Instituição da Pensilvânia para o ensino dos cegos

Esta gravura mostra uma vista externa da Instituição da Pensilvânia para o ensino dos cegos, localizada na esquina das ruas Sassafras (atualmente, Race) e Schuylkill Third (20ª) na Filadélfia. A escola foi inaugurada em 1832 por Julius Reinhold Friedlander (1803–1839), um jovem alemão professor de crianças cegas e deficientes visuais, logo após sua chegada à cidade. Em um ano, a escola já podia contar com um estatuto e uma diretoria. Vários anos depois, mudou-se para este novo prédio. A vista mostrada aqui inclui pedestres caminhando na rua e a guarita do vigia. A ilustração é de autoria de John Caspar Wild (entre 1804 e 1846, aproximadamente), um artista e litógrafo nascido na Suíça, que chegou à Filadélfia, vindo de Paris, em 1832. Ele produziu pinturas e gravuras da Filadélfia e de outras cidades americanas, incluindo Cincinnati, Saint Louis e Davenport, Iowa. Seu trabalho é um importante registro histórico dessas cidades antes da era da industrialização em grande escala e do rápido crescimento urbano.

Hospital da Pensilvânia

Esta gravura mostra uma vista externa do sudeste do Hospital da Pensilvânia, localizado na Rua Pine, entre as Ruas 8ª e 9ª na Filadélfia. A cena da rua em primeiro plano inclui uma carruagem, uma carroça, pessoas a cavalo, incluindo uma mulher montada de lado, pedestres e uma guarita de vigia. Benjamin Franklin ajudou a angariar fundos para a construção do primeiro prédio do Hospital da Pensilvânia, a ala leste, que foi projetada por Samuel Rhoads e construída em 1755 em um local que ficava, na época, longe dos odores e ruídos do centro da cidade. O projeto de Rhoads previa um pavilhão central e uma ala oeste, mas eles só foram construídos depois de 1794, de acordo com um projeto de David Evans, Jr. O pavilhão central fica ligeiramente à frente e é um ótimo exemplo de arquitetura federal. A ilustração é de autoria de John Caspar Wild (entre 1804 e 1846, aproximadamente), um artista e litógrafo nascido na Suíça, que chegou à Filadélfia, vindo de Paris, em 1832. Ele produziu pinturas e gravuras da Filadélfia e de outras cidades americanas, incluindo Cincinnati, Saint Louis e Davenport, Iowa. Seu trabalho é um importante registro histórico dessas cidades antes da era da industrialização em grande escala e do rápido crescimento urbano.

Universidade da Pensilvânia

Esta litografia mostra os dois prédios idênticos da Universidade da Pensilvânia, o Prédio de Medicina e o Prédio da Faculdade, localizados no lado oeste da Rua 9ª entre as ruas Market e Chestnut na Filadélfia. A vista inclui um grupo de alunos reunidos em uma entrada, duas mulheres carregando sombrinhas e outros pedestres. Projetados pelo arquiteto William Strickland (1788–1854) da Filadélfia e construído entre 1829 e 1830, os prédios abrigavam a universidade até sua transferência para o oeste de Filadélfia na década de 1870. Strickland foi um dos primeiros arquitetos do estilo neogrego nos Estados Unidos, assim como engenheiro civil e artista. A Universidade da Pensilvânia foi fundada em 1740 e em 1765 estabeleceu a primeira escola de medicina nas colônias americanas. A ilustração é de autoria de John Caspar Wild (entre 1804 e 1846, aproximadamente), um artista e litógrafo nascido na Suíça, que chegou à Filadélfia, vindo de Paris, em 1832. Ele produziu pinturas e gravuras da Filadélfia e de outras cidades americanas, incluindo Cincinnati, Saint Louis e Davenport, Iowa. Seu trabalho é um importante registro histórico dessas cidades antes da era da industrialização em grande escala e do rápido crescimento urbano.

Rua Market, vista da rua Front

Esta litografia mostra a rua comercial movimentada contendo o ponto final do Mercado de Nova Jersey na Filadélfia, assim chamado por sua localização central em relação às balsas de Nova Jersey, o principal fornecedor de produtos agrícolas da cidade. Os compradores do mercado, fornecedores de mercadorias e pedestres, incluindo afro-americanos, passeiam pelas ruas e calçadas e lotam o galpão do mercado, coberto por uma cúpula e um relógio. Ambulantes vendem suas mercadorias em carroças na rua Front. Construído em 1822, o mercado operava duas vezes por semana até a abolição dos mercados de rua em 1859. Um sino na rua Front tocava para indicar a chegada de um barco com produtos frescos. A ilustração é de autoria de John Caspar Wild (entre 1804 e 1846, aproximadamente), um artista e litógrafo nascido na Suíça, que chegou à Filadélfia, vindo de Paris, em 1832. Ele produziu pinturas e gravuras da Filadélfia e de outras cidades americanas, incluindo Cincinnati, Saint Louis e Davenport, Iowa. Seu trabalho é um importante registro histórico dessas cidades antes da era da industrialização em grande escala e do rápido crescimento urbano.

Vista de um plano inclinado, próximo à Filadélfia

Esta gravura de aproximadamente 1840 mostra a vista à leste de um plano inclinado em direção a Belmont Hill (Parque Fairmount) para reboque de vagões de trem do Rio Schuylkill na Filadélfia até Colúmbia na ferrovia entre Filadélfia e Colúmbia. Dois homens observam os vagões sendo rebocados do plano por cabos. A ponte coberta da Ferrovia de Colúmbia sobre o Schuylkill, concluída em 1834, está visível em segundo plano. Em primeiro plano está uma paisagem densamente arborizada, com a vista da cidade à distância. O plano ligando o rio e a linha ferroviária fazia parte de um sistema de ferrovias e canais construídos em toda a Pensilvânia no início do século XIX para ajudar a Filadélfia a competir com Nova York e Baltimore, cidades portuárias que estavam desenvolvendo novas ligações de transporte para o meio-oeste americano em rápido crescimento. O plano foi abandonado em 1850 quando a empresa ferroviária construiu uma nova linha. A ilustração é de autoria de John Caspar Wild (entre 1804 e 1846, aproximadamente), um artista e litógrafo nascido na Suíça, que chegou à Filadélfia, vindo de Paris, em 1832. Ele produziu pinturas e gravuras da Filadélfia e de outras cidades americanas, incluindo Cincinnati, Saint Louis e Davenport, Iowa. Seu trabalho é um importante registro histórico dessas cidades antes da era da industrialização em grande escala e do rápido crescimento urbano.

Vista geral do Cemitério Laurel Hill

Na década de 1830, um grupo de influentes moradores da Filadélfia pretendia estabelecer um cemitério rural que fosse naturalista, sereno, exclusivo e refinado. Escolheram Laurel Hill, na Avenida Ridge, 3822, antiga propriedade do comerciante Joseph Sims, que tinha penhascos rochosos e vistas espetaculares e ficava a cerca de seis quilômetros do centro da cidade. O cemitério foi construído entre 1836 e 1839 com projetos do arquiteto e paisagista escocês John Notman. Em primeiro plano, carruagens puxadas por cavalos se aproximam do portão principal (visível à esquerda) do cemitério, cuja paisagem contém sepulturas, monumentos e uma capela em estilo gótico. A gravura também mostra residências campestres nas colinas que se erguem ao fundo. A litografia apareceu como frontispício no Guia do Cemitério Laurel Hill em 1847.

Albergue dos Amigos

Esta gravura mostra uma vista externa da frente do albergue localizado do lado sul da Rua Walnut, entre as Ruas 3ª e 4ª, na Filadélfia. O prédio foi construído em 1745 pela Sociedade Religiosa dos Amigos, uma seita religiosa protestante conhecida como Quacres, e foi demolido em 1841. Sua finalidade era abrigar membros da Sociedade dos Amigos que não tinham recursos e, às vezes, admitia pessoas pobres de outras denominações. A gravura é de Thomas S. Sinclair (entre 1805 e 1881, aproximadamente), nascido nas Ilhas Orkney na Escócia e em atividade na Filadélfia em 1833, onde logo iniciou seu próprio negócio e foi um dos primeiros impressores locais a experimentar a litografia em cores. Nesta gravura, ele pode ter trabalhado a partir de ilustrações de William L. Breton.

Albergue. Filadélfia

Esta gravura da década de 1840 mostra o Albergue Brockley na Filadélfia, visto da margem leste do Rio Schuylkill. Ela inclui a Ponte Market Street, a torre de disparo de Beck (um marco na cidade desde 1808) e, à distância, a Penitenciária do Leste do estado. William Strickland (1788–1854), um dos fundadores da arquitetura neogrega nos Estados Unidos, projetou o quadrilátero de quatro grandes prédios que formavam o albergue. O Albergue da Filadélfia original foi construído no início da década de 1730 e foi a primeira instituição governamental multifuncional para atender aos pobres nos Estados Unidos. Além de abrigar e alimentar os pobres, oferecia uma enfermaria e um hospital para os doentes e os insanos, um reformatório e um orfanato. Quando o albergue original ficou superlotado, as autoridades escolheram um terreno de tamanho considerável em área pouco desenvolvida em Blockley, a oeste do centro da cidade, para a nova estrutura, que foi concluída em 1833. A ilustração é de autoria de John Caspar Wild (entre 1804 e 1846, aproximadamente), um artista e litógrafo nascido na Suíça, que chegou à Filadélfia, vindo de Paris, em 1832. Ele produziu pinturas e gravuras da Filadélfia e de outras cidades americanas, incluindo Cincinnati, Saint Louis e Davenport, Iowa. Seu trabalho é um importante registro histórico dessas cidades antes da era da industrialização em grande escala e do rápido crescimento urbano.

Penitenciária do leste da Pensilvânia. Próxima à Filadélfia

Esta litografia colorida à mão mostra uma vista que abrange, além das terras cultivadas, a Penitenciária do Leste da Pensilvânia. Em primeiro plano, dois meninos sentados em um pasto cercado no qual vacas pastam ao lado de estábulos e há um lago anexo com patos nadando. Ao fundo, vê-se uma fazenda em frente à prisão, onde uma carroça está parada e um homem anda a cavalo. A penitenciária foi construída entre 1823 e 1826 com projeto de John Haviland e abriu inacabada em 1829. Localizada na Avenida Fairmount, 2101/2099, era uma das maiores e mais caras estruturas da época e era incomum por ter vasos sanitários com descarga e aquecimento nas celas. George Lehman (entre 1800 e 1870, aproximadamente), um artista que pintava paisagens e litógrafo nascido na Suíça e criado no Condado de Lancaster, Pensilvânia, produziu a arte original dessa gravura. A litografia foi feita por volta de 1833 por Childs & Lehman, quando Lehman era parceiro de Cephas G. Childs, um dos principais gravadores da Filadélfia.

Asilo dos Amigos para os insanos próximo a Frankford

Esta litografia de aproximadamente 1836 retrata o primeiro hospital psiquiátrico particular dos Estados Unidos. Conhecido como Asilo dos amigos para os insanos, foi fundado em 1813 pela Sociedade dos Amigos (também chamados de Quacres) e aberto para pacientes em 1817. A instituição ficava na área de uma antiga fazenda de 21 hectares no distrito municipal de Oxford, próximo a Frankford, dez quilômetros a nordeste do centro da Filadélfia. A vista aqui, uma cena pastoral com homens em pé em primeiro plano e animais pastando, é do prédio do albergue depois da adição, em 1827, de duas alas de pacientes à estrutura original. A gravura é de George Lehman (entre 1800 e 1870, aproximadamente), um artista que pintava paisagens e litógrafo nascido na Suíça e criado no Condado de Lancaster, Pensilvânia. Foi produzida pela parceria Lehman & Duval, que Lehman formou com Peter S. Duval (entre 1804 ou 1805 e 1886), um dos principais litógrafos do seu tempo. O trabalho apareceu como frontispício dos relatórios anuais do asilo entre 1836 e 1840, que foram denominados Relatório anual do estado do asilo para alívio de pessoas privadas do uso da razão.