Mapa dos domínios da Companhia Rosalij de propriedade de Sua Excelência Charles O'Harra, o honorável vice-governador Will. Stuart, James Clarke & Rob. & Phill.

A França e a Grã-Bretanha disputaram o controle de Dominica durante muitos anos. Em 1763, os britânicos ganharam a posse da ilha. Este mapa detalhado mostra terras de propriedade britânica e uma plantação no lado atlântico da ilha. Detalhes no mapa incluem edifícios individuais e outras estruturas, estradas, áreas de plantação identificadas por número, divisões administrativas das propriedades identificadas por letras, canais, representações pictóricas de vegetação e relevo, o litoral e aspectos costeiros, e uma vinheta de navios no porto. O mapa inclui ainda uma legenda codificada, listando o tamanho de cada área de plantação e de cada divisão de terras. A imagem panorâmica inserida, "Rosalij", mostra casas de colonos, campos cultivados e vazios, um navio atracado no porto à direita, colinas arborizadas ao fundo e duas pequenas silhuetas de um europeu e um africano em primeiro plano à esquerda. O mapa está orientado com o oeste na parte superior.

Tratado de Paris

Este tratado, enviado ao Congresso pelos negociadores americanos John Adams, Benjamin Franklin e John Jay, formalmente encerrou a Guerra Revolucionária. Foi um dos tratados mais vantajosos negociados, até então, pelos Estados Unidos. Duas cláusulas cruciais eram o reconhecimento britânico da independência dos Estados Unidos e a delimitação das fronteiras, que permitiria a expansão americana em direção ao oeste até o rio Mississipi. Existem duas duplicatas originais do tratado no arquivo Original Americano da Administração dos Arquivos Nacionais e Registros dos Estados Unidos. Eles são mais facilmente distinguidos um do outro pela orientação dos seus selos, horizontal em um e vertical no outro.

Fronteira entre a Turquia e a Armênia Conforme determinado por Woodrow Wilson, presidente dos Estados Unidos da América

A desintegração dos impérios otomano e russo no final da Primeira Guerra Mundial fez surgir uma série de novos Estados. Em maio de 1918, a Armênia Oriental, antes parte do império russo, declarou-se uma república independente. Em abril de 1920, as Forças Aliadas vitoriosas, ao destruírem o Império Otomano, ordenaram que a Armênia Ocidental fosse anexada à nova república e nomearam o presidente norte-americano Woodrow Wilson para definir a fronteira entre a Turquia (sucessora do Império Otomano) e a Armênia. Em novembro de 1920, Wilson definiu a fronteira com base em uma variedade de fatores geográficos, demográficos, étnicos e históricos. Este mapa, elaborado sob o comando do exército norte-americano pelo Setor Topográfico de Pesquisa Geológica dos E.U.A., mostra a decisão final de Wilson. No entanto, o Tratado de Sèvres, que previa uma Armênia independente e reconhecia a arbitragem de Wilson, jamais foi ratificado. Nacionalistas turcos, sob o comando de Mustafa Kemal, derrubaram a monarquia turca, estabeleceram uma república e invadiram a Armênia forçando-a, por fim, a renunciar à grande parte do território que a arbitragem de Wilson tinha atribuído ao novo país. As forças bolcheviques russas também invadiram a Armênia e incorporaram à nova União Soviética o que restara da República Armênia.

Os segredos da profissão médica

Um dos pioneiros na história da medicina, Muhammad ibn Zakariya Al-Razi (também conhecido pela versão latinizada do seu nome, Rhazes ou Rasis, 865-925 d.C., 251-313 a.H.) foi um polímata médico e filósofo muçulmano persa. Ele nasceu na cidade de Rey, perto da atual Teerã, no Irã, e passou a maior parte de sua vida entre sua terra natal e Bagdá, a capital do califado abássida. Ele lecionou medicina e foi médico-chefe em ambas as cidades. Ele fez grandes e duradouras contribuições nos campos da música, medicina, filosofia e alquimia e foi o autor de mais de 200 livros e tratados. Os segredos da profissão médica não só transmite uma riqueza de conhecimentos médicos, mas também reflete a própria dedicação de Al-Razi à profissão e ao bem-estar humano em geral. No livro, ele coloca à disposição do público o conhecimento médico que adquiriu da leitura das obras de antigos médicos, incluindo Hipócrates, bem como seu próprio conhecimento amplo neste campo. Ele argumentou que a tendência entre os médicos de sua época de manter em segredo o tratamento médico iria prejudicar a disseminação da aprendizagem em geral, e que tinham transformado a medicina em uma profissão rentável, em vez de uma profissão de cura.

Cena de Inverno com Construção em Madeira, Grisões, Suíça

Esta impressão colorida de um chalé em Grisons faz parte de "Paisagens de Viagem da Europa do Século XIX" do catálogo da Photoglob Company (1895). Baedeker, Suíça e as partes adjacentes da Itália, Savoy e Tirol (1913), observou que Grisões "consiste em uma imensa cadeia de monstanhas . . . e é notável a variedade de suas paisagens, clima e produções. " Localizado na região leste do país, Grisões faz fronteiras com a Itália e Liechtenstein e é o maior cantão da Suíça. O chalé retratado aqui é tradicionalmente suíço, como tipificado por sua arquitetura rústica de madeira.

Duas Jornaleiras de 7 anos, Profana e Esperta,  Domingo de Vendas, Nashville, Tennessee

Esta fotografia, tirada por um fotógrafo desconhecido em Nashiville, Tennessee, em novembro de 1910, mostra dois jornaleiros de sete anos. A fotografia é da coleção da Agência da Criança, um órgão do governo fundado em 1912 para investigar e relatar "todos os assuntos pertinentes ao bem estar  e a vida de crianças de todas as classes de nosso povo.''A aprovação da lei foi o ápice de uma companha que havia começado em 1903 por dois reformadores sociais, Lilian Wald, do Centro Comunitário da Henry Street de Nova Iorque e Florence Kelly, da Liga Nacional do Consumidor. A primeira dirigente da Agência da Criança foi Julia C. Lathrop (1858-1932), uma assistente social pioneira ativa na Hull House, uma organização fundada para prestar serviços ao imigrantes recém-chegados em Chicago.

Orientação para candidatos camponeses sobre como emigrar para o Brasil (edição de 1932)

Este folheto foi publicado pela Federação das Associações de Imigração, que era apoiada pelo governo japonês, com a finalidade de recrutar migrantes do Japão para outros países. Ele explica as condições, os preparativos e o processo de candidatura para a emigração ao Brasil. A emigração japonesa para o Brasil começou em 1908 e alcançou seu pico em 1926-1935. Após a abolição da escravatura no Brasil, em 1888, o governo do Brasil voltou-se para os imigrantes para enfrentar uma escassez de trabalho na indústria do café que ganhava cada vez mais importância. Imigrantes europeus, principalmente italianos, preencheram a lacuna no início, posteriormente completada pela chegada dos imigrantes do Japão, onde a pobreza rural era generalizada e a economia estava lutando para se modernizar e para reabsorver os soldados que estavam retornando após a Guerra Russo-Japonesa (1904-1905).

Marcha dos Direitos Civis em Washington, DC: Dr. Martin Luther King, Jr., presidente da Conferência de LIderança Cristã Sulista, e Mathew Ahmann, diretor executivo da Conferência Nacional Católica para Justiça Interracial, no meio de uma multidão

A Marcha em Washington pelo Empregos e Liberdade aconteceu em Agosto de 1963 e foi o local do célebre discurso "Eu Tenho um Sonho" feito pelo Reverendo Dr. Martin Luther King, Jr., presidente da Conferência de Liderança Cristã do Sul. A. Philip Randolph, um líder trabalhista e fundador da Irmandade Sleeping Car Porters, propôs uma grande passeata para a capital como uma forma de incintar o Congresso e a administração do Presidente John F. Kennedy a agir em defesa dos direitos civis. Outros envolvidos no planejamento incluia o próprio Rei, a Associação Nacional para o Avanço das Pessoas de Cor o Presidente Roy Wilkins, e John Lewis, presidente da Comissão Coordenadora Estudantil pela Não-Violência. A passeata foi totalmente tranquila, e reunium um número estimado em 200 mil - 300 mil pessoas. Foi amplamente creditada com ajuda a passar a legislação revolucionária dos direitos civis em 1964 e 1965. Aqui é mostrada o dia da passeata com o Rei e Mathew Ahmann, o Diretor-Executivo da Conferência Nacional Católica para Justiça Interracial.

Memórias da Revolução em Bengala, 1757 D.C.

Esta obra de William Watts (atuante entre 1737-58) é um relato da Batalha de Plassey, que aconteceu em 23 de junho de 1757, próximo à aldeia de Pâlāshir, cerca de 150 quilômetros ao norte de Calcutá (atual Kolkata). Neste encontro decisivo, as forças da Companhia Britânica das Índias Orientais, sob o comando de Robert Clive, derrotou Siraj Ud Daulah, o último Nawab independente de Bengala. A vitória britânica e o tratado com o Império Moghul que se seguiu,  deixaram a província de Bengala e sua grande riqueza sob o controle da companhia, estabelecendo, assim, a base para a expansão do controle britânico no resto da Índia. A Companhia Francesa das Índias Orientais (La Compagnie des Indes Orientales) apoiou o Nawab e sua derrota acelerou a eliminação da influência francesa na Índia. O "Meer Jaffeir", ao qual se refere o título, é Mir Jafar, um dos comandantes militares de Siraj-ud-Daulah, que traiu seu líder e contribuiu para a derrota. A Companhia Britânica das Índias Orientais posteriormente escolheu Mir Jafar como seu governante de fachada em Bengala.

Fotografia do Presidente Abraham Lincoln

Abraham Lincoln (1809-65) foi o décimo-sexto presidente dos Estados Unidos. Nasceu em uma fazenda no Kentucky e mudou-se com sua família para Indiana aos 8 anos de idade. Aos 21 anos, mudou-se para Illinois, onde teve diversos empregos e começou a estudar Direito. Ele tinha menos que um ano de eduçação formal, mas tornou-se um escritor talentoso através da leitura da Bíblia do rei James e de outros clássicos da literatura inglesa. Ele exerceu advocacia em Illinois, serviu na Assembléia Geral de Illinois, e foi eleito para a Câmara de Representantes dos E.U.A. Em 1860, ele foi eleito presidente dos Estados Unidos, com uma plataforma que se opunha à expansão da escravidão ao Oeste Americano, uma postura que precipitou a secessão dos estados sulistas da União. Recusando-se a aceitar a secessão, Lincoln declarou guerra contra o Sul a fim de preservar a União e, em última instância, para abolir a escravidão nos Estados Unidos. Ele foi morto, pela bala de um assassino, em 14 de abril de 1865, logo após a rendição do sul. Esta fotografia de Lincoln é de Mathew B. Brady (1823? -96), um fotógrafo americano da época, que abrira uma galeria em Nova Iorque em 1844. Embora fosse mais conhecido por suas fotografias de campos de batalha na Guerra Civil, Brady ficou conhecido, primeiramente, como um fotógrafo retratista que capturava muita gente famosa com sua lente.