13 de janeiro de 2012

Os langos: uma tribo nilótica de Uganda

Este estudo de 1923 sobre o povo lango do centro-norte da Uganda narra as origens e a história do grupo, que possuía uma forma de governo baseada em chefes de pequenos clãs, em vez de um rei ou chefe superior, antes da chegada do domínio britânico. Jack Herbert Driberg (1888-1946) foi um oficial britânico a serviço do Protetorado de Uganda em 1912-1921 e viveu e trabalhou entre os langos, de quem tinha simpatia e admiração. Ele descreve a etnologia da nação lango, seu ambiente, incluindo a fauna e o clima e as características geográficas do território lango. Este último inclui o rio Moroto, que abriga várias espécies de crocodilos-anões que podiam chegar a quase um metro de comprimento. Driberg também traça as características físicas e psicológicas dos langos. Ele fornece um registro detalhado da vida na aldeia e de suas armas e acessórios, produtos manufaturados, pecuária, agricultura, alimentação, guerra, caça, instrumentos musicais, danças e jogos. Um capítulo sobre a organização social reflete sobre as tradições do nascimento, os nomes dados aos recém-nascidos, as cerimônias de casamento e enterro, a organização política e a herança. A religião, a magia e a feitiçaria dos langos também são discutidas. O estudo contém ainda uma análise de Driberg sobre a língua luo do povo lango e seu dicionário lango-inglês. O livro conclui com uma série de fábulas lango.

Ornamentos da indústria doméstica: o trabalho em metal do camponês ruteno

Vzory promyslu domashnogo vyroby metalevi selian na Rusi (Ornamentos da indústria doméstica: o trabalho em metal do camponês ruteno) faz parte de uma série de livros publicados pelo Museu Industrial de Lviv (atual Ucrânia), com este volume surgindo em 1882. O texto explicativo aparece em polonês, ruteno (o antecessor do moderno idioma ucraniano), alemão e francês e destaca a arte e o gosto estético exibidos em objetos do quotidiano. O foco do livro é o povo hutsuls, proveniente das Montanhas dos Cárpatos, principalmente do oeste e do sudoeste da Ucrânia, mas também do norte da Romênia e do leste da Polônia, que falam um dialeto ruteno e seguem a fé ortodoxa grega ou a católica grega ucraniana. O trabalho minucioso é evidente em suas roupas, esculturas, arquitetura e trabalhos em madeira e em metal (especialmente em latão). As ilustrações mostram artigos de metal decorativos utilizados em joias, roupas, casas e armas. Estes incluem: enfeites de cabelo; pingentes de cruzes, usados com colares e como brincos; outros tipos de brincos e anéis; cintos e fivelas de cintos; cachimbos e acessórios de limpeza de cachimbos; um típico machado de cabo longo com uma cabeça pequena; cabos de espadas e punhais finamente decorados e gravações em armas.

Álbum da cidade antiga

Al’bom starogo L’vova (Álbum da cidade antiga), publicado em 1917, é uma coleção de imagens dos principais monumentos históricos de Lviv (na atual Ucrânia Ocidental). O álbum contém imagens dos locais dominantes de cultos, como a Catedral Católica, a Catedral Armênia, a Igreja Dominicana e a Igreja Beneditina. As ilustrações mostram detalhes e cenas das ruas de Lviv, construída nos séculos XVI-XIX. Os detalhes arquitetônicos incluem baixos-relevos, portas entalhadas, encantadoras e curiosas esculturas em pedra e molduras. As pessoas são vistas passeando pelas fontes do mercado com suas lojas e casas atraentes. As ruas mostradas incluem a rue des Arméniens, rue du Tribunal e rue Czacki, com detalhes do interior da maison Sobiéski e a maison Noire. As fotografias tiradas no Museu da Cidade mostram os seus quartos requintados, com um retrato de Estanislau Augusto (rei da Polônia em 1764-1795), outras artes, móveis e porcelanas, fogões de cerâmica para aquecer os quartos e esculturas. O álbum transmite algo do espírito da cidade antiga. O texto introdutório está em russo, com as legendas das fotografias em russo e em francês.

Genealogia da família Liu de Xiuyi Mining

As obras genealógicas chinesas são registros históricos que documentam a linhagem, os títulos e os eventos relacionados a um clã patriarcal. Uma obra genealógica geralmente era composta por: prefácio, índice, regras de compilação, regras e instruções que deviam ser observadas pelos membros do clã, imagens do templo ancestral, túmulos e retratos, árvores genealógicas e biografias dos membros ilustres do clã. Também eram incluídos os nomes da pessoa ou pessoas responsáveis pela publicação da obra, bem como um posfácio. Essas obras complementam a disposição geral de registros históricos e são uma fonte importante para estudos da história e da cultura chinesas. Existem muitas genealogias das famílias Liu no início da história da China e a quantidade publicada teve uma nova alta durante as dinastias Ming e Qing. As primeiras edições existentes são da era Ming, incluindo esta obra, publicada em 1557. A inscrição original indica que a obra foi compilada por Liu Hao, um descendente da 19ª geração e por outros autores. A obra traça uma linha de descendência da família Liu Yu de Mining, que, após obter seu jin shi (doutorado) durante o reinado de Xiantong (860-874) da dinastia Tang, conseguiu uma colocação em Jiangnan, onde se envolveu em assuntos militares. As gerações subsequentes de Liu, durante as dinastias Song, Yuan e Ming, tiveram, em sua maioria, carreiras literárias e políticas. A obra contém diversos escritos feitos por personalidades de renome. Os quatro prefácios foram escritos por Yu Ji (1272-1348), um estudioso e poeta; por Zhu Sheng (1299-1370), um membro da Academia Hanlin e por dois membros da família Liu, Liu Ran e Liu Tang. O posfácio foi escrito pelo próprio autor. Algumas partes desta obra são os únicos escritos existentes desses intelectuais.

Genealogia da família Wang

Esta genealogia chinesa impressa consiste em quatro volumes. As obras genealógicas chinesas são registros históricos que documentam a linhagem, os títulos e os eventos relacionados a um clã patriarcal. Uma obra genealógica geralmente era composta por: prefácio, índice, regras de compilação, regras e instruções que deviam ser observadas pelos membros do clã, imagens do templo ancestral, túmulos e retratos, árvores genealógicas e biografias dos membros ilustres do clã. Também eram incluídos os nomes da pessoa ou pessoas responsáveis pela publicação da obra, bem como um posfácio. A inscrição do título indica que o compilador foi Wang Huo, um descendente da 78ª geração de Shaxi, Shexian, província de Anhui. A obra traça a linha de descendência de Wang Han, um descendente do príncipe Yue da dinastia Tang, que era considerado o membro fundador da família Wang e cujos descendentes mais tarde desenvolveram-se e expandiram-se em oito clãs. A obra foi publicada durante o reinado de Wanli, por volta de 1550 e tem um prefácio do autor datado de 1550 e um posfácio de Wang Daokun, um poeta e dramaturgo da época, datado de 1551.

O dicionário geográfico de Wanli da prefeitura de Yanping

Durante a dinastia Ming havia três prefeituras ao norte da província de Fujian: Yanping, Jianning e Shaowu. A prefeitura de Yanping (atual Shi Nanping) foi criada em 1369. O funcionário mais graduado era o prefeito, que administrava os municípios, retransmitia as portarias do governo do estado, controlava os tribunais criminais e cobrava os impostos. Durante a dinastia Ming um prefeito tinha um posto de quarto grau na hierarquia oficial. Os prefeitos, muitas vezes, estavam envolvidos na publicação de dicionários geográficos locais. Essas obras continham descrições detalhadas da situação de uma localidade em um determinado período. As informações aprofundadas que elas contêm as tornam importantes fontes para o estudo da história, da geografia, da economia local, da cultura, da língua e dos dialetos, das biografias de pessoas notáveis, bem como da administração do governo local. O compilador principal desta obra foi Yi Kejiu, o prefeito de Yanping, que obteve seu jin shi (doutorado) em 1565 e tornou-se prefeito no início do reinado de Wanli (1573-1620). Os outros quatro compiladores, todos funcionários de sua administração, foram Yang Shujing, Li Jiazhi, Lu Yang e Yao Yinglong. Um título adicionado refere-se à Chong xiu Min zhi cai fang shu (Nova edição dos dicionários geográficos coletados de Fujian). O catálogo de Tian yi ge (A biblioteca do primeiro salão sob o céu) lista esta obra como uma nova edição de 34 juan, reeditada por esta biblioteca.