20 de julho de 2012

Uma Carta Náutica de Parte da Costa Marítima de Novo Gales do Sul, na costa leste da Nova Holanda, de Cabo Palmerston ao Cabo Flattery

Este mapa é uma das quatro cartas náuticas manuscritas da primeira viagem de exploração realizada pelo grande capitão James Cook, que, em abril de 1770 fez a primeira delineação clara da costa leste da Austrália. Patrocinada pela Sociedade Real e pela Marinha Real, a expedição tinha vários objetivos. Cook deveria observar e descrever o trânsito de Vênus, elaborar a carta náutica das costas de lugares que visitasse no Pacífico Sul e produzir registros detalhados dos povos, da flora e da fauna vistos por ele. Os patrocinadores da expedição desejavam, também, que Cook encontrasse e reivindicasse para a Grã-Bretanha a terra então conhecida como terra incognita australis. Cook não navegou próximo à costa, exceto em alguns poucos lugares, de forma que a quantidade de detalhes mostrados no mapa variava em virtude da distância do seu navio da costa.

O Vulcão Smeroe (Vista do Passaroeng Residência )

Esta litografia colorida mostra o Smeroe (Semeru), o maior vulcão da ilha de Java. Também conhecido como Mahameru, ou a Grande Montanha, o vulcão entrou em erupção pelo menos uma vez por ano durante o século XIX e, desde 1967, vem apresentando um estado de atividade quase constante. Esta visão da cidade de Pasuruan mostra uma cortina de fumaça proveniente do topo da montanha. O pintor holandês Abraham Salm (1801-76) passou 29 anos na Indonésia, onde produziu muitas pinturas dramáticas de paisagens. Esta litografia é uma das 15 vistas de Java, baseadas na obra de Salm, feita pelo gravador holandês J.C. Grieve e publicada em Amsterdã em 1872. O trabalho é das coleções do Real Instituto Holandês de Estudos do Caribe e do Sudeste Asiático/KITLV, em Leiden.

Registre-se para obter seu Debênture de Guerra! O Exército e a Marinha Esperam que o Faça!

Na Primeira Guerra Mundial, todos os lados usavam cartazes como ferramentas para mobilizar as populações para o esforço de guerra. Este cartaz de 1917, criado pelo influente designer e artista gráfico alemão Lucian Bernhard, apelava aos cidadãos alemães para que ajudassem a financiar a guerra com as suas economias. Bernhard nasceu em 1883, e seu nome original era Emil Kahn. Após estudar na Academia deArte de Munique , mudou-se para Berlim, onde trabalhou como artista comercial. Ele era mais conhecido pelos seus inovadores cartazes publicitários para empresas alemãs. Bernhard enfatizava a simplicidade como a qualidade mais importante de um cartaz eficaz. Em 1923, ele emigrou para Nova Iorque, onde morreu em 1972. Em sua longa e variada carreira, ele também desenhou móveis, papel de parede, e outros produtos domésticos, bem como novos scripts para tipográficos. Após 1930, ele dedicou-se à pintura e escultura.

A Birmânia sob o Domínio Britânico

Joseph Dautremer foi um estudioso francês especializado em línguas asiáticas, que serviu por um tempo como cônsul francês em Rangum, a capital da Birmânia britânica. A Birmânia sob o Domínio Britânico é um estudo detalhado da Birmânia, com capítulos dedicados à história, às pessoas, à geografia física, à economia e ao comércio internacional do país. Um breve capítulo de conclusão trata das Ilhas Andamão, onde os britânicos mantiveram uma colônia penal. Originalmente publicado em Paris, em 1912, o livro de Dautremer foi traduzido do francês para o inglês por Sir (James) George Scott (1851-1935), um administrador britânico na Birmânia e autor de livros importantes sobre a Birmânia e o Vietnã. Em sua introdução ao estudo de Dautremer, Scott escreveu que "o [seu] livro é muito mais parecido com um relatório consular do tipo ideal do que uma mera descrição do país." Um dos principais objetivos de Dautremer ao escrever o livro foi tirar lições da experiência britânica que os franceses poderiam usar para governar suas colônias nas proximidades da Indochina.

23 de julho de 2012

A vida dos animais

Este manuscrito é uma cópia da versão longa de Hayāt al-hayawān (A vida dos animais), de al-Damīrī, uma trabalho enciclopédico que foi amplamente divulgada no mundo islâmico em três versões ou revisões: longa, média e curta. Muhammad ibn Musā ibn Isā Kamāl al-Din Ibn Ilyās ibn Abd-Allāh al-Damīrī (por volta de 1342-1405) foi um alfaiate egípcio que se tornou um estudioso e escritor. Com base em trabalhos anteriores sobre os animais produzidos por Jāhith (780-868), al-Damīrī combinou a tradição literária árabe e persa dos contos de animais com o legado da Grécia e de Roma para oferecer uma apresentação taxonômica abrangente do conhecimento sobre os animais de sua época. Organizado em ordem alfabética pelos nomes dos animais, o trabalho contém mais de 1000 artigos e citações de 807 autores. Inclui várias informações sobre os animais, tais como a etimologia dos nomes, as características físicas e os hábitos, e as tradições islâmicas e os provérbios sobre eles. Há inúmeras edições da obra de al-Damiri em árabe, bem como traduções em persa e em turco-otomano. Ela também foi traduzida para o latim e seu conteúdo foi parcialmente incorporado ao Hierozoïcon sive bipartitum Opus de Animalibus Sacrae Scripturae (Trabalho sobre os animais das escrituras sagradas), publicado em Londres, em 1663. O manuscrito atual foi finalizado em 1459 (863 a.H.), apenas meio século após a morte de al-Damiri. O manuscrito contém duas partes. No último fólio da segunda parte, uma questão jurídica sobre o divórcio é apresentada e respondida de acordo com a escola de direito Shafi.

A notável vida dos animais, volumes 1 e 2

Kamal ud-Din al-Damiri (por volta de 1341-1405 d.C., 742-808 AH) foi um alfaiate que se tornou estudioso. Ele nasceu no Cairo e passou a maior parte de sua vida no Egito. Hayat al-Hayawan (A notável vida dos animais) é sua obra mais conhecida. Ela é encontrada em duas versões, referidas como a maior e a menor. A obra inclui mais de 1.050 entradas sobre animais, organizadas de acordo com o alfabeto árabe. Algumas das entradas são longas, outras são mais curtas ou duplicatas. A entrada mais longa, por exemplo, é a do leão e contém 11 páginas. Outras entradas são formadas apenas por algumas palavras. A duplicação ocorre quando os animais têm nomes sinônimos, ou quando a fêmea ou os jovens de uma determinada espécie são nomeados de forma diferente. Os mamíferos e as aves têm mais destaque na obra. O livro foi uma das obras que o sultão otomano Selim I ordenou a impressão quando ocupou o Egito em 1517 d.C.