29 de janeiro de 2013

Antiguidades de Samarcanda. Madrassa de Ulugh Beg. Inscrição no nicho principal em sua parte superior. Fim

Esta fotografia dos painéis cerâmicos da madrassa Ulugh Beg, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871 e 1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial à arquitetura islâmica de Samarcanda, como monumentos dos séculos XIV e XV do reinado de Timur (Tamerlão) e seus sucessores. No centro de Samarcanda está o conjunto de Registan, composto por três grandes exemplos de madrassa (escola religiosa). A madrassa mais antiga da Praça Registan recebeu o nome do rei astrônomo e neto de Timur, Ulugh Beg (1393?-1449), que a construiu entre 1417 e 1420. Durante o reinado de Ulugh Beg, aproximadamente 100 alunos frequentavam a madrassa, considerada um importante centro educacional islâmico. Os painéis cerâmicos mostrados aqui são da parte superior do nicho do pátio do grande arco do iwan (saguão abobadado, com paredes em três lados, e uma extremidade aberta). O delicado trabalho policromado inclui um painel de inscrição em escrita perso-árabe alongada, com intrincados motivos florais. Abaixo da inscrição, há outro painel de faiança com figuras geométricas em um padrão de gavinhas. Ambos os painéis são emoldurados por faixas de padrões geométricos e florais. No topo da fotografia, é possível ver elementos cerâmicos que compõem a base da abóboda do nicho. A cor dominante é o azul escuro.

Antiguidades de Samarcanda. Madrassa de Ulugh Beg. Inscrição no nicho principal em sua parte superior. Lado direito

Esta fotografia dos painéis cerâmicos da madrassa Ulugh Beg, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871 e 1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial à arquitetura islâmica de Samarcanda, como monumentos dos séculos XIV e XV do reinado de Timur (Tamerlão) e seus sucessores. No centro de Samarcanda está o conjunto de Registan, composto por três grandes exemplos de madrassa (escola religiosa). A madrassa mais antiga da Praça Registan recebeu o nome do rei astrônomo e neto de Timur, Ulugh Beg (1393?-1449), que a construiu entre 1417 e 1420. Durante o reinado de Ulugh Beg, aproximadamente 100 alunos frequentavam a madrassa, considerada um importante centro educacional islâmico. Os painéis cerâmicos mostrados aqui são do canto superior esquerdo do nicho do pátio do grande arco do iwan (saguão abobadado, com paredes em três lados, e uma extremidade aberta). O delicado trabalho policromado inclui um painel de inscrição em escrita perso-árabe alongada, com intrincados motivos florais. Abaixo da inscrição, há outro painel de faiança com figuras botânicas, em arranjo geométrico. Ambos os painéis são emoldurados por faixas de padrões geométricos e florais. No topo da fotografia, é possível ver elementos cerâmicos que compõem a base da abóboda do nicho. A cor dominante é o azul escuro.

Antiguidades de Samarcanda. Madrassa de Shaybani Khan e ruínas do túmulo de Kuchkunji Khan. Vista do pátio interno e da cripta de Shaybani Khan

Esta fotografia da madrassa de Shaybani Khan, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. O levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871 e 1872, sob o patrocínio do general Konstantin P. von Kaufman, o primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial ao patrimônio arquitetônico islâmico de Samarcanda. Muhammad Shaybani, posteriormente conhecido como Shaybani Khan (1451-1510), foi o fundador da curta dinastia uzbeque Shaybanid. Em 1500, e novamente em 1505, ele tomou Samarcanda do governador timúrida Babur. Em 1510, Shaybani Khan foi morto na batalha dos Merv com o Xá da Pérsia Ismail I. Seu corpo decapitado foi levado de volta à Samarcanda para o enterro. A madrassa (escola religiosa) fundada em sua homenagem possuia um pátio cercado em três lados por celas claustro térreas (khujras) para os acadêmicos. Uma parte da abóboda do telhado dessas khujras pode ser vista no canto inferior direito desta imagem. No centro, há um terreno elevado com sarcófagos de pedra levemente desalinhados. À esquerda, está a fachada de entrada do pátio com sua própria arcada. Perto dali, ficam as ruínas do mausoléu de Kuchkunji Khan, sucessor de Shaybani Khan. No plano de fundo, há um aglomerado de pátios e casas de tijolo de argila seco ao sol (adobe) cujos telhados planos são sustentados por vigas de madeira.

Antiguidades de Samarcanda. Pátio interno da madrassa de Shir Dar (lado leste). Vista das celas em dois andares que cercam o pátio interno

Esta fotografia do lado leste do pátio interno da madrassa Shir Dar, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871 e 1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial à arquitetura islâmica de Samarcanda, como monumentos dos séculos XIV e XV do reinado de Timur (Tamerlão) e seus sucessores. No centro de Samarcanda está o conjunto de Registan, composto por três grandes exemplos de madrassa (escola religiosa). A segunda madrassa do conjunto, a Shir Dar, foi construída entre 1619-1636, durante a dinastia de Astracã. Apesar dos danos significativos sofridos ao longo dos séculos, o local continua sendo um dos monumentos mais ricamente ornamentados na Ásia Central. Aqui se vê uma imagem do pátio de uma estrutura de dois andares com arcos ladeados por faixas cerâmicas policromadas compostas por complexas figuras decorativas. Além desses arcos, havia câmeras projetadas para os acadêmicos.

Antiguidades de Samarcanda. Madrassa de Tillia Kari. Fachada principal (sul). Detalhes dos cantos dos nichos das janelas

Esta fotografia de um detalhe da entrada principal da madrassa de Tillia Kari, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871 e 1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial à arquitetura islâmica de Samarcanda, como monumentos dos séculos XIV e XV do reinado de Timur (Tamerlão) e seus sucessores. No centro de Samarcanda está o conjunto de Registan, composto por três grandes exemplos de madrassa (escola religiosa). O terceiro componente de Registan, a madrassa de Tillia Kari, foi construída entre 1646 e 1660 no local de um antigo caravançará. A entrada para o pátio retangular é emoldurada por um grande iwan (saguão abobadado, com paredes em três lados, e uma extremidade aberta). Esta imagem mostra um detalhe da arcada na parte superior do nicho poligonal do iwan. O canto triangular está no lado esquerdo de um arco com ponta, que forma um dos nichos da arcada. O mosaico do trabalho policromado em majólica contém não apenas padrões florais, geométricos e de gavinhas, mas também escrita cursiva árabe dentro da figura de oito lóbulos. O mosaico é emoldurado por azulejos de cerâmica que contornam a estrutura. Essas fotografias detalhadas indicam a importante finalidade documental deste álbum e o domínio técnico de seus fotógrafos.

Antiguidades de Samarcanda. Madrassa de Tillia Kari. Fachada principal (sul). Meio. Inscrição na parte interna no nicho principal e em sua parte superior

Esta fotografia da entrada principal da madrassa de Tillia Kari, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871 e 1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial à arquitetura islâmica de Samarcanda, como monumentos dos séculos XIV e XV do reinado de Timur (Tamerlão) e seus sucessores. No centro de Samarcanda está o conjunto de Registan, composto por três grandes exemplos de madrassa (escola religiosa). O terceiro componente de Registan, a madrassa de Tillia Kari, foi construída entre 1646 e 1660 no local de um antigo caravançará. A entrada para o pátio retangular é emoldurada por um grande iwan (saguão abobadado, com paredes em três lados, e uma extremidade aberta), flanqueado por uma arcada de dois andares com câmaras para os estudiosos. Esta imagem mostra a parte superior do nicho do iwan, incluindo uma parte do conjunto da arcada dentro do nicho poligonal. Os arcos com pontas emolduram as portas e as janelas com padrão de treliça. Esta complexa superfície é coberta por azulejos policromados em majólica em padrões geométricos e botânicos. A arcada culmina em uma faixa de inscrição horizontal em estilo cursivo. Apesar da relativamente boa preservação do trabalho em cerâmica, as abóbadas superiores são desprovidas de decoração.