A Hindu Kush e Passagens Entre o Cabul e o Oxus

Este mapa foi publicado, originalmente, na edição de fevereiro de 1879 dos Anais da Sociedade Geográfica Real e Registros Geográficos Mensais, em conexão com um artigo de C.R. Markham intitulado "A Bacia Superior do Rio Cabul". A Hindu Kush é uma cadeia de montanhas elevadas, que se estende por cerca de 800 km em uma direção de nordeste a sudoeste das montanhas Pamir, perto da fronteira da China com o Paquistão, através do Paquistão, e para o oeste do Afeganistão. A cordilheira forma a divisão de drenagem entre dois grandes sistemas hidrográficos, o Rio Amu Darya, a noroeste, e o Rio Indus, ao sudoeste. Os gregos antigos chamavam o Amu Darya de Oxus, o nome utilizado neste mapa. Historicamente, as passagens através da Hindu Kush foram de grande importância militar. Alexandre, o Grande (356-323 aC) cruzou estas montanhas com o seu exército em 329 AC, provavelmente sobre a passagem de Khawak, durante uma campanha para reprimir uma revolta contra a sua autoridade em Bactria, uma província do Império Persa.

Spindelmuhl, Riesengebirge, Alemanha (ou seja, Špindlerův Mlýn, República Tcheca)

Esta impressão fotocrômica, do final do século XIX, é de "Vistas da Alemanha", no catálogo da Detroit Publishing Company. Mostra a vila de Spindelmühl (atual Špindlerův Mlýn) na que é hoje a República Tcheca. Em Norte da Alemanha: Tão Longe quanto as Fronteiras da Baviera e da Áustria (1897), de Baedeker, Spindelmühl é descrita como uma estância favorita de verão, localizada a uma altitude de 2.600 pés (792 metros) nas Montanhas Gigantes (Riesengebirge). A Detroit Photographic Company foi fundada como empresa de publicação fotográfica no final da década de 1890, pelo empresário e editor William Al Livingstone, Jr, de Detroit, e pelo fotógrafo e editor de fotos Edwin H. Husher. Eles obtiveram direitos exclusivos para utilizar o processo "Photochrom" suíço para conversão de fotografias em preto-e-branco em imagens coloridas e imprimí-las por fotolitografia. Este processo permitiu a produção em massa de cartões postais coloridos, gravuras e álbuns para venda no mercado americano. A empresa transformou-se na Detroit Publishing Company em 1905.

Kusae, com Base em Cartas Náuticas Germânicas e Britânicas / por E. Sarfert

Este mapa da ilha vulcânica de Kosrae, no Pacífico Ocidental, é de Ernst Gotthilf Sarfert, etnógrafo alemão que participou da Expedição Alemã ao Mar do Sul, de 1908-10, passando quatro meses em Kosrae, em 1909, estudando a ilha e seu povo. Kosrae é um dos quatro estados dos Estados Federados da Micronésia, sendo os outros Pohnpei, também uma única ilha vulcânica; Truk, um grupo de 14 ilhas vulcânicas; e Yap, um grupo de quatro ilhas e 13 atóis de coral. Estas ilhas são parte do arquipélago anteriormente conhecido como Ilhas Carolinas. A Espanha, na época o poder colonial na vizinha Filipinas, adquiriu soberania sobre as Ilhas Carolinas em 1885-86, mas vendeu as ilhas à Alemanha em 1899. Após a derrota da Alemanha na Primeira Guerra Mundial, o Japão assumiu o controle das ilhas sob mandato da Liga das Nações. Com a derrota do Japão na Segunda Guerra Mundial, as ilhas foram mandatadas para os Estados Unidos como parte do Protetorado das Ilhas do Pacífico das Nações Unidas. Os Estados Federados da Micronésia foram consolidados, em 1979, a partir dos territórios protetorais, tornando-se totalmente independentes em 1990.

Ilha Margarida, Budapeste, Hungria, Austro-Hungria

Esta impressão fotocrômica, do final do século XIX, é de "Vistas do Império Austro-Húngaro", no catálogo da Detroit Publishing Company. Ela retrata um elegante edifício na Ilha Margarida (Margitsziget, em húngaro), uma ilha longa de 2,5 quilômetros, no Rio Danúbio, em Budapeste central. De acôrdo com Áustria, Incluindo Hungria, Transilvânia, Dalmácia e Bósnia (1900), de Baedeker, a ilha era "de propriedade do Arqueduque José, que a converteu, desenbolsando alguns milhões de florins, em um parque deveras encantador." A Ilha Margarida recebeu esse nome em homenagem à Santa Margarida (1242-70), filha do rei Béla IV, o qual fundou um convento de freiras na ilha e prometeu enviar sua filha, a princesa Margarida, para o convento, se ele conseguisse reconstruir seu país após a invasão dos mongóis. A Detroit Photographic Company foi fundada como empresa de publicação fotográfica no final da década de 1890, pelo empresário e editor William Al Livingstone, Jr, de Detroit, e pelo fotógrafo e editor de fotos Edwin H. Husher. Eles obtiveram direitos exclusivos para utilizar o processo "Photochrom" suíço para conversão de fotografias em preto-e-branco em imagens coloridas e imprimí-las por fotolitografia. Este processo permitiu a produção em massa de cartões postais coloridos, gravuras e álbuns para venda no mercado americano. A empresa transformou-se na Detroit Publishing Company em 1905.

Camponeses Dançando, Bósnia, Austro-Hungria

Esta impressão fotocrômica faz parte de "Vistas do Império Austro-Húngaro," uma seleção de fotografias de locais turísticos da Europa Central e Oriental do final do século XIX (anteriormente conhecidos como Império Austro-Húngaro), do catálogo da Detroit Publishing Company. A Bósnia foi conquistada pelos turcos otomanos em 1463. Após a Guerra Russo-Turca de 1877-1878, o Congresso de Berlim (1878) deu à Áustria-Hungria um mandato para ocupar e governar a Bósnia-Herzegóvina, que permaneceu sob a soberania nominal otomana até 1908. Vemos, aqui, camponeses em trajes tradicionais, executando uma dança (identificada na impressão, em alemão, como a kolotanz). A população da Bósnia-Herzegovina era predominantemente rural; em 1895, 88 por cento da população estava empregada na agricultura. A Detroit Photographic Company foi fundada como empresa de publicação fotográfica no final da década de 1890, pelo empresário e editor William A. Livingstone, Jr., de Detroit, e pelo fotógrafo e editor de fotografia Edwin H. Husher. Eles obtiveram direitos exclusivos para utilizar o processo "Photochrom" suíço para conversão de fotografias em preto-e-branco em imagens coloridas e imprimí-las por fotolitografia. Este processo inovador foi aplicado na produção em massa de cartões postais coloridos, gravuras e álbuns para venda ao mercado americano. A empresa transformou-se na Detroit Publishing Company em 1905.

Ponte Franz Joseph, Olhando Em Direção à Ponte, Budapeste, Hungria, Austro-Húngaro

Esta impressão fotocrômica, de cerca de 1900, é de "Vistas do Império Austro-Húngaro", do catálogo da Detroit Publishing Company. Mostra a ponte Franz Josef, de 330 metros de comprimento, que foi construída em 1894-96 como a quarta ponte a atravessar o Rio Danúbio, na cidade de Budapeste, capital da Hungria. A ponte é conhecida hoje como a Ponte Szabadság (Liberdade). Uma quinta ponte, a Ponte Erzsébet (Elizabeth), foi construída em 1897-1903. A Detroit Photographic Company foi fundada como empresa de publicação fotográfica no final da década de 1890, pelo empresário e editor William Al Livingstone, Jr, de Detroit, e pelo fotógrafo e editor de fotos Edwin H. Husher. Eles obtiveram direitos exclusivos para utilizar o processo "Photochrom" suíço para conversão de fotografias em preto-e-branco em imagens coloridas e imprimí-las por fotolitografia. Este processo permitiu a produção em massa de cartões postais coloridos, gravuras e álbuns para venda no mercado americano. A empresa transformou-se na Detroit Publishing Company em 1905.

Visegrad, Bósnia, Austro-Hungaro

Esta impressão fotocrômica é da "Imagens do Império Austro-Húngaro," uma seleção de fotografias de locais turísticos na Europa Central e Oriental no final do século XIX (anteriormente conhecido como Império Austro-Húngaro), no catálogo da Detroit Publishing Company. Retrata a Ponte Mehmed Pasha Sokolović, sobre o Rio Drina, na Bósnia e Herzegóvina. A ponte foi construída no final do século XVI pelo arquiteto da Corte, Mimar Koca Sinan (1490-1588), por determinação do Grão-Vizir otomano Mehmed Pasha Sokolović (1505 ou 1506-1579). Construída por 11 arcos de alvenaria com vãos de 11-15 metros, a ponte, de 179,5 metros de comprimento, representa um ponto alto da engenharia civil e arquitetura monumental otomanas. A ponte foi inscrita na lista do Patrimônio Mundial da UNESCO em 2007. A Detroit Photographic Company foi fundada como empresa de publicação fotográfica no final da década de 1890, pelo empresário e editor William Al Livingstone, Jr, de Detroit, e pelo fotógrafo e editor de fotos Edwin H. Husher. Eles obtiveram direitos exclusivos para utilizar o processo "Photochrom" suíço para conversão de fotografias em preto-e-branco em imagens coloridas e imprimí-las por fotolitografia. Este processo permitiu a produção em massa de cartões postais coloridos, gravuras e álbuns para venda no mercado americano. A empresa transformou-se na Detroit Publishing Company em 1905.

Teatro Nacional, Praga, Boêmia, Austro-Hungria

Esta impressão fotocrômica, do final do século XIX, é de "Vistas do Império Austro-Húngaro", no catálogo da Detroit Publishing Company. Mostra o Teatro Nacional de Praga ou, como era conhecido na época, o Teatro Nacional Boêmio. O edifício foi projetado em estilo neo-renascentista por Josef von Zitek (1832-1909), professor de engenharia civil na escola técnica, em Praga. A construção começou em 1868 e foi concluída em 1881. Logo após a inauguração, um incêndio destruiu grande parte do edifício, mas o teatro foi reconstruído em menos de dois anos, financiado por contribuições do público. A Detroit Photographic Company foi fundada como empresa de publicação fotográfica no final da década de 1890, pelo empresário e editor William Al Livingstone, Jr, de Detroit, e pelo fotógrafo e editor de fotos Edwin H. Husher. Eles obtiveram direitos exclusivos para utilizar o processo "Photochrom" suíço para conversão de fotografias em preto-e-branco em imagens coloridas e imprimí-las por fotolitografia. Este processo permitiu a produção em massa de cartões postais coloridos, gravuras e álbuns para venda no mercado americano. A empresa transformou-se na Detroit Publishing Company em 1905.

Memorial Radetzky, Boêmia, Praga, Áustria-Hungria

Esta impressão fotocrômica, do final do século XIX, é de "Vistas do Império Austro-Húngaro", no catálogo da Detroit Publishing Company. Ele mostra o monumento em bronze do Marechal de Campo Radetzky, de pé sobre um escudo suportado por oito soldados, segurando seu bastão e uma bandeira. Joseph, o conde Radetzky (1766-1858), foi um soldado de origem tcheca, que liderou muitas campanhas vitoriosas a serviço do Império Austro-Húngaro. O monumento foi erigido em 1858, ano da morte de Radetzky. A Detroit Photographic Company foi fundada como empresa de publicação fotográfica no final da década de 1890, pelo empresário e editor William Al Livingstone, Jr, de Detroit, e pelo fotógrafo e editor de fotos Edwin H. Husher. Eles obtiveram direitos exclusivos para utilizar o processo "Photochrom" suíço para conversão de fotografias em preto-e-branco em imagens coloridas e imprimí-las por fotolitografia. Este processo permitiu a produção em massa de cartões postais coloridos, gravuras e álbuns para venda no mercado americano. A empresa transformou-se na Detroit Publishing Company em 1905.

Uma Família Lapônia, Noruega

Esta impressão fotocromática faz parte de "Paisagens Terrestres e Marítimas da Noruega" do catálogo da empresa Detroit Photographic Company. A foto mostra uma família Lapônia ou Sami, reunida ao lado de duas tendas cônicas tradicionais, chamadas lavvu, no norte da Noruega. Em seu trabalho de 1876, Através da Noruega com uma Mochila, o cientista e autor britânico William Mattieu Williams descreveu a lavvu como "uma estrutura feita de varetas de madeira, apoiando-se umas às outras no centro", sobre as quais a pele de um animal é esticada para servir como isolamento. Os Sami, povos indígenas do norte da Escandinávia e da Finlândia, eram tradicionalmente pastores semi-nômades de renas . O primeiro relato sobre eles, de que se tem conhecimento, foi feito pelo historiador romano Tácito, que em 98 AC maravilhou-se com ele e os descreveu como vivendo em "selvageria maravilhosa." A Detroit Photographic Company foi fundada como empresa de publicação fotográfica no final da década de 1890, pelo empresário e editor William Al Livingstone, Jr, de Detroit, e pelo fotógrafo e editor de fotos Edwin H. Husher. Eles obtiveram direitos exclusivos para utilizar o processo "Photochrom" suíço para conversão de fotografias em preto-e-branco em imagens coloridas e imprimí-las por fotolitografia. Este processo permitiu a produção em massa de cartões postais coloridos, gravuras e álbuns para venda no mercado americano.