11 de agosto de 2011

Livro de Akbar

Akbar Namah (Livro de Akbar) é um discurso histórico do governo de Akbar na Índia e foi escrito por Ḥamīd ullah Shāhabādī Kashmirī, um reputado historiador e poeta de Kashmir, Índia. Jalaluddin Muhammad Akbar (1542–1605), também conhecido como Akbar o Grande, foi um imperador Mongol que governou a Índia entre 1556-1605. O manuscrito foi feito por um copista desconhecido no século XIX. A margem do manuscrito é adornada com ouro incrustado em cada página, a primeira página é especialmente decorada com ouro incrustado em desenhos florais. O manuscrito contém três pinturas opostas às páginas 48, 50 e 63.

Shirin e Khusraw

Shirin va Khusraw (Shirin e Khusraw) é uma estória escrita no século XII por Shaykh Nizami Ganjavi (cerca de 1140-1202), baseada em um conto encontrado no Shahnamah (Livro dos Reis), um trabalho épico-histórico da literatura Persa feita no fim do século X pelo poeta Firdawsi (cerca de 940-1020). A lenda era muito conhecida antes de Firdawsi e romantizada ainda mais por poetas persas mais tarde. A estória escolhida por Nizami foi encomendada pelo Sultão Seljuk Tughrul e dedicada a ele e a seu irmão, Qizil Arsalan. Esta cópia foi feita por Sidiq Mir em 1857.

A Grande História dos Acontecimentos de Kashmir

Tārīkh-i A‘ẓami: Vāqi‘at Kashmīri (A grande história dos acontecimentos de Caxemira) é a história de Caxemira, Índia, desde o século XII até o século XVIII, escrita em 1747 pelo santo, estudioso e poeta de Caxemira, Mohammad A‘zam Diddimrī Kashmirī (prosperou no século XVIII). O trabalho é considerado como uma das importantes fontes de pesquisa para a história medieval de Caxemira. O volume é uma cópia do século XIX de um autor desconhecido.

Cartas de ‘Alī Ḥamdānī

Maktūbāt-i Sayyid ‘Alī Ḥamdānī (Cartas de ‘Alī Ḥamdānī ) é uma coleção de cartas do famoso estudioso persa, santo e pregador Sayyid ‘Alī Ḥamdānī (1314–85 d.C.; a.H. 714–87). Ele veio de Hamdam na Ásia Central e viajou para Kashmir em 1372-73 d.C. para espalhar a mensagem do Islã. Este é um dos manuscritos existentes mais excepcionais das cartas do santo para seus discípulos, onde os direciona a desvendar os segredos do misticismo islâmico. Nas cartas, Sayyid ‘Alī Ḥamdānī cita um número de dísticos do poeta persa do século XII, Shaykh ‘Attār. Não se sabe quando esta cópia foi feita ou por quem.

O A Vida do Profeta

Maghāzī al-Nabī (A Vida do Profeta) descreve a vida do Profeta Maomé em forma poética. O trabalho original foi composto pelo famoso Árabe e estudioso Persa de Kashmir, Ya‘qub Ṣarfī (1521–95). O excepcional trabalho poético e biográfico, descrito em duascolunas em cada página do manuscrito, inclui algumas súplicas e elogios ao Profeta do Islã. Cada coluna é margeadas em linhas incrustadas de ouro. A escrita do manuscrito é clara e vívida.

Tratados Sobre as Regras e Métricas da Poesia

Risalat-i‘Urūḍ va Qafiyah (Tratado sobre as regras e métricas da poesia) fala sobre as regras e convenções a serem seguidas na escrita de uma boa poesia. O manuscrio, copiado em Caxemira, Índia, em 1677 (1088 a.H.) de um trabalho de um autor desconhecido, discute diferentes aspectos da escrita da poesia e desvenda os diferentes elementos e considerações usados na criação de uma boa poesia.