A Colonização da Indochina

La colonisation de l’Indo-Chine: L’Expérience anglaise (A colonização da Indochina: a experiência inglesa) é um estudo de caso de 1892 sobre a experiência colonial britânica na Ásia e suas lições para a França na administração da Indochina Francesa (atual Camboja, Laos e Vietnã). O autor, ensaísta francês influente e teórico colonial, Joseph Chailley-Bert (1854-1928), foi um ardente defensor da reforma das práticas de colonização da França e das estratégias de governo, que ele argumentava que eram deficientes tanto na concepção e execução, e pela necessidade de se recorrer às experiências bem sucedidas dos poderes coloniais britânicos e outros. A primeira parte do livro é dedicada à colônia britânica de Hong Kong, com capítulos que cobrem a penetração inicial e ocupação, desenvolvimento econômico, e métodos de governo e de administração. A segunda é dedicada à colônia da Birmânia e contém capítulos sobre os mesmos temas gerais. Chailley-Bert concluiu que o sucesso colonial era dependente de "colonos bons, boas leis e bons administradores." Seu trabalho provou ter grande influência sobre a política colonial francesa.

A Província da Birmânia; Um relatório Elaborado em Nome da Universidade de Chicago

Alleyne Ireland (1871-1951) foi um membro da Sociedade Geográfica Real, em Londres, que, em 1901, foi nomeado pela Universidade de Chicago para chefiar uma comissão para estudar a administração colonial no Extremo Oriente. O primeiro grande projeto de Ireland, publicado em 1907, foi este estudo exaustivo de dois volumes sobre a Birmânia, na época sob domínio britânico como uma província do Império Indiano. O primeiro volume contém uma descrição geral da Birmânia, a história da aquisição da colônia pela Grã-Bretanha, e capítulos sobre o povo, governo, administração geral, administração pública, administração policial, administração judiciária, administração penitenciária e sistema educacional. O segundo volume é dedicado aos assuntos econômicos e administrativos, incluindo a administração financeira, o sistema de impostos sobre a terra, obras públicas, comércio e transporte, e a administração das florestas, cidades, vilas e portos. Vinte e um apêndices fornecem detalhes adicionais, incluindo as estatísticas econômicas e demográficas, os textos de tratados, acordos e relatórios, uma bibliografia e um glossário de palavras indianas e birmaneses. No final do primeiro volume, há um grande mapa dobrável da Birmânia criado pelos cartógrafos de Edinburgh, John Bartholomew & Co.