15 de julho de 2011

Tibby Fowler; Levantar Cedo Pela Manhã; O Espinho; Cabeça-de-vento; Adeus ao Whisky

Robert Burns (1759-1796) é mais conhecido por seus poemas e canções que refletem a herança cultural da Escócia. Ele nasceu em Alloway, Ayrshire, na Escócia, o primogênito dos sete filhos de um fazendeiro arrendatário, William Burnes, e sua esposa, Agnes Broun. Burns tinha pouca educação formal, mas lia literatura inglesa e absorvia as tradicionais canções folclóricas e contos do seu ambiente rural, em sua maioria no dialeto escocês. Ele começou a compor canções em 1774 e publicou seu primeiro livro, Poemas, Principalmente no Dialeto Escocês , em 1786. O trabalho foi um sucesso de crítica, e seus poemas tanto em escocês como em inglês, sobre vários temas, sedimentaram o enorme encanto de Burns. Ao mesmo tempo em que construía sua reputação literária, Burns trabalhava como fazendeiro e, em 1788, ele foi nomeado fiscal de imposto de consumo, em Ellisland. Ele passou os últimos 12 anos de sua vida coletando e editando canções folclóricas escocesas, que incluíam, entre outras, O Museu Musical Escocês e Uma Coleção Selecionada de Canções para Voz em Escocês de Airs Original. Burns contribuiu com centenas de canções escocesas para estas antologias, muitas vezes reescrevendo as letras tradicionais e adaptando-as em músicas novas ou revistas. Os trabalhos de Burns foram amplamente distribuídos em folhetos por toda a Escócia e muito além. Estes folhetos de oito páginas, pequenos e baratos, eram, muitas vezes, ilustrados com xilogravuras e impressos em papel grosseiro. Os folhetos (Chapbooks) (chamados de antologias [garlands], se incluíssem canções), eram uma forma popular de diversão no século XVIII e início do século XIX, e o modo principal pelo qual as pessoas comuns travavam conhecimento com canções e poesias. Esses eram distribuídos por "chapmen", vendedores ambulantes que vendiam os livros nos mercados e de porta em porta nas zonas rurais. Muitas vezes os folhetos incluíam poemas de vários autores, e esses não eram identificados. Este livro, da Coleção G. Ross Roy, na Universidade da Carolina do Sul, inclui "Tibby Fowler" e " Levantar Cedo Pela Manhã", de Burns.

Carta, 1789, 24 de agosto

Robert Burns (1759-1796) é mais conhecido por seus poemas e canções que refletem a herança cultural da Escócia. Ele nasceu em Alloway, Ayrshire, na Escócia, o primogênito dos sete filhos de um fazendeiro arrendatário, William Burnes, e sua esposa, Agnes Broun. Burns tinha pouca educação formal, mas lia literatura inglesa e absorvia as tradicionais canções folclóricas e contos do seu ambiente rural, em sua maioria no dialeto escocês. Ele começou a compor canções em 1774 e publicou seu primeiro livro, Poemas, Principalmente no Dialeto Escocês , em 1786. O trabalho foi um sucesso de crítica e seus poemas, tanto em escocês como em inglês, sobre vários temas, sedimentaram o enorme encanto de Burns. Ao mesmo tempo em que construía sua reputação literária, Burns trabalhava como fazendeiro e, em 1788, ele foi nomeado fiscal de imposto de consumo, em Ellisland. Ele passou os últimos 12 anos de sua vida coletando e editando canções folclóricas escocesas, que incluíam, entre outras, O Museu Musical Escocês e Uma Coleção Selecionada de Canções para Voz em Escocês de Airs Original. Burns contribuiu com centenas de canções escocesas para estas antologias, muitas vezes reescrevendo as letras tradicionais e adaptando-as em músicas novas ou revistas. Esta carta poética, do Dr. Thomas Blacklock, um clérigo cego que vivia em Edimburgo, elogia a recém-publicada edição Kilmarnock, das obras de Burns. Após esta mensagem encorajadora, Burns decidiu, no verão de 1786, a abandonar a sua planejada emigração para a Jamaica e, ao invés disso, ir para Edimburgo. Mais tarde, Burns escreveu ao Dr. John Moore, "a carta de Blacklock, de setembro de 1786, me entusiasmou tanto que me transferi para Edimburgo, sem ter um único conhecido na cidade." Em 1789, os dois amigos trocaram cartas rimadas(iniciadas por este poema), e Blacklock, assim como Burns, contribuíu com músicas para o Museu Musical dos Escoceses, de Johnson. A resposta de Burns para este poema começa, "Nossa, a sua carta me envaidecd!" Embora o manuscrito tenha sido colocado à disposição do biógrafo de Burns, James Currie, não se sabe de nenhum manuscrito oferecido a James Kinsley. A versão na Coleção Roy é o único manuscrito conhecido, e constitui uma evidência única, de uma amizade de importância crucial para o estabelecimento da reputação poética de Burns.

Elegia a Sir J. H. Blair

Robert Burns (1759-1796) é mais conhecido por seus poemas e canções que refletem a herança cultural da Escócia. Ele nasceu em Alloway, Ayrshire, na Escócia, o primogênito dos sete filhos de um fazendeiro arrendatário, William Burnes, e sua esposa, Agnes Broun. Burns tinha pouca educação formal, mas lia literatura inglesa e absorvia as tradicionais canções folclóricas e contos do seu ambiente rural, em sua maioria no dialeto escocês. Ele começou a compor canções em 1774 e publicou seu primeiro livro, Poemas, Principalmente no Dialeto Escocês , em 1786. O trabalho foi um sucesso de crítica e seus poemas, tanto em escocês como em inglês, sobre vários temas, sedimentaram o enorme encanto de Burns. Ao mesmo tempo em que construía sua reputação literária, Burns trabalhava como fazendeiro e, em 1788, ele foi nomeado fiscal de imposto de consumo, em Ellisland. Ele passou os últimos 12 anos de sua vida coletando e editando canções folclóricas escocesas, que incluíam, entre outras, O Museu Musical Escocês e Uma Coleção Selecionada de Canções para Voz em Escocês de Airs Original. Burns contribuiu com centenas de canções escocesas para estas antologias, muitas vezes reescrevendo as letras tradicionais e adaptando-as em músicas novas ou revistas. Essa elegia foi escrita por Burns em memória do financista escocês e ex-Senhor Magistrado de Edimburgo, Sir James Hunter Blair, duas semanas após a sua morte, em 1787. Como Burns, Blair era maçom, e fizera uma assinatura de oito exemplares da edição de Edimburgo dos Poemas, Principalmente no Dialeto Escocês, de Burns. Burns endereçou a elegia a seu amigo Robert Aiken, incluindo, também, uma cópia impressa "um tanto incorreta". Em uma carta subsequente, ele comentou que "A ocasião melancólica do poema enviado afeta não apenas os indivíduos, mas todo um país. Que eu perdi um amigo, não é mais que a repetição do que diz a Caledônia."

Parte de uma carta. Hológrafo de Burns, do Livro de Cartas de Thornhill

Robert Burns (1759-1796) é mais conhecido por seus poemas e canções que refletem a herança cultural da Escócia. Ele nasceu em Alloway, Ayrshire, na Escócia, o primogênito dos sete filhos de um fazendeiro arrendatário, William Burnes, e sua esposa, Agnes Broun. Burns tinha pouca educação formal, mas lia literatura inglesa e absorvia as tradicionais canções folclóricas e contos do seu ambiente rural, em sua maioria no dialeto escocês. Ele começou a compor canções em 1774 e publicou seu primeiro livro, Poemas, Principalmente no Dialeto Escocês , em 1786. O trabalho foi um sucesso de crítica e seus poemas, tanto em escocês como em inglês, sobre vários temas, sedimentaram o enorme encanto de Burns. Ele passou os últimos 12 anos de sua vida coletando e editando canções folclóricas escocesas, que incluíam, entre outras, O Museu Musical Escocês e Uma Coleção Selecionada de Canções para Voz em Escocês de Airs Original. Burns contribuiu com centenas de canções escocesas para estas antologias, muitas vezes reescrevendo as letras tradicionais e adaptando-as em músicas novas ou revistas. Burns trabalhava como agricultor, enquanto construía sua reputação literária, mas após o sucesso da edição de Edimburgo de Poemas, Principalmente no Dialeto Escocês, foi nomeado fiscal de imposto de consumo em Ellisland, em 1788. Este documento é uma cópia de arquivo de uma carta comercial que Burns escreveu quando servia como fiscal de imposto de consumo. Um baú de carvalho maciço, contendo documentos sobre impostos de consumo do escritório de Thornhill, perto de Ellisland, comprado em um leilão de artigos pertencentes a Burns, pelo antiquário Joseph Train, foi exibido pelo Burns Club de Greenock, em 1859. Páginas desses documentos escritos à mão por Burns estavam entre as relíquias exibidas na Exposição Comemorativa de Glasgow, em 1896.

Carta, 1788, 14 de fevereiro, para Clarinda

Robert Burns (1759-1796) é mais conhecido por seus poemas e canções que refletem a herança cultural da Escócia. Ele nasceu em Alloway, Ayrshire, na Escócia, o primogênito dos sete filhos de um fazendeiro arrendatário, William Burnes, e sua esposa, Agnes Broun. Burns tinha pouca educação formal, mas lia literatura inglesa e absorvia as tradicionais canções folclóricas e contos do seu ambiente rural, em sua maioria no dialeto escocês. Ele começou a compor canções em 1774 e publicou seu primeiro livro, Poemas, Principalmente no Dialeto Escocês , em 1786. O trabalho foi um sucesso de crítica, e seus poemas tanto em escocês como em inglês, sobre vários temas, sedimentaram o enorme encanto de Burns. Ao mesmo tempo em que construía sua reputação literária, Burns trabalhava como fazendeiro e, em 1788, ele foi nomeado fiscal de imposto de consumo, em Ellisland. Ele passou os últimos 12 anos de sua vida coletando e editando canções folclóricas escocesas, que incluíam, entre outras, O Museu Musical Escocês e Uma Coleção Selecionada de Canções para Voz em Escocês de Airs Original. Burns contribuiu com centenas de canções escocesas para estas antologias, muitas vezes reescrevendo as letras tradicionais e adaptando-as em músicas novas ou revistas. Durante a sua estadia em Edimburgo, Burns conheceu a Sra. Agnes Craig M'Lehose, em dezembro de 1787. Foi amor à primeira vista para os dois. Além de numerosas visitas, o casal continuou com o que se chamava "romance de estufa", por correspondência. Os dois logo decidiram usar "nomes arcadianos", que era como Burns os denominava: ela era Clarinda, ele Sylvander. O casamento provou ser impossível, e a correspondência foi-se escasseando quando Burns deixou Edimburgo. Nos primeiros meses de 1788, Burns e a Sra. M'Lehose trocavam cartas com freqüência, às vezes mais de uma vez por dia. Esta carta é a segunda, enviada naquele dia, de Sylvander para a Clarinda. Observe a marca de aparência suspeita no papel onde o poeta escreveu, "Eu li a sua novamente: ela manchou meu papel" Cabe ao leitor decidir se ele ou ela estava olhando os remanescentes secos de uma lágrima.

Nota Promissória ao Sr. Alexr. Crombie, Pedreiro em Dalswinton, Datada 6 de Abril de 1791, Dumfries

Robert Burns (1759-1796) é mais conhecido por seus poemas e canções que refletem a herança cultural da Escócia. Ele nasceu em Alloway, Ayrshire, na Escócia, o primogênito dos sete filhos de um fazendeiro arrendatário, William Burnes, e sua esposa, Agnes Broun. Burns tinha pouca educação formal, mas lia literatura inglesa e absorvia as tradicionais canções folclóricas e contos do seu ambiente rural, em sua maioria no dialeto escocês. Ele começou a compor canções em 1774 e publicou seu primeiro livro, Poemas, Principalmente no Dialeto Escocês , em 1786. O trabalho foi um sucesso de crítica e seus poemas, tanto em escocês como em inglês, sobre vários temas, sedimentaram o enorme encanto de Burns. Ao mesmo tempo em que construía sua reputação literária, Burns trabalhava como fazendeiro e, em 1788, ele foi nomeado fiscal de imposto de consumo, em Ellisland. Ele passou os últimos 12 anos de sua vida coletando e editando canções folclóricas escocesas, que incluíam, entre outras, O Museu Musical Escocês e Uma Coleção Selecionada de Canções para Voz em Escocês de Airs Original. Burns contribuiu com centenas de canções escocesas para estas antologias, muitas vezes reescrevendo as letras tradicionais e adaptando-as em músicas novas ou revistas. Esta nota, que ostenta um carimbo de imposto oficial irrisório, descreve um empréstimo de 20 libras que Burns concedeu a um pedreiro local. O registro é típico dos resumos e notas de débito escritos a mão nas pequenas cidades do final do século XVIII, os quais substituiam os procedimentos bancários mais formais. O verso mostra que Burns,posteriormente, endossou o débito em favor de um arquiteto de Dumfries, Thomas Boyd.