Prédios com Telhados de Sapé no Edifício Palm Grove com Pessoas Reunidas a Cerca de Árvores e Edifício

O Bikini Atoll nas Ilhas Marshall foi cenário dos primeiros testes atômicos pós II Guerra Mundial, realizados pelos Estados Unidos para determinar os efeitos de armas nucleares sobre navios militares. Esta fotografia, parte do registro da operação feita pelos E.U. Forca Aérea, mostra pessoas observando do interior de uma típica construção com teto de palha em Bikini. Antes dos testes, todos os 167 moradores de Bikini foram evacuados de sua ilha natal. Por conta dos altos níveis de radiação causados pelas explosões em Bikini, nem eles nem seus descendentes jamais puderam retornar. Após a II Guerra Mundial, as Ilhas Marshall faziam parte do Território Custodiado das Ilhas do Pacífico, administrado pelos Estados Unidos sob um mandato das Nações Unidas. Em 1986, a República das Ilhas Marshall tornou-se um país independente sob um Pacto de Livre Associação com os Estados Unidos.

Por muito tempo um Mistério Pacífico, a Base Naval Secreta em Truk é Batido por Avengers, Fevereiro 1944

Esta ilustração mostra os aviões da Marinha dos E.U.A. sobrevoando a Ilha de Truk nos Estados Federados da Micronésia durante a Segunda Guerra Mundial. A destruição da base naval japonesa em Truk foi parte importante da estratégia americana na região do Pacífico. Causou também um profundo efeito nos habitantes indígenas, que envolveram-se em combates que duraram de fevereiro de 1944 até o final da guerra. Os aviões que aparecem são os bombardeiros torpedo Avenger que pela primeira vez entraram em ação na Batalha de Midway, em 1942. A ilustração é de Frank Lemon, um artista que produziu aquarelas e litografias da aviação para a empresa Wright Aeronautical Corporation de Paterson,em Nova Jersey, fabricante do motor Cyclone que impulsionava o  Avenger. Os mais de 50 navios naufragados na Lagoa de Truk constituem, agora, o primeiro site histórico submerso da Segunda Guerra Mundial no Pacífico.

Operações Contra os Japoneses nas Ilhas Arundel e Sagekarsa

Esta fotografia da Segunda Guerra Mundial mostra soldados americanos atravessando com dificuldade as águas de uma ilha do grupo Nova Georgia das Ilhas Salomão. Eles fazem parte da Operação Cartwheel, um esforço lideradopelos Estados Unidos, apoiados pelas forças da Austrália, Nova Zelândia e Holanda, para neturalizar a principal base japonesa em Rabaul, Papua Nova Guiné, através do avanço em duas direções: do oeste, ao longo da costa nordeste da Nova Guiné e do leste, através das Ilhas Salomão. A fotografia é do sargento John Bushemi (1917-44), um fotógrafo da revista do exercito americano Yank. Filho de imigrantes italianos de Gary, Indiana, Bushemi iniciou sua carreira como fotógrafo para o jornal Gary Post-Tribune. Em julho de 1941, alistou-se no exército e, em junho de 1942 foi designado para a Yank para cobrir a guerra no Pacífico. Ele foi morto em 19 de fevereiro de 1944, alguns meses após ter tirado esta foto, enquanto filmava o desembarque das forças dos Estados Unidos na Ilha de Eniwetok.

No Aeródromo de Amã. Coronel Laurence (T.E. Lawrence). Sir Herbert Samuel. Amir Abdullah. Abril de 1921

No final da Primeira Guerra Mundial, os aliados vitoriosos escolheram a Grã-Bretanha, como a potência mandatária da Palestina, Transjordânia e Iraque, todos antigos territórios do Império Otomano, que, com a Alemanha, haviam sidos derrotados na guerra. Em abril de 1921, os britânicos convocaram reuniões de funcionários árabes e britânicos no acampamento do Amir Abdullah ibn Hussein em Aman, no decurso do qual o Alto Comissário Inglês Herbert Samuel proclamou o Amir Abdullah como o governante do novo Emirado da Transjordânia. Esta fotografia, tirada em umas dessas reuniões, mostra o Coronel T. E. Lawrence, Samuel e Amir Abdullah. O homem no extremo direito é, possivelmente, o Sheik Majid Adwan e a mulher na extrema esquerda é, possivelmente, Gertrude Bell. Lawrence, mais popularmente conhecido como "Lawrence da Arábia", deu o pontapé inicial a uma revolta árabe contra os otomanos. Bell foi uma escritora e arqueóloga que, com Lawrence, exerceu um papel importante na fundação dos Estados Pós-Otomano na Jordânia e no Iraque. A fotografia é do setor de fotografia da colônia americana em Jerusalém, uma comunidade cristã utópica criada em 1881 e que nos anos subsequentes desenvolveu um importante arquivo sobre o Oriente Médio. Faz parte de um álbum nos documentos de John D. Whithing, um membro da colônia americana em Jerusalém, e nas coleções da Biblioteca do Congresso.

Formação de Beduínos, a Cavalo, com Fuzis

No final da Segunda Guerra Mundial, os aliados vitoriosos nomearam a Grã-Bretanha país mandatário da Palestina, Transjordânia e Iraque, todos antigos territórios do Império Otomano, o qual, com a Alemanha, havia sido derrotado na guerra. Em abril de 1921, os britânicos convocaram reuniões de funcionários árabes e britânicos no acampamento do Amir Abdullah ibn Hussein em Aman, no decurso do qual o alto comissário inglês Herbert Samuel proclamou o Amir Abdullah como o governante do novo Emirado da Transjordânia. Esta fotografia, tirada em uma dessas reuniões, mostra uma fileira de homens beduínos a cavalos e carregando espingardas. A fotografia é do setor de fotografia da colônia americana em Jerusalém, uma comunidade cristã utópica criada em 1881 e que nos anos subsequentes desenvolveu um importante arquivo sobre o Oriente Médio. Faz parte de um álbum nos documentos de John D. Whithing, um membro da colônia americana em Jerusalém, e nas coleções da Biblioteca do Congresso.

Árabes Correndo à Cavalo Enquanto a Multidão Observa, Tendas ao Fundo

No final da Primeira Guerra Mundial, os aliados vitoriosos escolheram a Grã-Bretanha, como a potência mandatária da Palestina, Transjordânia e Iraque, todos antigos territórios do Império Otomano que, com a Alemanha, havia sido derrotado na guerra. Em abril de 1921, os britânicos convocaram reuniões de funcionários árabes e britânicos no acampamento do Amir Abdullah ibn Hussein em Aman, no decurso do qual o Alto Comissário Inglês Herbert Samuel proclamou o Amir Abdullah como o governante do novo Emirado da Transjordânia. Esta fotografia, tirada em uma dessas reuniões, mostra um grupo de homens árabes em uma corrida de cavalos sob o olhar de uma multidão. A fotografia é do setor de fotografia da colônia americana em Jerusalém, uma comunidade cristã utópica criada em 1881 e que nos anos subsequentes desenvolveu um importante arquivo sobre o Oriente Médio. Faz parte de um álbum nos documentos de John D. Whithing, um membro da colônia americana em Jerusalém, das coleções da Biblioteca do Congresso.

O Guarda-Costas de Amir Abdullah's Bodyguard em Camelos, de Uniforme Vermelho, Verde e Branco, Mais Longe, à Esquerda

No final da Primeira Guerra Mundial, os aliados vitoriosos escolheram a Grã-Bretanha, como a potência mandatária da Palestina, Transjordânia e Iraque, todos antigos territórios do Império Otomano que, com a Alemanha, havia sido derrotado na guerra. Em abril de 1921, os britânicos convocaram reuniões de funcionários árabes e britânicos no acampamento do Amir Abdullah ibn Hussein em Aman, no decurso do qual o Alto Comissário Inglês Herbert Samuel proclamou o Amir Abdullah como o governante do novo Emirado da Transjordânia. Esta fotografia, tirada nessas reuniões, mostra a guarda de segurança do Amir Abdullah, montada em camelos. A fotografia é do setor de fotografia da colônia americana em Jerusalém, uma comunidade cristã utópica criada em 1881 e que nos anos subsequentes desenvolveu um importante arquivo sobre o Oriente Médio. Faz parte de um álbum nos documentos de John D. Whithing, um membro da colônia americana em Jerusalém, e nas coleções da Biblioteca do Congresso.

Samoanos Posando em Frente à uma Cabana com Telhado de Folhas de Palmeira e Palha

Esta fotografia do início do século XX mostra um grupo de pessoas em uma das ilhas do arquipélago samoano, que está localizado ao sul do Equador entre o Havaí e a Nova Zelândia. Os samoanos são um povo da Polinésia, famosos por suas habilidades marítimas. A fotografia é de A.J. Tattersall, que escreveu no verso: "Ficam todos advertidos a respeito do uso desta cópia sem a minha autorização" A.T., Foto, Samoa." Tattersall nasceu em Auckland, Nova Zelândia, em 1861, e trabalhou para firmas de fotografia em Auckland antes de partir para Apia, Samoa, a fim de trabalhar para o fotógrafo comercial J. Davis. Após a morte de Davis em 1893, Tattersall assumiu a firma.  Pelos termos de um tratado de 1899 assinado pela Grã Bretanha, Alemanha e Estados Unidos, as partes do grupo samoano a oeste da longitude 171º foram cedidos para a Alemanha. Após a Segunda Guerra Mundial, quando a Alemanha foi despojada de suas colônias, a Nova Zelândia administrou as ilhas sob mandatos da Liga da Nações e das Nações Unidas até 1962, quando foi constituído o estado independente da Samoa Ocidental.

Grande, Edifício de Madeira do Estilo-Ocidental Sobre o Porto do Monte Pequeno, Samoa

Esta fotografia do início de século XX mostra a mansão do governador no Togo Togo Ridge em Utulei, Samoa Americana, com vista para o porto de Pago Pago. A mansão serviu como residência de todos os governadores da Samoa Americana, militares e civis, desde a sua construção em 1903 até o presente. A fotografia é de A.J. Tattersall, que escreveu na contra-capa: "Ficam todos advertidos a respeito do uso desta cópia sem minha expressa autorização. A.T., Foto, Samoa." Tattersall nasceu em Auckland, Nova Zelândia, em 1861, e foi contratado por empresas fotográficas de Auckland antes de ir para Apia, Samoa, para trabalhar com o fotógrafo comercial J. Davis. Após a morte de Davis em 1893, Tattersall assumiu sua empresa. Os E.U. Marinha estabeleceu uma carvoaria em Pago Pago em 1878. Nos termos de um tratado de 1899 assinado pela Grã-Bretanha, Alemanha, e Estados Unidos, todas as partes do grupo Samoano a leste da longitude 171º oeste foram cedidos aos Estados Unidos, as que ficavam a oeste desta linha ficaram para a Alemanha. As ilhas ocidentais agora compõem o Estado Independente de Samoa (anteriormente conhecido como Samoa Ocidental), os que ficam a leste da Samoa Americana.

Canoa de Guerra, Vella Lavella

Esta fotografia mostra guerreiros ao lado de suas canoas de guerra na praia em Vella Lavella, uma das Ilhas Salomão. A fotografia foi tirada por Edward A. Salisbury (1875-1962), um explorador Americano, escritor, e produtor de filmes de viagem  que na década de 1920 publicou várias contas de suas expedições para o Pacífico Sul na Ásia: A Revista Americana do Oriente. O artigo de Salisbury, "Um Napoleão das Ilhas Salomão," que surgiu em uma edição de Setembro 1922 Ásia, era um retrato de Gau, o rei guerreiro de Vella Lavella. Salisbury descreveu as canoas de guerra como "magníficas peças de artesanato, de 35 a 50 metros de comprimento, comportando entre 40 a 100 homens e, embora sem forquilhas, com boa navegabilidade.... As laterais das canoas foram maravilhosamente incrustadas em conchas de pérolas com fantásticos desenhos. Tanto na proa quanto na popa esporões de doze-pés eram ornamentados com conchas de moluscos."