29 de janeiro de 2013

Antiguidades de Samarcanda. Madrassa de Nadir Divan-Begi, mesquita congregacional (mesquita de sexta-feira). Entrada para a mesquita

Esta fotografia da madrassa de Nadir Divan-Begi, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871 e 1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial ao patrimônio arquitetônico islâmico de Samarcanda. Localizada ao lado do santuário de Khodzha Akhrar, esta madrassa (escola religiosa) foi concluída em 1631 por Nadir Divan-Begi, vizir do governante de Bucara Imam-Quli Khan. A madrassa foi planejada como um pátio retangular, com a mesquita na extremidade da entrada. Esta imagem mostra a fachada principal da mesquita, com um arco iwan (saguão abobadado, com paredes em três lados, e uma extremidade aberta). No centro no nicho do iwan, está o arco do portal (peshtak) ladeado por cerâmica em faiança e uma janela de treliça acima. O peshtak é emoldurado por padrões botânicos, enquanto a área acima do arco com ponta é coberta por um trabalho em faiança e uma faixa de inscrição horizontal. A parede traseira do nicho do iwan exibe azulejos em padrões geométricos, incluindo letras cúficas em blocos que formam palavras do Kalima, a base da Chahada, ou declaração da fé islâmica. A fachada principal surge da base de mármore em uma impressionante exibição de mosaicos de faiança e padrões geométricos. Em ambos os lados, há um claustro de um andar com arcada.

Antiguidades de Samarcanda. Madrassa de Nadir Divan-Begi. Porta interna. Inscrição acima da entrada para as celas

Esta fotografia da mesquita da madrassa de Nadir Divan-Begi, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871 e 1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial ao patrimônio arquitetônico islâmico de Samarcanda. Localizada ao lado do santuário de Khodzha Akhrar, esta madrassa (escola religiosa) foi concluída em 1631 por Nadir Divan-Begi, vizir do governante de Bucara Imam-Quli Khan. A madrassa foi planejada como um pátio retangular cercado por um claustro de um andar com arcada para estudiosos e uma mesquita de frente para a entrada principal, na outra extremidade. Esta imagem turva e com pouco foco mostra a parte superior da parede dentro do nicho formado por um dos arcos do claustro. Aqui pode ser vista uma parte da janela de treliça, acima da porta para cela do claustro(khujra). A janela era originalmente emoldurada por uma borda cerâmica policromada com motivos florais. Ao lado da janela há uma inscrição em escrita perso-árabe cursiva.

Antiguidades de Samarcanda. Madrassa de Nadir Divan-Begi. Porta interna. Inscrição acima da entrada para a cela

Esta fotografia da mesquita da madrassa de Nadir Divan-Begi, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871 e 1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial ao patrimônio arquitetônico islâmico de Samarcanda. Localizada ao lado do santuário de Khodzha Akhrar, esta madrassa (escola religiosa) foi concluída em 1631 por Nadir Divan-Begi, vizir do governante de Bucara Imam-Quli Khan. A madrassa foi planejada como um pátio retangular cercado por um claustro de um andar com arcada para estudiosos e uma mesquita na extremidade oposta da entrada principal. Esta imagem mostra a parte superior da parede dentro do nicho formado por um dos arcos do claustro. Na parte inferior está uma parte da janela de treliça, acima da porta para cela do claustro (khujra). A janela é emoldurada por uma borda cerâmica policromada com motivos florais. Acima da janela há uma inscrição horizontal em escrita perso-árabe clara e escura, escrita em dois níveis. A parede do nicho maior em torno desses elementos centrais também é coberta por padrões florais em faiança. Essa variedade de ornamentação cerâmica certamente tinha a finalidade de sugerir a entrada para o Jardim do Paraíso.

Antiguidades de Samarcanda. Madrassa de Nadir Divan-Begi. Porta interna. Imagem das celas térreas em torno do pátio interno

Esta fotografia da madrassa de Nadir Divan-Begi, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871 e 1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial ao patrimônio arquitetônico islâmico de Samarcanda. Localizada ao lado do santuário de Khodzha Akhrar, esta madrassa (escola religiosa) foi concluída em 1631 por Nadir Divan-Begi, vizir do governante de Bucara Imam-Quli Khan. A madrassa foi planejada como um pátio retangular cercado por um claustro de um andar com arcada para estudiosos e uma mesquita em uma das extremidades. Esta imagem mostra três celas (khujras) no lado esquerdo do claustro sul. Cada cela com arco tem uma janela de treliça acima da porta inferior. As figuras em pé dão uma ideia da escala. Embora a fachada mostre importantes perdas da ornamentação cerâmica, fica claro que os nichos em arco, bem como a fachada externa, foram cobertas por uma rica gama de azulejos policromados com motivos florais e geométricos. A parte inferior da parede era originalmente coberta por pedras. Uma passagem de tijolos eleva a arcada do pátio pavimentado. À extrema direita está a borda do arco iwan, no centro do claustro sul.

Antiguidades de Samarcanda. Madrassa de Tillia Kari. Pátio interno (lado norte). Vista das celas de um andar que cercam o pátio

Esta fotografia da parede norte do pátio da madrassa de Tillia Kari, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871 e 1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial à arquitetura islâmica de Samarcanda, como monumentos dos séculos XIV e XV do reinado de Timur (Tamerlão) e seus sucessores. No centro de Samarcanda está o conjunto de Registan, composto por três grandes exemplos de madrassa (escola religiosa). O terceiro componente de Registan, a madrassa de Tillia Kari, foi construída entre 1646 e 1660 no local de um antigo caravançará. Esta imagem mostra uma construção térrea com arcadas que contém câmaras para estudiosos, situada à esquerda do arco iwan (saguão abobadado, com paredes em três lados, e uma extremidade aberta), no centro da parede norte do pátio. Apesar das perdas significativas, a fachada e os nichos do arco exibem resquícios da ornamentação em cerâmica policromada original, que inclui complexas figuras geométricas, bem como motivos botânicos. As fachadas do nicho também contêm faixas de inscrição. Cada nicho do arco tem uma janela de treliça acima da porta para melhorar a ventilação, e a arcada em si protege as câmaras contra o sol. Os nichos culminam em abóbodas curvadas formadas por componentes cerâmicos conhecidos como mocárabe ou “estalactite”.

Antiguidades de Samarcanda. Madrassa de Tillia Kari. Pátio interno (lado norte). Vista do grande nicho intermediário

Esta fotografia da parede norte do pátio da madrassa de Tillia Kari, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871 e 1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial à arquitetura islâmica de Samarcanda, como monumentos dos séculos XIV e XV do reinado de Timur (Tamerlão) e seus sucessores. No centro de Samarcanda está o conjunto de Registan, composto por três grandes exemplos de madrassa (escola religiosa). O terceiro componente de Registan, a madrassa de Tillia Kari, foi construída entre 1646 e 1660 no local de um antigo caravançará. Esta imagem mostra o arco do iwan (saguão abobadado, com paredes em três lados, e uma extremidade aberta) no centro da parede norte do pátio. Apesar das perdas significativas, a parte superior da fachada exibe resquícios da ornamentação em cerâmica policromada original. O sistema de decoração inclui complexas figuras geométricas, bem como motivos botânicos. O arco grande culmina em uma abóboda curvada formada por componentes cerâmicos suspensos, conhecidos como mocárabe ou “estalactite”. O arco é ladeado por faixas de inscrição verticais, enquanto o topo da fachada é marcado por uma inscrição horizontal em um elaborado estilo cursivo. Em ambos os lados do arco, há uma arcada térrea que contém câmaras para os estudiosos.