa de Ulugh Beg, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871 e 1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial à arquitetura islâmica de Samarcanda, como monumentos dos séculos XIV e XV do reinado de Timur (Tamerlão) e seus sucessores. No centro de Samarcanda está o conjunto de Registan, composto por três grandes exemplos de madrassa (escola religiosa). A madrassa mais antiga da Praça Registan recebeu o nome do rei estudioso e neto de Timur, Ulugh Beg (1393?-1449), que a construiu entre 1417 e 1420. A madrassa por muito tempo foi considerada um importante centro educacional islâmico. Aqui é mostrado o arco de pedra em ponta, acima de um portal dentro do nicho do grande arco iwan (saguão abobadado, com paredes em três lados, e uma extremidade aberta), que possuia a entrada para o pátio da madrassa. Apesar dos grandes danos à fachada, esse fragmento exibe ornamentação policromada em cerâmica, incluindo complexas figuras geométricas (em ambos os lados do arco), bem como motivos florais e de gavinhas. Acima do arco, há uma complexa inscrição horizontal em cerâmica na escrita cursiva perso-árabe. Essas detalhadas fotografias sugerem uma dedicação ao cuidadoso estudo dos monumentos islâmicos.

Antiguidades de Samarcanda. Madrassa de Ulugh Beg. Entrada para a mesquita congregacional

Esta fotografia da mesquita da madrassa de Ulugh Beg, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial à arquitetura islâmica de Samarcanda, como monumentos dos séculos XIV e XV do reinado de Timur (Tamerlão) e seus sucessores. No centro de Samarcanda está o conjunto de Registan, composto por três grandes exemplos de madrassa (escola religiosa). A madrassa mais antiga da Praça Registan recebeu o nome do rei astrônomo e neto de Timur, Ulugh Beg (1393?-1449), que a construiu entre 1417 e 1420. Durante o reinado de Ulugh Beg, aproximadamente 100 alunos frequentavam a madrassa, que era considerada um importante centro educacional islâmico. Esta imagem mostra o arco iwan (saguão abobadado, com paredes em três lados e uma extremidade aberta) da mesquita, localizado na parede oeste do pátio da madrassa. Embora um grande dano estrutural (provavelmente decorrente de terremotos) tenha causado a perda da superfície de cerâmica na parte superior do iwan, as fachadas ainda mostram grandes áreas de decoração policromada, com uma mistura de motivos geométricos e botânicos. O arco é emoldurado por colunas de cerâmica, enquanto que as extremidades externas do iwan exibem faixas verticais ricamente ornamentadas. Em ambos os lados do iwan, há resquícios de uma arcada de dois andares que continha câmaras para os acadêmicos.

Antiguidades de Samarcanda. Madrassa de Ulugh Beg. Pátio interno (lado norte). Base da coluna no nicho do portal principal

Esta fotografia de um detalhe no lado norte do pátio interno da madrassa de Ulugh Beg, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial à arquitetura islâmica de Samarcanda, como monumentos dos séculos XIV e XV do reinado de Timur (Tamerlão) e seus sucessores. No centro de Samarcanda está o conjunto de Registan, composto por três grandes exemplos de madrassa (escola religiosa). A madrassa mais antiga da Praça Registan recebeu o nome do rei astrônomo e neto de Timur, Ulugh Beg (1393?-1449), que a construiu entre 1417 e 1420. Durante o seu reinado, a madrassa se tornou um importante centro educacional islâmico. Esta imagem mostra a base da coluna que emoldura o arco iwan (saguão abobadado, com paredes em três lados e uma extremidade aberta) no centro da parede norte do pátio da madrassa. A base complexa e segmentada no canto do arco é de mármore entalhado com incisões com motivos geométricos e foliados simples. Acima da base fica a parte inferior de uma coluna de cerâmica policromada contendo padrões geométricos e botânicos complexos. Alguns dos segmentos ornamentais em forma de folha da coluna foram perdidos. A fotografia mostra tentativas limitadas de reparar as paredes de tijolo inferiores, que perderam a maior parte de sua superfície decorativa original.

Antiguidades de Samarcanda. Madrassa de Ulugh Beg. Fachada principal (lado leste). Porta para o pátio interno

Esta fotografia de uma porta que leva ao pátio interno da madrassa de Ulugh Beg, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871 e 1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial à arquitetura islâmica de Samarcanda, como monumentos dos séculos XIV e XV do reinado de Timur (Tamerlão) e seus sucessores. No centro de Samarcanda está o conjunto de Registan, composto por três grandes exemplos de madrassa (escola religiosa). A madrassa mais antiga da Praça Registan recebeu o nome do rei astrônomo e neto de Timur, Ulugh Beg (1393?-1449), que a construiu entre 1417 e 1420 e é conhecido por ter lecionado lá. Durante o reinado de Ulugh Beg, matemáticos e astrônomos, como Kazi-Zade Rumi, estavam entre os estudiosos que frequentavam a madrassa, que era considerada um importante centro educacional islâmico. As portas de madeira mostradas aqui fazem parte da parede oriental da madrassa, cujo centro é ocupado pelo grande arco iwan de entrada (saguão abobadado, com paredes em três lados, e uma extremidade aberta). Os painéis da porta exibem um entalhe elaborado, com padrões geométricos (no topo) e motivos botânicos curvilíneos. Na parte inferior, há inscrição perso-árabe em estilo cursivo. As portas são ajustadas em uma moldura complexamente entalhada que, por sua vez, leva à ornamentação cerâmica da fachada do portal.