Antiguidades de Samarcanda. Mesquita de Khodzha Akhrar. Vista em direção à mesquita

Esta fotografia do Santuário de Khodzha Akhrar, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial ao patrimônio arquitetônico islâmico de Samarcanda. Dedicado à memória do renomado místico do século XV, Khodzha Akhrar, o santuário continha várias estruturas, incluindo uma mesquita de verão e uma de inverno, bem como um minarete e um cemitério. A mesquita de verão, vista nesta imagem de bosque, é assim chamada porque seu pavilhão tem um lado aberto para o pátio, com o telhado sustentado por grandes colunas de madeira que se apoiam em uma base de mármore entalhada (um exemplo visível no lado esquerdo). Nas laterais deste iwan (saguão abobadado, com paredes em três lados, e uma extremidade aberta) estão paredes de tijolo revestidas com trabalho em cerâmica policromada, incluindo mosaicos em faiança. No fundo central está o nicho de mihrab, que mostra a direção para Meca. O mihrab encontra-se em uma luxuosa exposição de uma rede de faixas de inscrição em cerâmica em escrita perso-árabe cursiva e alongada (Thuluth). A parte aberta da mesquita é unida a uma estrutura fechada (no lado direito) cujas paredes também são revestidas com trabalho em cerâmica em padrões geométricos e botânicos. A cor básica é o azul escuro.

Antiguidades de Samarcanda. Mesquita Namazga. Seção da fachada principal

Esta fotografia do mausoléu da Mesquita Namazga, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial ao patrimônio arquitetônico islâmico de Samarcanda. Uma mesquita namazga destinava-se especificamente a marcar o Eid al-Fitr (um feriado celebrado ao final da festa de Ramadan), além de Kurban, ou Eid al-Adha, o Festival do Sacrifício. Construída talvez no século XI e reconstruída pelos Timúridas no século XV, a Mesquita Namazga foi substituída na primeira metade do século XVII por Nadir Divan-Begi, vizir e tio do governante de Búcara Iman-Quli Khan. Localizada na periferia sul da cidade, esta versão da namazga foi concluída por volta de 1630. Visível à direita está a cúpula alta principal, elevada em um cilindro, ou tambor, grande, que é decorado com faixas de ladrilhos em cerâmica. No centro da fachada está um arco iwan (saguão abobadado, com paredes em três lados, e uma extremidade aberta) que emoldura a entrada para a mesquita. A estrutura central é ladeada por galerias de arcadas de um andar, cujo tamanho é sugerido pela figura de pé. Em contraste com as outras mesquitas do período, as fachadas da Mesquita Namazga têm pouca ornamentação em cerâmica.

Antiguidades de Samarcanda. Mesquita de Khodzha Abdu-Berun. Vista noroeste da mesquita

Esta fotografia do mausoléu no Complexo Memorial de Khodzha Abdu-Berun, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial ao patrimônio arquitetônico islâmico de Samarcanda. O Complexo Memorial de Khodzha Abdu-Berun (khanaka) foi dedicado a um juiz árabe do clã Abdi, reverenciado no século IX. A palavra berun (externo) foi adicionada para simbolizar seu local adjacente a um cemitério nos arredores de Samarcanda e para diferenciá-lo de outro complexo que celebrava o sábio localizado dentro da cidade. Embora a legenda fotográfica original identifique a estrutura como uma mesquita, ela é mais precisamente um khanaka que inclui um mausoléu (mazar), construído na primeira metade do século XVII por Nadir Divan-Begi, vizir do governante de Búcara Iman-Quli Khan. É mostrada aqui a fachada que contém o arco iwan (saguão abobadado, com paredes em três lados, e uma extremidade aberta), na sombra, e a fachada lateral com arcada cega. A estrutura culmina em um cilindro e uma cúpula. Apesar dos danos generalizados, os fragmentos da decoração em cerâmica policromada são visíveis nas partes superiores da fachada e no cilindro, que exibe uma grande faixa de inscrição.

Antiguidades de Samarcanda. Mesquita de Khodzha Akhrar. Cripta familiar (sagana) de Khodzha Akhrar

Esta fotografia do Santuário de Khodzha Akhrar, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial ao patrimônio arquitetônico islâmico de Samarcanda. Este santuário é dedicado à memória do renomado místico do século XV, Khodzha Akhrar (1403-1489), um ascético e adepto do sufismo, que exercia grande influência espiritual na Ásia Central durante as décadas finais da dinastia dos Timúridas. Ele é conhecido por ter fundado mesquitas não apenas em Samarcanda, mas também em Búcara, Herat e Cabul. O conjunto de Khodzha Akhrar em Samarcanda continha várias estruturas, incluindo uma mesquita de inverno e uma de verão, bem como um minarete e um cemitério. É mostrada aqui uma parte da parede de mármore que separava o pátio principal do cemitério, que continha o sarcófago dos líderes espirituais locais. Um dos marcadores altos de sepultura de mármore está visível no fundo central. O santuário e seu cemitério eram visitados com frequência por peregrinos devotos, que vinham vestidos como a figura de pé na frente da imagem.

Antiguidades de Samarcanda. Mesquita de Khodzha Akhrar. Parte inferior. Inscrição na lápide da sepultura de Khodzha Akhrar

Esta fotografia do interior do Santuário de Khodzha Akhrar, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial ao patrimônio arquitetônico islâmico de Samarcanda. É mostrada aqui a metade inferior da lápide da sepultura de Khodzha Akhrar (1403-1489), um renomado místico, ascético e aderente do sufismo do século XV que exercia grande influência espiritual na Ásia Central durante as décadas finais da dinastia dos Timúridas. Ele é conhecido por ter fundado mesquitas não apenas em Samarcanda, mas também em Búcara, Herat e Cabul. O conjunto de Khodzha Akhrar em Samarcanda continha várias estruturas, incluindo uma mesquita de inverno e uma de verão, bem como um cemitério. Localizado dentro da mesquita, o marcador da sepultura é emoldurado por uma faixa de inscrição entalhada em escrita perso-árabe cursiva elaborada. Assim como a metade superior da pedra, a parte principal da superfície está recuada e possui inscrições adicionais relacionadas à vida do santo. Esta extraordinária mostra de texto entalhado é uma indicação da importância do santuário de Khodzha Akhrar como um local de peregrinação.

Antiguidades de Samarcanda. Mesquita de Khodzha Akhrar. Parte superior. Inscrição na lápide da sepultura de Khodzha Akhrar

Esta fotografia do interior do Santuário de Khodzha Akhrar, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial ao patrimônio arquitetônico islâmico de Samarcanda. É mostrada aqui a lápide da sepultura de Khodzha Akhrar (1403-1489), um renomado místico, ascético e adepto do sufismo do século XV que exercia grande influência espiritual na Ásia Central durante as décadas finais da dinastia dos Timúridas. Ele é conhecido por ter fundado mesquitas não apenas em Samarcanda, mas também em Búcara, Herat e Cabul. O conjunto de Khodzha Akhrar em Samarcanda continha várias estruturas, incluindo uma mesquita de inverno e uma de verão, bem como um cemitério. Localizada na mesquita, este marcador de sepultura é emoldurado por uma faixa de inscrição entalhada em escrita perso-árabe cursiva elaborada. A parte central da superfície é recuada e consiste em inscrições adicionais emolduradas por um arco com pontas decorado com figuras botânicas e encimado com uma estrela de oito pontas. Acima da ponta do arco está um elemento “estalactite” guarnecido com mísula que sustenta a inscrição sagrada principal. O santuário de Khodzha Akhrar foi um importante local de peregrinação.

Antiguidades de Samarcanda. Mesquita de Khodzha Akhrar. Nicho de oração (mihrab) na mesquita

Esta fotografia do Santuário de Khodzha Akhrar, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial ao patrimônio arquitetônico islâmico de Samarcanda. Dedicado à memória do renomado místico do século XV, Khodzha Akhrar (1403-1489), o santuário continha várias estruturas, incluindo uma mesquita de verão e uma de inverno, bem como um minarete e um cemitério. É mostrado aqui o nicho de mihrab (mostrando a direção para Meca) na mesquita de verão, assim chamada porque seu pavilhão tem um lado aberto para o pátio. O mihrab encontra-se em uma luxuosa exposição de trabalho em cerâmica policromada que inclui mosaicos em faiança. A cor primária é azul escuro, com detalhes em amarelo, laranja e branco. Este espaço sagrado é definido por uma rede de faixas de inscrição em cerâmica em uma escrita perso-árabe cursiva e alongada (Thuluth). O arco com pontas está emoldurado por uma inscrição exterior que se estende até o topo da parede. O arco com pontas leva a um painel com faiança com motivos florais, acima do qual está um quadrado da inscrição que, por sua vez, contém um quadrado menor com texto sagrado em árabe. Os painéis são circundados com faixas padronizadas.

Antiguidades de Samarcanda. Mesquita de Khodzha Akhrar. Vista geral da cripta do Santo Khodzha Akhrar e da mesquita

Esta fotografia do Santuário de Khodzha Akhrar, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial ao patrimônio arquitetônico islâmico de Samarcanda. O santuário contém várias estruturas dedicadas à memória do renomado místico do século XV, Khodzha Akhrar (1403-1489). Os principais componentes são as mesquitas de inverno e de verão. A mesquita de versão, visível no fundo, foi construída de tijolo seco. Seu pórtico do iwan (saguão abobadado, com paredes em três lados, e uma extremidade aberta), sustentado por colunas de madeira em bases de mármore, culmina em uma cornija decorada com entalhe complexo, incluindo um padrão “estalactite”. O conjunto também incluía um lago de jardim e um cemitério para líderes religiosos proeminentes. Esta vista do cemitério mostra sarcófagos de mármore e marcadores de sepultura com entalhes e inscrições decorativas. Embora os túmulos estejam um pouco desalinhados, o cemitério ainda assim manteve sua importância como um local de peregrinação e oração. A figura sentada à direita está engajada em ler o que provavelmente seria um texto de devoção. Sua barba longa e o turbante branco sugerem o status de um mulá.

Antiguidades de Samarcanda. Mesquita de Khodzha Abdu-Berun. Túmulo (sagana) do santo

Esta fotografia de uma sepultura no Complexo Memorial de Khodzha Abdu-Berun, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial ao patrimônio arquitetônico islâmico de Samarcanda. O conjunto de Khodzha Abdu-Berun foi dedicado a um juiz árabe do clã Abdi, reverenciado no século IX. A palavra berun (externo) foi adicionada para simbolizar seu local adjacente a um cemitério nos arredores de Samarcanda e para diferenciá-lo de outro conjunto que celebrava o sábio localizado dentro da cidade A khanaka, ou mesquita memorial, foi construída na primeira metade do século XVII por Nadir Divan-Begi, vizir do governante de Búcara Iman-Quli Khan. É mostrada aqui a dakhma, ou sepultura do santo, uma forma retangular simples com pontas elevada em uma estilóbata revestida com pedra. No fundo está a mesquita aberta de verão do conjunto. A mesquita memorial está à esquerda, mas somente seu pórtico de tijolo é visível, não a estrutura em si. À direita está um lago de jardim (também não visível), que criava um oásis de plantas verdes no local. O conjunto significa a antiguidade da lei islâmica nesta área.

Antiguidades de Samarcanda. Mesquita de Khodzha Abdu-Berun. Nicho de oração (mihrab) em um painel do arco principal da fachada

Esta fotografia do mausoléu no complexo Memorial de Khodzha Abdu-Berun, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial ao patrimônio arquitetônico islâmico de Samarcanda. O Complexo Memorial de Khodzha Abdu-Berun (khanaka) foi dedicado a um juiz árabe do clã Abdi, reverenciado no século IX. A palavra berun (externo) foi adicionada para simbolizar seu local adjacente a um cemitério nos arredores de Samarcanda e para diferenciá-lo de outro complexo que celebrava o sábio localizado dentro da cidade. A mesquita de khanaka foi construída na primeira metade do século XVII por Nadir Divan-Begi, vizir do governante de Búcara Iman-Quli Khan. É mostrada aqui a parede de qibla com o mihrab, um nicho de oração que indica a qibla, a direção de Meca. O nicho de mihrab é revestido com ladrilhos em cerâmica. Acima da decoração em cerâmica, ao redor de seu arco com pontas, está uma inscrição sagrada em escrita cursiva. O mihrab é emoldurado por uma faixa de inscrição em letras cúficas em bloco. Na parte superior está outra inscrição em escrita perso-árabe cursiva alongada (Thuluth).