11 de agosto de 2011

O Ator Sanogawa Ichimatsu no papel de dançarino Shakkyō

O termo ukiyo-e, literalmente "retratos do mundo flutuante" se refere a um gênero de obra de arte japonesa no período Edo (1600-1868). Como a frase "mundo flutuante" sugere, com suas raízes na visão efêmera do Budismo, ukiyo-e capturava a dinâmica fugaz da vida urbana contemporânea. Ao mesmo tempo que eram acessíveis e satisfaziam os gostos das "pessoas comuns", os detalhes artístico e técnico dessas pinturas mostram uma sofisticação notável. Seus temas vão de retratos de cortesãs e atores à literatura clássica. Esta gravura retrata o famoso ator de kabuki Sanogawa Ichimatsu executando a dança do leão, um dos destaques da peça Shakkyō (Ponte de Pedra). Embora o benizuri-e (gravuras em duas cores) fosse o gênero mais comum de ukiyo-e na década de 1740, Okumura Masanobu (1686-1764) produziu esta gravura no estilo urushi-e (pintura de laca). Urushi-e foi um estilo popular na década de 1720, no qual uma camada de cola era aplicada a determinadas áreas escuras de uma composição para dar-lhes uma textura brilhante. Masanobu incluiu o logotipo de sua editora, Okumura-ya, no centro da parte de baixo desta imagem.

Povos de várias Nações

Durante os quase dois séculos de contato externo restrito durante o período Edo (1600-1868), os japoneses ainda mantinham uma curiosidade sobre as culturas estrangeiras. Este mapa, publicado no início do século XIX, mostra um enorme arquipélago representando o Japão no centro do mundo. Estão presentes no mapa inserções de imagens e descrições de pessoas estrangeiras, a distância entre o Japão e suas terras, e as diferenças climáticas. Os locais indicados incluem o “País Pigmeu, 14.000 ri” (1 ri = 2,4 milhas), “País da Mulher, 14.000 ri”, e “País do povo negro, 75.000 ri.” No parte inferior direita, a América é dita ser povoada por "pessoas que são mais altas que em nosso país, brancas e lindas ... quanto mais ao sul você vai, as pessoas tornam-se maiores; no extremo sul da América do Sul está Chiika-koku (país de pessoas altas)." As descrições dão a noção de conhecimento geográfico limitado e as representações estereotipadas dos estrangeiros no Japão nesse período.

Os Humores, Diabo a suprimir “Kwai-Danzi"

A vitória do Japão na Guerra Russo-Japonesa de 1904 e1905, uma colisão sobre a influência econômica e política na Coreia e na Manchúria, marcou a primeira vitória de um país asiático sobre uma potência europeia. Esta mudança inesperada dos acontecimentos obrigou o Ocidente a reavaliar a situação do Japão na ordem política internacional. Entre as nações asiáticas, isso destruiu a imagem de invencibilidade da autoridade ocidental. Enquanto muitos no Japão estavam insatisfeitos com o tratado de paz que terminou a guerra, a vitória do Japão, ainda assim, confirmou o sucesso da unidade do regime Meiji no sentido da modernização e ajudou a solidificar a crescente presença dos militares no governo. Esta gravura de 1904, por Tomisato Chōmatsu, retrata o Japão no centro como o "Deus da Paz" esmagando a Rússia, olhado com admiração pela Inglaterra, Estados Unidos, Turquia, França, China, Coreia e Alemanha. A descrição japonesa na parte de baixo e sua tradução em inglês no canto superior esquerdo, descrevem como a Rússia será rejeitada por outras nações, enquanto o Japão ganhará apoio e admiração por ter afastado "demônio". A figura que representa o Japão está segurando um prato de bolinhos de arroz com os nomes dos principais lugares em disputa na guerra.

O Ator Nakayama Tomisaburo

O termo ukiyo-e, literalmente "retratos do mundo flutuante" se refere a um gênero de obra de arte japonesa no período Edo (1600-1868). Como a frase "mundo flutuante" sugere, com suas raízes na visão efêmera do Budismo, ukiyo-e capturava a dinâmica fugaz da vida urbana contemporânea. Ao mesmo tempo que eram acessíveis e satisfaziam os gostos das "pessoas comuns", os detalhes artístico e técnico dessas pinturas mostram uma sofisticação notável. Seus temas vão de retratos de cortesãs e atores à literatura clássica. Esta gravura é uma de apenas sete obras conhecidas, todos retratos de atores, de Kabukidō Enkyō (1749-1803), o único seguidor do enigmático Tōshūsai Sharaku. Nada se sabia de Enkyō até 1926, quando foi descoberto que ele também usou o nome Nakamura Jūsuke II; sob este nome, ele era conhecido como autor e ator de kabuki. É provável que o modelo aqui seja Nakayama Tomisaburō, um ator que interpretou papéis femininos, como identificado por uma impressão idêntica de Enkyō na coleção do Instituto de Arte de Chicago.

Filhotes de Pescada

Um novo e menos formal estilo de poesia chamado haikai (verso vinculado) difundiu-se entre os citadinos de Kyoto, Osaka e Edo no Japão do século XVII. Haikai foi também uma atividade bem social, com as festas de versos vinculados realizadas em ocasiões regulares em casas ou em restaurantes. Tais encontros poéticos ajudaram a dar origem as gravuras privadamente encomendadas, chamadas surimono (gravuras), que casavam imagens com versos representativos do círculo. Ambos eram normalmente destinados a levar o selo do “conhecimento interior" para um público culto e bem educado. Os surimonos não eram destinados à venda, mas sim como presentes. Desta forma, os artistas, os gravadores e os impressores os produziam com extremo cuidado. Os produtos finais estão, em muitos casos, entre os melhores exemplos da arte da xilogravura. Esta cópia por Ryūryūkyo Shinsai (por volta de 1764-1820) é uma natureza morta de legumes cortados e uma panela contendo peixe-gelo sobre uma bandeja. O poema traduzido por Dontontei Wataru (morreu em 1822) neste surimono se lê: "Peixes-gelo (cozinhando) como neve derretendo / Tranquilamente o vinho aquece o meu peito / Eu me sinto como uma fonte de mil moedas de ouro."

Um Samurai Bebendo Saquê

O termo ukiyo-e, literalmente "retratos do mundo flutuante" se refere a um gênero de obra de arte japonesa no período Edo (1600-1868). Como a frase "mundo flutuante" sugere, com suas raízes na visão efêmera do Budismo, ukiyo-e capturava a dinâmica fugaz da vida urbana contemporânea. Ao mesmo tempo que eram acessíveis e satisfaziam os gostos das "pessoas comuns", os detalhes artístico e técnico dessas pinturas mostram uma sofisticação notável. Seus temas vão de retratos de cortesãs e atores à literatura clássica. Este é um esboço preliminar, que pode ter sido destinado a um projeto de xilogravura. O estilo lembra o trabalho de Tsukioka Yoshitoshi (1839-1892), especialmente na representação gráfica das feridas do guerreiro. Entre outros estilos, Yoshitoshi criou uma série de gravuras conhecidas como "gravuras de sangue" por causa de seu foco no sangue. Ele também usou o mesmo traço nervoso de pincel para criar múltiplos contornos das suas formas. Na base da imagem está um desenho separado de uma cabeça, cuidadosamente sombreada em lavagens de vermelho e preto.