Antiguidades de Samarcanda. Mausoléu de Khodzha Abdu-Derun. Janela do túmulo do santo com vista para uma galeria chamada Ziaretga

Esta fotografia do Mausoléu de Khodzha Abdu-Derun, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial ao patrimônio arquitetônico islâmico de Samarcanda. O complexo memorial de Khodzha Abdu-Derun foi dedicado a um juiz árabe do clã Abdi, reverenciado no século IX. A palavra derun (interno) foi adicionada para simbolizar seu local dentro de Samarcanda e para diferenciá-lo de outro complexo que celebrava o sábio localizado fora da cidade. O mausoléu original em cúpula, provavelmente erguido no século XII, foi ampliado como um santuário de peregrinação no século XV. O complexo também incluía um lago de jardim no pátio, uma mesquita e um portão de entrada separado. A legenda diz que esta imagem, obtida de uma janela na sala de sepultamento, mostra uma galeria conectada a um ziaratkhana (um vestíbulo para prece ritual em um santuário de sepultamento). O homem com robe na galeria está usando um turbante branco, geralmente um símbolo de autoridade espiritual. No fundo, um portão de madeira leva a um quintal iluminado pelo sol.

Antiguidades de Samarcanda. Mausoléu do Xeique Burkhaneddin Kilich. Rukhabad. Vista geral

Esta fotografia do Mausoléu de Rukhabad, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial ao patrimônio arquitetônico islâmico de Samarcanda. No centro desta vista está o mausoléu conhecido como Rukhabad ("morada da alma"), uma estrutura em cúpula centralizada construída em 1380 para o sábio e místico Xeique Burkhaneddin Sagardzhi, uma proeminente figura islâmica em Beijing, local onde ele morreu. Ele pediu a seu filho que seu corpo retornasse para Samarcanda para sepultamento no mazar (mausoléu) do Xeique Basir, outro sábio. Uma estrutura monumental foi erguida subsequentemente no local por Timur (Tamerlão), que reverenciava o Xeique Sagardzhi. O conjunto de Rukhabad incluía um grande pátio fechado por um claustro, além de uma mesquita de verão (visível no lado esquerdo). A entrada para o conjunto é marcada por um portão com um arco com pontas (peshtak), ladeado por duas torres com cúpula. Uma das características notáveis desta fotografia é sua imagem complexa de uma vizinhança urbana com pátios e casas de paredes de tijolos secos ao sol (adobe) revestidas com argila. No fundo vê-se uma parte das muralhas da cidade.

Antiguidades de Samarcanda. Mausoléu do Santo Xeique Nuredin Basir Kutbi-Chaardakhum. Vista geral do sul

Esta fotografia de um Mausoléu no palácio do emir Bukhara, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial ao patrimônio arquitetônico islâmico de Samarcanda. No centro desta imagem está um mausoléu dedicado ao líder espiritual Xeique Nuredin Basir. Embora sem a complexidade dos mausoléus centralizados do século XV, como o Rukhabad, esta estrutura alcança uma forma monumental com o projeto de sua alta cúpula, sustentada por uma dupla construção no interior. Apesar dos danos claramente visíveis à superfície de ladrilho da cúpula, o cilindro de sustentação está em boas condições, com uma grande faixa de inscrição em cerâmica intacta. O mausoléu está localizado próximo ao palácio dos emires de Bucara, que governaram Samarcanda após a expulsão dos Timúridas, no início do século XVI. O palácio foi referido como "Kok Tash", que era o nome do trono de Tamerlão (Timur), que construiu uma cidadela em Samarcanda. De interesse especial nesta fotografia está a linha de canhões e o guarda russo (em túnica branca), uma indicação da captura de Samarcanda pelas forças russas em 1868.

Antiguidades de Samarcanda. Santuário de Chupan-Ata. Vista geral do sudoeste

Esta fotografia do Mausoléu de Chupan-Ata, nos arredores de Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial ao patrimônio arquitetônico islâmico de Samarcanda. Esta imagem do Mausoléu de Chupan-Ata (mazar) do século XV revela danos severos à estrutura e à cúpula, bem como à parede adjacente de tijolo seco ao sol (adobe). A posição elevada da estrutura pode ter aumentado o risco de danos nesta zona sísmica ativa, porém a cúpula alta, sobre um cilindro, está estruturalmente intacta. O nome do mazar significa “pai dos pastores”, uma referência a um culto popular local. Nenhum traço da decoração em cerâmica permanece; o exterior parece ter sido revestido com material de estuque como uma medida de conservação. O mausoléu tem um design centralizado, com quatro arcos que saem da estrutura cuboide de base e dos cantos chanfrados que reforçam o cilindro sob a cúpula. A figura de pé, no telhado, dá uma ideia da escala. O solo seco ao sol parece estar cheio de cascalho de tijolo.

Antiguidades de Samarcanda. Mausoléu de Tamerlão. Vista da fachada noroeste do mausoléu

Esta magnífica fotografia do Mausoléu de Gur-Emir, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dá atenção especial à herança arquitetônica islâmica de Samarcanda, incluindo Gur-Emir (persa para "túmulo do governante"). Embora seja principalmente conhecido como o local de sepultamento de Timur (Tamerlão), Gur-Emir foi iniciado por Timur, em 1403, para celebrar a morte de seu amado neto, Muhammad Sultan. Com o sepultamento do próprio Timur em 1405, Gur-Emir tornou-se de fato o mausoléu dos timúridas. Esta vista noroeste (o título fotográfico original, que chama de uma vista leste, está incorreto) do mausoléu inclui um canto do lado norte do arco iwan (saguão abobadado, com paredes em três lados, e uma extremidade aberta) à esquerda. Apesar dos vários danos nesta zona sísmica ativa, a parte central do conjunto permanece, incluindo o tambor e a grande cúpula canelada com revestimento de ladrilho em cerâmica. O tambor tem inscrições monumentais em escrita perso-árabe alongada, enquanto o minarete mostra escrita cúfica em blocos que forma palavras da proclamação de fé islâmica. Fragmentos de ornamentação em cerâmica policromada são visíveis em toda a estrutura. À direita está uma vista lateral do enorme arco principal no lado oeste do mausoléu.

Antiguidades de Samarcanda. Mausoléu do Tamerlão. Vista da fachada ocidental do mausoléu

Esta fotografia do Mausoléu de Gur-Emir, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dá atenção especial à herança arquitetônica islâmica de Samarcanda, incluindo Gur-Emir (persa para "túmulo do governante"). Embora seja principalmente conhecido como o local de sepultamento de Timur (Tamerlão), Gur-Emir foi iniciado por Timur, em 1403, para celebrar a morte de seu amado neto, Muhammad Sultan. Com o sepultamento do próprio Timur em 1405, Gur-Emir tornou-se de fato o mausoléu dos timúridas. É mostrada aqui uma vista oeste do mausoléu, com ruínas de um grande arco com pontas emoldurando a fachada principal. À esquerda está o remanescente minarete dos quatro originais. Apesar dos vários danos ao longo dos séculos nesta zona sísmica ativa, a parte central do conjunto sobreviveu, incluindo o tambor e a grande cúpula canelada com revestimento de ladrilho em cerâmica azul. O tambor tem inscrições monumentais em cerâmica em escrita perso-árabe alongada, enquanto o minarete mostra espirais da escrita cúfica em blocos que forma palavras da proclamação de fé islâmica. Em primeiro plano há um grupo de casas construídas com tijolos secos ao sol.

Antiguidades de Samarcanda. Mausoléu de Khodzha Abdu-Derun. Vista geral da galeria para contemplação do túmulo do santo

Esta fotografia do Mausoléu de Khodzha Abdu-Derun, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial ao patrimônio arquitetônico islâmico de Samarcanda. O complexo memorial de Khodzha Abdu-Derun foi dedicado a um juiz árabe do clã Abdi, reverenciado no século IX. A palavra derun (interno) foi adicionada para simbolizar seu local dentro de Samarcanda e para diferenciá-lo de outro complexo que celebrava o sábio localizado fora da cidade. O mausoléu original em cúpula, provavelmente erguido no século XII, foi ampliado como um santuário de peregrinação no século XV. O complexo incluía um lago de jardim no pátio, uma mesquita e um portão de entrada separado que levava ao pátio. Esta vista na parte de trás do mausoléu mostra uma passagem que permite que os peregrinos vejam e contemplem o túmulo do santo. Construções auxiliares e uma parede danificada se estendem à direita. A passagem é protegida por uma figura com turbante em uma veste de seda colorida. No fundo, um portão ornamental leva a um pátio lateral.

Antiguidades de Samarcanda. Mausoléu de Khodzha Abdu-Derun. Visão geral do mausoléu visto do sudoeste

Esta fotografia do Mausoléu de Khodzha Abdu-Derun, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial ao patrimônio arquitetônico islâmico de Samarcanda. O complexo memorial de Khodzha Abdu-Derun foi dedicado a um juiz árabe do clã Abdi, reverenciado no século IX. A palavra derun (interno) foi adicionada para simbolizar seu local dentro de Samarcanda e para diferenciá-lo de outro complexo que celebrava o sábio localizado fora da cidade. O mausoléu original em cúpula, provavelmente erguido no século XII, foi ampliado como um santuário de peregrinação no século XV. O complexo incluía um lago de jardim no pátio, uma mesquita e um portão de entrada separado. Esta imagem mostra os principais componentes vistos da parte de trás do complexo. No centro está o mausoléu com cúpula, uma estrutura centralizada com um plano cruciforme. Embora esteja estruturalmente intacto, as superfícies da parede e da cúpula revelam danos significativos. No lado direito está a mesquita anexa com sua cúpula própria. No lado esquerdo está um pequeno minarete na frente da mesquita de verão. Da parte de trás se estendem construções baixas auxiliares, onde três figuras dão uma ideia da escala.

Antiguidades de Samarcanda. Mausoléu de Tamerlão (Gur-Emir). Inscrição nas laterais e dentro do nicho da entrada principal

Esta fotografia de um detalhe do arco da entrada para o pátio do Mausoléu Gur-Emir, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dá atenção especial à herança arquitetônica islâmica de Samarcanda, incluindo Gur-Emir (persa para "túmulo do governante"). Embora seja principalmente conhecido como o local de sepultamento de Timur (Tamerlão), Gur-Emir teve início por Timur, em 1403, para honrar a morte de seu amado neto Muhammad Sultan, aos 27 anos. Quando Timur foi sepultado lá em 1405, Gur-Emir tornou-se o mausoléu dos Timúridas. É mostrada aqui parte da fachada à esquerda do arco iwan (saguão abobadado, com paredes em três lados, e uma extremidade aberta) da estrutura de entrada. O arco com pontas no painel inferior contém figuras botânicas da faiança policromada dentro de um design geométrico complexo. O painel danificado acima exibe um padrão geométrico retilinear com elementos florais. Os painéis são emoldurados por uma borda de motivos florais conectada por um padrão de gavinhas delicado. Apesar de sua falta de cor, essas fotografias detalhadas expressam informações significativas para o estudo da ornamentação cerâmica original dos monumentos arquitetônicos de Samarcanda.

Antiguidades de Samarcanda. Mausoléu de Tamerlão (Gur-Emir). Decorações no nicho da entrada principal

Esta fotografia de um trabalho em cerâmica no arco da entrada para o pátio do Mausoléu Gur-Emir, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dá atenção especial à herança arquitetônica islâmica de Samarcanda, incluindo Gur-Emir (persa para "túmulo do governante"). Embora seja principalmente conhecido como o local de sepultamento de Timur (Tamerlão), Gur-Emir teve início por Timur, em 1403, para honrar a morte de seu amado neto Muhammad Sultan, aos 27 anos. Quando Timur foi sepultado lá em 1405, Gur-Emir tornou-se o mausoléu dos Timúridas. É mostrada aqui a parte superior da fachada, dentro do nicho do iwan (saguão abobadado, com paredes em três lados, e uma extremidade aberta) da estrutura de entrada. A faixa horizontal na parte inferior é composta de uma linha de painéis verticais em faiança que contêm motivos florais policromados radiantes. Os painéis são revestidos com arcos com pontas que levam a um padrão complexo de ladrilhos em cerâmica dispostos dentro de uma treliça geométrica. O canto direito mostra as ruínas de uma estrutura abobadada, conhecida como mocárabe, também chamada de abóbada em "estalactite" devido à aparência dos elementos decorativos suspensos. O canto superior mostra a parede de tijolos subjacente.