Códice do Marquesado del Valle

Este arquivo de valor excepcional contém 28 petições de diferentes líderes e vilas do Marquesado del Valle protestando contra a tomada de terras e de engenhos de açúcar por Hernán Cortés, o primeiro marquês. O Marquesado era composto pelo atual estado mexicano de Morelos, além de partes dos estados de Puebla, Oaxaca e México. As grandes plantações de açúcar criadas por Cortés foram organizadas por locação, compra ou tomada de lavouras, campos e outras terras que pertenciam aos caciques (nobres indígenas), vilas e distritos desde tempos imemoráveis. Ao longo de todo o século XVI, as economias indígenas e europeias funcionaram lado a lado. Os índios tentavam manter o que lhes pertencia, enquanto os espanhóis ampliavam suas posses à força. As petições, principalmente as relacionadas à agricultura, foram escritas no meio do século XVI. Em geral, elas contêm um texto em náuatle que explica a natureza da reclamação e um desenho ou mapa inacabado feito por tlacuilos (pintores indígenas). Carregados de simbolismo, informações e conhecimentos indígenas, estes desenhos indicam a propriedade de lotes agrícolas, mostram nomes de lugares com glifos toponímicos, o tamanho de lotes de acordo com cálculos mesoamericanos, indicam o tipo e as quantidades de produção e fornecem os nomes dos chefes de comando, além de outros fatos variados. Estes documentos fornecem detalhes importantes sobre a geografia de amplas áreas do centro do México no começo do período vice-real, uma época na qual a região passava por rápidas transformações. Atualmente, o códice do Marquesado del Valle encontra-se no Archivo General de la Nación de México, grupo de registro do Hospital de Jesús, volume 487, conjunto 276.

Códice Techialoyan de Cuajimalpa

O Códice Techialoyan de Cuajimalpa é um dos códices de Techialoyan, o nome genérico de um grupo de documentos produzido pelo mesmo grupo de pessoas em uma grande área do centro do México, principalmente entre 1685 e 1703. O códice descreve uma reunião dos notáveis da vila de San Pedro Cuajimalpa, realizada para confirmar os limites territoriais da vila, os lugares inclusos, seus distritos e vilas tributárias. O objetivo desta cerimônia, uma fusão entre as práticas culturais europeias e mesoamericanas, era legitimar a propriedade da terra. O texto e as imagens se completam e incluem as assinaturas dos notáveis presentes. A iconografia é rica em apresentações de plantas, arquitetura e pessoas indígenas e europeias. Em toda a sua história, San Pedro Cuajimalpa usou este documento para provar seus direitos a suas terras, que foram mantidas até 1865. Naquele ano, Maximiliano de Habsburgo e sua esposa, Carlota, visitaram o Convento do Desierto de los Leones (Deserto dos Leões), onde falaram com os moradores e as vilas vizinhas. Como resultado dessa reunião, os moradores de Cuajimalpa apresentaram o documento a um tribunal para ser traduzido do náuatle para o espanhol e autenticado, o que foi feito no mesmo ano pelo paleógrafo Francisco Rosales. Ao final do século XVII, os povos indígenas do México haviam crescido e, como resultado, tentavam recuperar as terras que haviam sido tomadas por haciendas, ranchos e outras vilas, e o governo vice-real buscava mecanismos para regularizar a propriedade de terra. Documentos indígenas foram usados como registros para comprovar a antiguidade das vilas e a propriedade das terras pelos mesmos. As vilas buscaram apresentar evidências de que eram "cabeceras" (unidades judiciais), não sujeitas a populações, e antigos assentamentos com fronteiras definidas há muito tempo. Há cinquenta exemplos de Techialoyan. Muitos desses documentos foram escritos com tinta europeia, no idioma náuatle, usando o alfabeto latino em letras maiúsculas e caligrafia ruim, e normalmente sobre papel amate (súber). Elementos iconográficos repetem-se de um códice para outro, e a maioria usa aquarela opaca e densa. Dentre os temas que aparecem com grande frequência estão povos indígenas, igrejas, colinas e plantas. Os textos também se repetem em muitos documentos, embora cada caso faça referência a uma vila específica. Os assentamentos que ordenaram um códice de Techialoyan garantiram que ele contivesse informações essenciais sobre a fundação e a história da vila. É por esta razão que estes códices contêm descrições ou imagens de terras de agricultura e florestas, elementos geográficos que demarcam linhas de propriedade e informações sobre líderes nobres ou seus representantes e a dimensão dos assentamentos e suas vizinhanças. Atualmente, o Códice Techialoyan de Cuajimalpa encontra-se no Archivo General de la Nación de México, grupo de registro Tierras, volume 3684, arquivo 1, folhas 1 a 27.