Alunos que estudavam na Holanda no final do período Edo

Esta fotografia de estudantes japoneses na Holanda foi tirada em 1865. Após a chegada do Comodoro Mathew C. Perry ao Japão e a abertura dos portos japoneses ao comércio internacional, a aquisição da ciência e tecnologia ocidentais tornou-se uma prioridade para o Japão. O governo xogunato elaborou um plano para enviar estudantes para países ocidentais. O governo inicialmente previu a compra de seu primeiro navio de guerra dos Estados Unidos e o envio de seus primeiros alunos para lá, mas a eclosão da Guerra Civil dos Estados Unidos obrigou-o a desistir dos planos. Em vez disso, ele decidiu fazer uma solicitação à Holanda. As negociações para a compra de um navio de guerra e o envio de estudantes foram bem sucedidos e, em 11 de abril de 1862, o primeiro grupo de estudantes recebeu ordens para viajar à Europa. o grupo incluía Takeaki Enomoto (também chamado Kamajiro), Sawa Tarōzaemon, Akamatsu Noriyoshi (Daizaburō), Uchida Masao (Kojiro) e Taguchi Shunpei do Instituto de Navegação de Navios de Guerra. Mamichi Tsuda (Shin'ichirō) e Amane Nishi (Shusuke) da Agência de Inspeção de Livros Bárbaros também foram incluídos, bem como Ito Genpuku e Kenkai Hayashi, que vinham recebendo treinamento médico em Nagasaki, e sete outros artesãos que eram técnicos em fundição, construção naval e outras funções. Em 14 de julho, eles embarcaram no Kanrin-maru e deixaram Edo (atual Tóquio). Na Holanda, os alunos estudaram tecnologias navais, ciências sociais, medicina e outras matérias.

Província de Vyborg

Este cartão é um dos exemplares de uma série de 82 cartões ilustrados, um para cada província do Império Russo, conforme existiam em 1856. Cada cartão apresenta um panorama da cultura, história, economia e geografia de uma determinada província. A frente do cartão retrata características distintas, tais como: rios, montanhas, cidades e indústrias principais. O verso de cada cartão contém um mapa da província, o selo da província, informações sobre a população e uma fotografia dos trajes locais dos habitantes . Vyborgskaia guberniia (Província de Viborg [Vyborg] ), retratada  neste cartão, corresponde a uma parte da atual Rússia e Finlândia.

A Bateria em um Forte na Bahia

A Coleção Thereza Christina Maria é composta por 21.742 fotografias, reunidas pelo Imperador Pedro II ao longo de sua vida e por ele doadas à Biblioteca Nacional do Brasil. A coleção abrange uma ampla variedade de temas. Documenta as conquistas do Brasil e do povo brasileiro no século XIX, e também inclui muitas fotografias da Europa, África e da América do Norte. O Forte de São Marcelo, também conhecido como o Forte do Mar, está localizado sobre um pedaço de terrra na Baía de Todos os Santos, ao largo da costa do Estado da Bahia. O forte foi construído pelos portugueses, em meados do século XVII, para proteger o porto da cidade de Salvador, na época a capital do Brasil, que os portugueses haviam retomado recentemente dos holandeses. O forte é circular e construído de arenito. Durante grande parte do século XX, o Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) executou trabalhos arqueológicos e reconstrutivos do forte. Hoje, o forte está aberto ao público e é uma atração turística muito popular.