14 de janeiro de 2013

Antiguidades de Samarcanda. Mausoléu do Santo Xeique Nuredin Basir Kutbi-Chaardakhum. Vista geral do sul

Esta fotografia de um Mausoléu no palácio do emir Bukhara, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial ao patrimônio arquitetônico islâmico de Samarcanda. No centro desta imagem está um mausoléu dedicado ao líder espiritual Xeique Nuredin Basir. Embora sem a complexidade dos mausoléus centralizados do século XV, como o Rukhabad, esta estrutura alcança uma forma monumental com o projeto de sua alta cúpula, sustentada por uma dupla construção no interior. Apesar dos danos claramente visíveis à superfície de ladrilho da cúpula, o cilindro de sustentação está em boas condições, com uma grande faixa de inscrição em cerâmica intacta. O mausoléu está localizado próximo ao palácio dos emires de Bucara, que governaram Samarcanda após a expulsão dos Timúridas, no início do século XVI. O palácio foi referido como "Kok Tash", que era o nome do trono de Tamerlão (Timur), que construiu uma cidadela em Samarcanda. De interesse especial nesta fotografia está a linha de canhões e o guarda russo (em túnica branca), uma indicação da captura de Samarcanda pelas forças russas em 1868.

Antiguidades de Samarcanda. Santuário de Chupan-Ata. Vista geral do sudoeste

Esta fotografia do Mausoléu de Chupan-Ata, nos arredores de Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial ao patrimônio arquitetônico islâmico de Samarcanda. Esta imagem do Mausoléu de Chupan-Ata (mazar) do século XV revela danos severos à estrutura e à cúpula, bem como à parede adjacente de tijolo seco ao sol (adobe). A posição elevada da estrutura pode ter aumentado o risco de danos nesta zona sísmica ativa, porém a cúpula alta, sobre um cilindro, está estruturalmente intacta. O nome do mazar significa “pai dos pastores”, uma referência a um culto popular local. Nenhum traço da decoração em cerâmica permanece; o exterior parece ter sido revestido com material de estuque como uma medida de conservação. O mausoléu tem um design centralizado, com quatro arcos que saem da estrutura cuboide de base e dos cantos chanfrados que reforçam o cilindro sob a cúpula. A figura de pé, no telhado, dá uma ideia da escala. O solo seco ao sol parece estar cheio de cascalho de tijolo.

Antiguidades de Samarcanda. Mesquita de Khodzha Akhrar. Nicho de oração (mihrab) na mesquita

Esta fotografia do Santuário de Khodzha Akhrar, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial ao patrimônio arquitetônico islâmico de Samarcanda. Dedicado à memória do renomado místico do século XV, Khodzha Akhrar (1403-1489), o santuário continha várias estruturas, incluindo uma mesquita de verão e uma de inverno, bem como um minarete e um cemitério. É mostrado aqui o nicho de mihrab (mostrando a direção para Meca) na mesquita de verão, assim chamada porque seu pavilhão tem um lado aberto para o pátio. O mihrab encontra-se em uma luxuosa exposição de trabalho em cerâmica policromada que inclui mosaicos em faiança. A cor primária é azul escuro, com detalhes em amarelo, laranja e branco. Este espaço sagrado é definido por uma rede de faixas de inscrição em cerâmica em uma escrita perso-árabe cursiva e alongada (Thuluth). O arco com pontas está emoldurado por uma inscrição exterior que se estende até o topo da parede. O arco com pontas leva a um painel com faiança com motivos florais, acima do qual está um quadrado da inscrição que, por sua vez, contém um quadrado menor com texto sagrado em árabe. Os painéis são circundados com faixas padronizadas.

Antiguidades de Samarcanda. Mesquita de Khodzha Akhrar. Vista geral da cripta do Santo Khodzha Akhrar e da mesquita

Esta fotografia do Santuário de Khodzha Akhrar, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial ao patrimônio arquitetônico islâmico de Samarcanda. O santuário contém várias estruturas dedicadas à memória do renomado místico do século XV, Khodzha Akhrar (1403-1489). Os principais componentes são as mesquitas de inverno e de verão. A mesquita de versão, visível no fundo, foi construída de tijolo seco. Seu pórtico do iwan (saguão abobadado, com paredes em três lados, e uma extremidade aberta), sustentado por colunas de madeira em bases de mármore, culmina em uma cornija decorada com entalhe complexo, incluindo um padrão “estalactite”. O conjunto também incluía um lago de jardim e um cemitério para líderes religiosos proeminentes. Esta vista do cemitério mostra sarcófagos de mármore e marcadores de sepultura com entalhes e inscrições decorativas. Embora os túmulos estejam um pouco desalinhados, o cemitério ainda assim manteve sua importância como um local de peregrinação e oração. A figura sentada à direita está engajada em ler o que provavelmente seria um texto de devoção. Sua barba longa e o turbante branco sugerem o status de um mulá.

Antiguidades de Samarcanda. Mesquita de Khodzha Abdu-Berun. Túmulo (sagana) do santo

Esta fotografia de uma sepultura no Complexo Memorial de Khodzha Abdu-Berun, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial ao patrimônio arquitetônico islâmico de Samarcanda. O conjunto de Khodzha Abdu-Berun foi dedicado a um juiz árabe do clã Abdi, reverenciado no século IX. A palavra berun (externo) foi adicionada para simbolizar seu local adjacente a um cemitério nos arredores de Samarcanda e para diferenciá-lo de outro conjunto que celebrava o sábio localizado dentro da cidade A khanaka, ou mesquita memorial, foi construída na primeira metade do século XVII por Nadir Divan-Begi, vizir do governante de Búcara Iman-Quli Khan. É mostrada aqui a dakhma, ou sepultura do santo, uma forma retangular simples com pontas elevada em uma estilóbata revestida com pedra. No fundo está a mesquita aberta de verão do conjunto. A mesquita memorial está à esquerda, mas somente seu pórtico de tijolo é visível, não a estrutura em si. À direita está um lago de jardim (também não visível), que criava um oásis de plantas verdes no local. O conjunto significa a antiguidade da lei islâmica nesta área.

Antiguidades de Samarcanda. Mesquita de Khodzha Abdu-Berun. Nicho de oração (mihrab) em um painel do arco principal da fachada

Esta fotografia do mausoléu no complexo Memorial de Khodzha Abdu-Berun, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial ao patrimônio arquitetônico islâmico de Samarcanda. O Complexo Memorial de Khodzha Abdu-Berun (khanaka) foi dedicado a um juiz árabe do clã Abdi, reverenciado no século IX. A palavra berun (externo) foi adicionada para simbolizar seu local adjacente a um cemitério nos arredores de Samarcanda e para diferenciá-lo de outro complexo que celebrava o sábio localizado dentro da cidade. A mesquita de khanaka foi construída na primeira metade do século XVII por Nadir Divan-Begi, vizir do governante de Búcara Iman-Quli Khan. É mostrada aqui a parede de qibla com o mihrab, um nicho de oração que indica a qibla, a direção de Meca. O nicho de mihrab é revestido com ladrilhos em cerâmica. Acima da decoração em cerâmica, ao redor de seu arco com pontas, está uma inscrição sagrada em escrita cursiva. O mihrab é emoldurado por uma faixa de inscrição em letras cúficas em bloco. Na parte superior está outra inscrição em escrita perso-árabe cursiva alongada (Thuluth).