Place de la Concorde, Paris, França

Esta impressão fotocrômica da Place de la Concorde é parte de "Vistas da Arquitetura, Monumentos e Outros Locais da França", do catálogo da Detroit Publishing Company (1905). A edição de 1900 de Paris e Seus Arredores com rotas de Londres a Paris: Manual para Viajantes, de Baedeker, informava aos seus leitores que esta famosa praça tinha 357 metros de comprimento e 215 metros de largura, e era delimitada ao sul pelo Rio Sena, a oeste pelos Champs-Elysées, ao norte pelo Ministère de la Marine e o Hôtel Crillon-Coislin, e a leste pelos Jardins das Tulherias. "Recebeu sua forma atual em 1854, a partir de desenhos de Hittorff (d. 1876). Do centro da praça, pode-se avistar a Madeleine, o Palais de la Chambre des Deputes [Députés]. o Louvre e o Arc de Triomphe de l'Etoile. No centro da praça fica o Obelisk of Luxor, erigido pelo Rei Ramses II em frente ao Templo de Tebas, em 1350 AEC, e presenteado à França por Mehemet Ali, vice-rei do Egito, na década de 1830.

Arc de Triomphe, de L'Etoile, Paris, França

Esta impressão fotocrômica do Arc de Triomphe é parte de "Vistas da Arquitetura, Monumentos e Outros Locais da França", do catálogo da Detroit Publishing Company (1905). Localizado em uma das extremidades do Champs-Elysées, o Arc de Triomphe foi encomendado por Napoleão I para homenagear o exército francês. A construção começou em 1806, mas foi interrompida após a restauração dos Bourbon de 1815. Foi retomada em 1830 pelo rei Luiz-Filipe e concluída em 1836. Os três arquitetos associados ao projeto foram Jean Chalgrin (ativo em 1806-1811), L. Joust (ativo em 1811-1814) e Guillaume-Abel Blouet (ativo em 1833-1836). O arco abriga o túmulo do Soldado Desconhecido e a chama eterna, que queima em honra dos mortos não-identificados nas duas guerras mundiais. A edição de 1900 de Paris e Seus Arredores com rotas de Londres a Paris: Manual para Viajantes, de Baedeker, caracterizava este monumento icônico como o maior arco triunfal em existência... visível de quase toda parte dos arredores de Paris".

A Casa de Ópera, Paris, França

Esta impressão fotocrômica do Palácio Garnier em Paris é parte de "Vistas da Arquitetura, Monumentos e Outros Locais da França", do catálogo da Detroit Publishing Company (1905). Em 1858, o Imperador Napoleão III ordenou a construção de uma nova casa de ópera para acomodar a Ópera e companhias de balé de Paris. O edifício foi projetado pelo arquiteto Charles Garnier (1825-1898) no estilo Belas-Artes e foi construído entre 1862 e 1874. A edição de 1900 de Paris e Seus Arredores com rotas de Londres a Paris: Manual para Viajantes, de Baedeker, descrevia o exterior do edifício, como se vê nesta foto, assim: "No centro do edifício ergue-se uma cúpula baixa (visível a partir de uma certa distância, apenas) e, atrás dela, um frontão triangular enorme, acima do palco, coroado com um Apolo com uma lira dourada no meio... e ladeado por dois Pégasos. " Baedeker também incentivava os viajantes a desfrutar de um "agradável passeio ao longo da bela Avenue de l'Opéra, que data, em sua maior parte, de 1878."

O Palácio de Luxemburgo, Paris, França

Esta impressão fotocrômica do Palais du Luxembourg é parte de "Vistas da Arquitetura, Monumentos e Outros Locais da França", do catálogo da Detroit Publishing Company (1905). Este palácio, que hoje é a sede do Senado francês, foi construído entre 1615 e 1620 pelo arquiteto francês Salomon de Brosse (1571-1626), no local de um antigo palácio, o Hotel du Luxembourg. Segundo a edição de 1900 de Paris e Seus Arredores com rotas de Londres a Paris: Manual para Viajantes, de Baedeker, o palácio "tem algumas semelhanças com o Palácio Pitti, em Florença. . . mas, ao mesmo tempo, preserva um caráter inegavelmente francês, especialmente nos pavilhões dos cantos, com seus tetos elevados. " Baedeker descrevia o jardim que rodeava o palácio como "o único jardim renascentista remanescente em Paris" e observava: "O jardim contém poucos gramados e poucas flores, mas entre os grupos de árvores e espaços abertos para as brincadeiras das crianças, existem numerosas esculturas."

Place de la Bastille, Paris, França

Esta impressão fotocrômica da Place de la Bastille, em Paris, é parte de "Vistas da Arquitetura, Monumentos e Outros Locais da França", do catálogo da Detroit Publishing Company (1905). A Bastilha ("pequeno bastião"), formalmente conhecida como a Bastilha Saint-Antoine, foi construída entre 1370 e 1383 como uma fortaleza, para proteger a cidade de Paris durante a Guerra dos Cem Anos. A fortaleza foi convertida em prisão no início do século XVII, e a tomada da Bastilha, por uma multidão enfurecida em 14 julho de 1789, marcou o início da Revolução Francesa. A prisão foi destruída durante a revolução. A coluna localizada no centro da praça é a Colonne de Juillet (Coluna de Julho), que foi construída em 1831-40 para assinalar a Revolução de Julho de 1830, que levou o Rei Luiz-Filipe ao poder.

Os Jardim das Tulherias, Paris, França

Esta impressão fotocrômica do Jardin des Tuileries, em Paris, é parte de "Vistas da Arquitetura, Monumentos e Outros Locais da França", do catálogo da Detroit Publishing Company (1905). Localizado ao lado do Palácio do Louvre, as Tulherias é o local de um palácio e residência real com um grande jardim, originalmente construído para Catarina de Médici em 1564. Durante o reinado de Luís XIV, o célebre paisagista André Le Nôtre (1613-1700) estabeleceu as características básicas do jardim, que incluiam uma grand allée (alameda) que se estendia por cerca de 350 metros, rodeada por sebes de buxo e castanheiros. A edição de 1900 de Paris e Seus Arredores com rotas de Londres a Paris: Manual para Viajantes, de Baedeker, caracterizava o jardim como,"o passeio público mais popular de Paris."

Hôtel de Ville, Paris, França

Esta impressão fotocrômica do Hôtel de Ville, ou a prefeitura de Paris, é parte de "Vistas da Arquitetura, Monumentos e Outros Locais da França", do catálogo da Detroit Publishing Company (1905). O edifício apresentado é a versão reconstruída do Hôtel de Ville original, que foi construído em 1533 e destruído em 1871 durante os levantes da Comuna de Paris. A reconstrução, realizada pelos arquitetos francêses Theodore Ballu (1817-1885) e Edouard Deperthes (1833-1898), ocorreu entre 1876 e 1884, e resultou em uma réplica ampliada e enriquecida do velho edifício. A edição de 1900 de Paris e Seus Arredores com rotas de Londres a Paris: Manual para Viajantes, de Baedeker, declarava ser o Hôtel de Ville "em muitos aspectos, um dos mais belos edifícios na cidade. . . uma magnífica estrutura em estilo renascentista francês, com pavilhões cobertos por cúpulas nos cantos (relembrando as torres medievais), janelas de mansarda, e chaminés decoradas maciças. "O local do Hôtel de Ville é historicamente importante como o local onde as execuções foram realizadas durante a Revolução Francesa.

O Louvre, Paris, França

Esta impressão fotocrômica do Louvre é parte de "Vistas da Arquitetura, Monumentos e Outros Locais da França", do catálogo da Detroit Publishing Company (1905). A edição de 1900 de Paris e Seus Arredores com rotas de Londres a Paris: Manual para Viajantes, de Baedeker, caracterizava o Louvre como "o mais importante edifício público em Paris, tanto arquitetônicamente como pelos de seus tesouros de arte..., um palácio de grande extensão, erguendo-se entre a Rue de Rivoli e o Sena". Baedeker explicava que "o consenso geral é que Filipe Augusto (1180-1223) construiu o primeiro castelo aqui. . . . Mas só foi na época de Carlos V (1364-1380), que transferiu seu tesouro e sua biblioteca para o castelo, que o mesmo foi arrumado no belo estilo, apropriado a uma residência real". O palácio e o adjacente Jardins das Tulherias "abrangem, juntos, uma área de cerca de 1942 ares, formando um dos palácios mais magníficos do mundo. O efeito do conjunto é harmonioso, apesar da falta de unificação. . . ."

Place du Chatelet, Paris, França

Esta impressão fotocrômica da Place du Châtelet, em Paris, é parte de "Vistas da Arquitetura, Monumentos e Outros Locais da França", do catálogo da Detroit Publishing Company (1905). Esta praça pública está localizada no antigo local da fortaleza medieval de Grand Châtelet, que foi construída em torno de 1130 pelo Rei Luís VI para defender a Ile de la Cité, a ilha no Rio Sena que constitui o centro histórico de Paris. Mais tarde, no século XII, a fortaleza transformou-se em uma prisão, permanecendo como tal até 1802. A ponte na fotografia é a Pont au Change, que liga a Ile de la Cité para à margem direita. Localizada no centro da praça está La Fontaine du Palmier, que foi erguida em 1808 para marcar as vitórias de Napoleão na Itália, Alemanha e Egito.

Notre Dame, e Ponte São Miguel, Paris, França

Esta impressão fotocrômica de Paris, parte de "Vistas da Arquitetura, Monumentos e Outros Locais da França", do catálogo da Detroit Publishing Company (1905), oferece uma vista da Catedral de Notre Dame e da Pont St. Michel. Localizada na Ile-de-la-Cité, no Rio Sena, a catedral é conhecida por sua magnífica arquitetura gótica, vitrais e grupos de estátuas retratando figuras e cenas da Bíblia. Construção de Notre Dame começou em 1163, no local de uma igreja do século IV. As características mais distintas da Igreja, as duas torres ocidentais e a janela de rosácea, ao norte, vistas nesta fotografia, foram concluídas em 1250. As partes restantes foram concluídas em 1345. A edição de 1900 de Paris e Seus Arredores com rotas de Londres a Paris: Manual para Viajantes, de Baedeker, descrevia a Pont St. Michel como "uma ponte bonita, reconstruída em 1857, que oferece uma bela vista de Notre-Dame".