15 de julho de 2011

Província de Poskov

Esta carta de baralho do início do século 19, é parte de um conjunto de 60 cartas, cada uma dedicada a uma província ou território diferente do Império Russo, que na época incluía o Grão-Ducado da Finlândia, Congresso da Polônia, e América Russa. Um lado de cada carta mostra o traje local e o brasão da província, o outro lado contém um mapa. Esta carta retrata a província Pskov, situada na parte noroeste do império. Pskov, situada às margens dos rio Velikaia, era o centro administrativo da província, sendo uma das mais antigas cidades russas. Em meados do século 14 Pskov era uma cidade-estado independente e um próspero centro comercial que negociava com a Liga Hanseática. A carta indica que a distância de Pskov até São Petersburgo é de 331 verstas, e de Pskov para Moscou, 740½ verstas. As distâncias são mostradas em verstas, uma medida russa, hoje não mais utilizada, equivalente a 1,0668 km.

Província de Novgorod

Esta carta de baralho do início do século 19, é parte de um conjunto de 60 cartas, cada uma dedicada a uma província ou território diferente do Império Russo, que na época incluía o Grão-Ducado da Finlândia, Congresso da Polônia, e América Russa. Um lado de cada carta mostra o traje local e o brasão da província, o outro lado contém um mapa. Esta carta retrata a província de Novgorod, situada na parte ocidental do império. Novgorod, situada às margens do rio Volkhov, ao norte do Lago Il'men’, era o centro administrativo da província. Apesar de Novgorod significa "nova cidade" em russo, é uma das mais antigas cidades russas, e foi fundada no século IX. A carta indica que a distância de Novgorod até São Petersburgo é de 184½ verstas, e de Novgorod para Moscou, 535¼ verstas. As distâncias são mostradas em verstas, uma medida russa, hoje não mais utilizada, equivalente a 1,0668 km.

Província de São Petersburgo

Esta carta de baralho do início do século 19, é parte de um conjunto de 60 cartas, cada uma dedicada a uma província ou território diferente do Império Russo, que na época incluía o Grão-Ducado da Finlândia, Congresso da Polônia, e América Russa. Um lado de cada carta mostra o traje local e o brasão da província, o outro lado contém um mapa. Esta carta retrata a província de São Petersburgo, situada na parte noroeste do império. A província faz fronteira com os lagos Ladoga e Onega ao nordeste, Lago Chudskoe e Golfo da Finlândia a oeste, e o Grão-Ducado da Finlândia, ao norte (parte da atual Finlândia). São Petersburgo, o centro administrativo da província, foi criada por Pedro o Grande em 1703. A carta indica que a distância de São Petersburgo até Mocou é de 719¾ verstas. As distâncias são mostradas em verstas, uma medida russa, hoje não mais utilizada, equivalente a 1,0668 km.

Província de Olonetsk

Esta carta de baralho do início do século 19, é parte de um conjunto de 60 cartas, cada uma dedicada a uma província ou território diferente do Império Russo, que na época incluía o Grão-Ducado da Finlândia, Congresso da Polônia, e América Russa. Um lado de cada carta mostra o traje local e o brasão da província, o outro lado contém um mapa. Esta carta retrata a província Olonetsk, situada na parte noroeste do império. A província faz fronteira com a Finlândia através do lago Ladoga ao oeste, e também possui muitos outros lagos. Petrozavodsk, situada à margen oeste do lago Onega, era o centro administrativo da província. O nome da cidade, que significa "fábrica de Pedro" em russo, deriva da fundição construída para a fabricação de canhões e âncoras para a Frota do Báltico durante o reinado de Pedro, o Grande. A carta indica que a distância de Petrozavodsk até São Petersburgo é de 359 verstas, e de Petrozavodsk para Moscou, 1,135¼ verstas. As distâncias são mostradas em verstas, uma medida russa, hoje não mais utilizada, equivalente a 1,0668 km.

Princípios e Práticas da Medicina Oriental

Donguibogam (Princípios e práticas da medicina Oriental) é uma enciclopédia de conhecimentos médicos e técnicas de tratamento complilada e editada por Heo Jun, com suporte coletivo de outros especialistas em medicina na Coreia. Heo Jun, um médico da corte, recebeu uma ordem real de escrever um livro médico para dar suporte às pessoas que sofriam de fome trazida pela guerra e seca durante o governo do Rei Seonjo (1552-1608, reinado, 1567-1608). Heo Jun coletou pessoalmente as ervas medicinais adequadas, que eram nativas da Península Coreana. Ele conduziu triagens clínicas humanas para testar a eficiência dos medicamentos, e escreveu os nomes das ervas em coreano para que as pessoas comuns pudessem aprendê-las. Para facilitar seu uso, o conteúdo da enciclopédia foi dividido em cinco categorias: Naegyeong (Internas), Oehyeong (Externas), Japbyeong (Várias doenças), Tangaek (Suco de ervas) e Chimgu (Acupuntura). Donguibogam foi disseminada até o Japão e a China e informou a evolução da medicina na Ásia Oriental e além. Em termos de sistemas de cuidados com a saúde, ela promoveu a medicina preventiva e os cuidados da saúde pública pelo estado, que eram ideias virtualmente desconhecidas até o século 19. Donguibogam foi anexada ao Registro Memória do Mundo da UNESCO em 2009.

Enciclopédia da Vida das Mulheres

Gyuhapchongseo (Enciclopédia da Vida das Mulheres) é um indispensável manual repleto de conselhos para a dona de casa, escrito por Lady Bingheagak Yi em 1809, o nono ano do governo do Rei Sunjo (reinado de 1800-34) durante a Dinastia Joseon. Ela cobre cinco tópicos: Jusaui —fazer molho de soja e pasta de soja, bebidas alcoólicas domésticas, bap (arroz cozido), bolinhos de arroz e pratos secundários servidos com o bap; Bongimchik — fazer roupas, tingimento, tecelagem manual, bordado, criação do bicho-da-seda, soldar panelas e chaleiras e como fazer fogo; Sangarak — como arar um campo e como criar gado (cavalos, vacas e galinhas); Cheongnanggyeol — treinamento para pré-natal, métodos educativos para crianças, métodos de primeiros socorros, medicamentos a serem evitados e modos de limpeza da casa; e Sulsuryak modos folclóricos de espantar espíritos demoníacos e demônios através de talismâs e encantamentos. O livro era um item imprescindível às senhoras da aristocracia.