3 de dezembro de 2012

Antiguidades de Samarcanda. Pátio interno da madrassa Shir Dar (lado oeste). Inscrição dentro do nicho principal

Esta fotografia do pátio interno da madrassa Shir Dar, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial à arquitetura islâmica de Samarcanda, como monumentos dos séculos XIV e XV do reinado de Timur (Tamerlão) e seus sucessores. No centro de Samarcanda está o conjunto de Registan, composto por três grandes exemplos de madrassas (escolas religiosas). A segunda madrassa do conjunto, a Shir Dar, foi construída entre 1619-1636, durante a dinastia de Astracã. Apesar dos danos significativos sofridos ao longo dos séculos, o local continua sendo um dos monumentos mais ricamente ornamentados na Ásia Central. A forma desta madrassa é típica da região, com um pátio retangular rodeado por uma arcada de dois andares. Aqui pode ser visto o nicho do arco principal da parede oeste, centralizado em uma grande janela com um padrão hexagonal de treliça (parcialmente bloqueada). Em ambos os lados da janela, há elaborados painéis policromados que incluem um trabalho mosaico em faiança. O design do painel consiste em motivos botânicos em arranjos geométricos. Também é possível ver as inscrições horizontais em cerâmica no estilo cursivo thuluth.

Antiguidades de Samarcanda. Pátio interno da madrassa Shir Dar (lado oeste). Inscrição no lado esquerdo do nicho principal

Esta fotografia do pátio interno da madrassa Shir Dar, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial à arquitetura islâmica de Samarcanda, como monumentos dos séculos XIV e XV do reinado de Timur (Tamerlão) e seus sucessores. No centro de Samarcanda está o conjunto de Registan, composto por três grandes exemplos de madrassas (escolas religiosas). A segunda madrassa do conjunto, a Shir Dar, foi construída entre 1619-1636, durante a dinastia de Astracã. Apesar dos danos significativos sofridos ao longo dos séculos, o local continua sendo um dos monumentos mais ricamente ornamentados na Ásia Central. A forma desta madrassa é típica da Ásia Central, com um pátio retangular rodeado por uma galeria de dois andares que têm salas para estudiosos. Aqui, pode ser vista a primeira baía no lado esquerdo (sul) da parede oeste, com superfícies cobertas por azulejos policromados em majólica. À direita, há faixas verticais em cerâmica que formam o canto sul do arco de entrada principal. À esquerda dessas faixas, há uma tira vertical de escrita no estilo cursivo thuluth. Também é possível ver padrões geométricos e florais.

Antiguidades de Samarcanda. Pátio interno da madrassa Shir Dar (lado oeste). Inscrição no lado direito do nicho principal

Esta fotografia do pátio interno da madrassa Shir Dar, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial à arquitetura islâmica de Samarcanda, como monumentos dos séculos XIV e XV do reinado de Timur (Tamerlão) e seus sucessores. No centro de Samarcanda está o conjunto de Registan, composto por três grandes exemplos de madrassas (escolas religiosas). A segunda madrassa do conjunto, a Shir Dar, foi construída entre 1619-1636, durante a dinastia de Astracã. Apesar dos danos significativos sofridos ao longo dos séculos, o local continua sendo um dos monumentos mais ricamente ornamentados na Ásia Central. A forma desta madrassa é típica da Ásia Central, com um pátio retangular rodeado por uma galeria de dois andares que têm salas para estudiosos. Aqui, pode ser vista a primeira baía no lado direito (norte) da parede oeste, com superfícies cobertas por azulejos policromados em majólica. À esquerda, há faixas verticais em cerâmica que formam o canto norte do arco de entrada principal. À direita dessas faixas, há uma tira vertical de escrita no estilo cursivo thuluth. Também é possível ver padrões geométricos e florais.

Antiguidades de Samarcanda. Pátio interno da madrassa Shir Dar (lado oeste). Ornamentação esculpida na pedra de mármore

Esta fotografia do pátio da madrassa Shir Dar, em Samarcanda (Uzbequistão), faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial à arquitetura islâmica de Samarcanda, como monumentos dos séculos XIV e XV do reinado de Timur (Tamerlão) e seus sucessores. No centro de Samarcanda está o conjunto de Registan, composto por três grandes exemplos de madrassas (escolas religiosas). A segunda madrassa do conjunto, a Shir Dar, foi construída entre 1619-1636, durante a dinastia de Astracã. Apesar dos prejuízos causados pelas passagens dos séculos, o local continua sendo um dos monumentos mais ricamente ornamentados na Ásia Central. Esta imagem mostra um conjunto de painéis de mármore esculpidos dentro do nicho do arco principal da parede oeste. Com impressionantes detalhes, o painel representa o nicho com sua abóboda curvada, composta pelo que é conhecido como mocárabe, ou abóbada em "estalactite", devido à aparência dos elementos decorativos suspensos. O nicho em si, coberto por azulejos policromados, encontra-se não muito longe do painel. O painel também exibe elaborados padrões florais e geométricos, característicos da decoração em cerâmica.

Antiguidades de Samarcanda. Madrassa de Bibi Khanym. Mesquita congregacional (Mesquita de Sexta-feira). Inscrição no lado esquerdo do atril de mármore

Esta fotografia de uma parte do suporte de mármore do Alcorão na mesquita principal do conjunto Bibi Khanym em Samarcanda (Uzbequistão) faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial à arquitetura islâmica de Samarcanda, como monumentos dos séculos XIV e XV do reinado de Timur (Tamerlão) e seus sucessores. Construído entre 1399-1405 com os espólios de campanha de Timur na Índia, o conjunto Bibi Khanym era o local da principal mesquita da cidade, ou mesquita de Sexta-feira, e foi batizado em homenagem à esposa mais velha de Timur, Sarai Mulk Khanym. O conjunto centraliza-se na mesquita, uma das maiores no mundo islâmico. Dentro da mesquita havia um enorme suporte para o Alcorão (rihal) doado pelo neto de Timur, Ulugh Beg, e era composto por dois enormes blocos triangulares de mármore apoiados sobre um pedestal de mármore. Esta é a imagem da metade esquerda do lado retangular do bloco direito, com uma decoração esculpida formada por arabescos e por um padrão foliado com pontas de marcante complexidade. A superfície é emoldurada por uma faixa de escrita cursiva. Em 1875, alguns anos depois que esta fotografia foi tirada, o atril foi movido para o pátio em frente à mesquita.

Antiguidades de Samarcanda. Madrassa de Bibi Khanym. Mesquita congregacional (Mesquita de Sexta-feira). Inscrição no lado esquerdo do atril de mármore

Esta fotografia de uma parte do suporte de mármore do Alcorão na mesquita principal do conjunto Bibi Khanym em Samarcanda (Uzbequistão) faz parte da seção arqueológica do Álbum do Turquestão. Este levantamento fotográfico em seis volumes foi produzido entre 1871-1872 sob o patrocínio do General Konstantin P. von Kaufman, primeiro governador-geral (1867-1882) do Turquestão, nome dado aos territórios da Ásia Central do Império Russo. O álbum dedica atenção especial à arquitetura islâmica de Samarcanda, como monumentos dos séculos XIV e XV do reinado de Timur (Tamerlão) e seus sucessores. Construído entre 1399-1405 com os espólios de campanha de Timur na Índia, o conjunto Bibi Khanym era o local da principal mesquita da cidade, ou mesquita de Sexta-feira, e foi batizado em homenagem à esposa mais velha de Timur, Sarai Mulk Khanym. O conjunto centraliza-se na mesquita, uma das maiores no mundo islâmico. Dentro da mesquita havia um enorme suporte para o Alcorão (rihal) doado pelo neto de Timur, Ulugh Beg, e era composto por dois enormes blocos triangulares de mármore apoiados sobre um pedestal de mármore. Esta é a imagem da metade direita do lado retangular do bloco direito, com uma decoração esculpida formada por arabescos e por um padrão foliado com pontas de marcante complexidade. A superfície é emoldurada por uma faixa de escrita cursiva. Em 1875, alguns anos depois que esta fotografia foi tirada, o atril foi movido para o pátio em frente à mesquita.