10 de fevereiro de 2011

Carta, 1788, manhã de terça-feira [5 de fevereiro] para Sylvander Burns, St. James Square

Robert Burns (1759-1796) é mais conhecido por seus poemas e canções que refletem a herança cultural da Escócia. Ele nasceu em Alloway, Ayrshire, na Escócia, o primogênito dos sete filhos de um fazendeiro arrendatário, William Burnes, e sua esposa, Agnes Broun. Burns tinha pouca educação formal, mas lia literatura inglesa e absorvia as tradicionais canções folclóricas e contos do seu ambiente rural, em sua maioria no dialeto escocês. Ele começou a compor canções em 1774 e publicou seu primeiro livro, Poemas, Principalmente no Dialeto Escocês , em 1786. O trabalho foi um sucesso de crítica e seus poemas, tanto em escocês como em inglês, sobre vários temas, sedimentaram o enorme encanto de Burns. Ao mesmo tempo em que construía sua reputação literária, Burns trabalhava como fazendeiro e, em 1788, ele foi nomeado fiscal de imposto de consumo, em Ellisland. Ele passou os últimos 12 anos de sua vida coletando e editando canções folclóricas escocesas, que incluíam, entre outras, O Museu Musical Escocês e Uma Coleção Selecionada de Canções para Voz em Escocês de Airs Original. Burns contribuiu com centenas de canções escocesas para estas antologias, muitas vezes reescrevendo as letras tradicionais e adaptando-as em músicas novas ou revistas. Durante a sua estadia em Edimburgo, Burns conheceu a Sra. Agnes Craig M'Lehose, em dezembro de 1787. Foi amor à primeira vista para os dois. Além de numerosas visitas, o casal continuou com o que se chamava "romance de estufa", por correspondência. Os dois logo decidiram usar "nomes arcadianos", tal como Burns os chamava: ela era Clarinda, ele Sylvander. O casamento provou ser impossível, e a correspondência foi-se escasseando quando Burns deixou Edimburgo. Mais tarde, a Sra. M'Lehose emprestou as cartas de Burns a John Findley, o qual alegava estar escrevendo uma biografia do poeta (aparentemente, a biografia nunca foi escrita). Algumas das cartas foram publicadas sem sua permissão em 1802, e as edições publicadas da correspondência dos dois mostram, claramente, que algumas das cartas se perderam ou foram omitidas. Nesta carta, recém-recuperada e não publicada, Clarinda escreve,"... Sinto uma sensação tão deleitante, tão serena, que me faz quase que ter a esperança de que os Céus aprovem nossa união". Esta carta veio momentaneamente à tona em 1928, para depois afastar-se, novamente, da consciência acadêmica por quase 80 anos.

Erguem-se Altas, Suas Majestosas e Inóspitas Colinas

Robert Burns (1759-1796) é mais conhecido por seus poemas e canções que refletem a herança cultural da Escócia. Ele nasceu em Alloway, Ayrshire, na Escócia, o primogênito dos sete filhos de um fazendeiro arrendatário, William Burnes, e sua esposa, Agnes Broun. Burns tinha pouca educação formal, mas lia literatura inglesa e absorvia as tradicionais canções folclóricas e contos do seu ambiente rural, em sua maioria no dialeto escocês. Ele começou a compor canções em 1774 e publicou seu primeiro livro, Poemas, Principalmente no Dialeto Escocês , em 1786. O trabalho foi um sucesso de crítica e seus poemas, tanto em escocês como em inglês, sobre vários temas, sedimentaram o enorme encanto de Burns. Ao mesmo tempo em que construía sua reputação literária, Burns trabalhava como fazendeiro e, em 1788, ele foi nomeado fiscal de imposto de consumo, em Ellisland. Ele passou os últimos 12 anos de sua vida coletando e editando canções folclóricas escocesas, que incluíam, entre outras, O Museu Musical Escocês e Uma Coleção Selecionada de Canções para Voz em Escocês de Airs Original. Burns contribuiu com centenas de canções escocesas para estas antologias, muitas vezes reescrevendo as letras tradicionais e adaptando-as em músicas novas ou revistas. Este poema foi escrito por William Roscoe, "dedicado à memória do poeta Robert Burns". Foi originalmente publicado sem título, em 1800, nos Trabalhos de Robert Burns, do Dr. James Currie. O manuscrito está acompanhado por um retrato ilustrado do historiador, datado de 1813. Roscoe levou sua vida profissional como advogado em Liverpool, enquanto aprofundava-se na literatura e na arte, colecionando trabalhos e escrevendo biografias. Ele tinha Robert Burns e seus trabalhos em alta estima, mais tarde se correspondendo com Currie a respeito da publicação de seus manuscritos. Suas sugestões foram aceitas por Currie, e incorporadas à biografia em sua totalidade.

Para Dr. Currie, M.D., F.R.S.: Hológrafo, Liverpool, 12 de julho de 1800

Robert Burns (1759-1796) é mais conhecido por seus poemas e canções que refletem a herança cultural da Escócia. Ele nasceu em Alloway, Ayrshire, na Escócia, o primogênito dos sete filhos de um fazendeiro arrendatário, William Burnes, e sua esposa, Agnes Broun. Burns tinha pouca educação formal, mas lia literatura inglesa e absorvia as tradicionais canções folclóricas e contos do seu ambiente rural, em sua maioria no dialeto escocês. Ele começou a compor canções em 1774 e publicou seu primeiro livro, Poemas, Principalmente no Dialeto Escocês , em 1786. O trabalho foi um sucesso de crítica e seus poemas, tanto em escocês como em inglês, sobre vários temas, sedimentaram o enorme encanto de Burns. Ao mesmo tempo em que construía sua reputação literária, Burns trabalhava como fazendeiro e, em 1788, ele foi nomeado fiscal de imposto de consumo, em Ellisland. Ele passou os últimos 12 anos de sua vida coletando e editando canções folclóricas escocesas, que incluíam, entre outras, O Museu Musical Escocês e Uma Coleção Selecionada de Canções para Voz em Escocês de Airs Original. Burns contribuiu com centenas de canções escocesas para estas antologias, muitas vezes reescrevendo as letras tradicionais e adaptando-as em músicas novas ou revistas. Esta carta rimada foi escrita por William Shepherd, um ministro dissidente, professor e político ativo de Liverpool. Ele era amigo íntimo de William Roscoe, que nutria um interesse profundo em Burns e seus trabalhos. Shepherd escreveu o poema de 39 linhas no estilo de Burns, comemorando a edição de Os Trabalhos de Robert Burns, do Dr. James Currie, publicada em 1800.

Folhas de Prova de Tam o' Shanter

Robert Burns (1759-1796) é mais conhecido por seus poemas e canções que refletem a herança cultural da Escócia. Ele nasceu em Alloway, Ayrshire, na Escócia, o primogênito dos sete filhos de um fazendeiro arrendatário, William Burnes, e sua esposa, Agnes Broun. Burns tinha pouca educação formal, mas lia literatura inglesa e absorvia as tradicionais canções folclóricas e contos do seu ambiente rural, em sua maioria no dialeto escocês. Ele começou a compor canções em 1774 e publicou seu primeiro livro, Poemas, Principalmente no Dialeto Escocês , em 1786. O trabalho foi um sucesso de crítica e seus poemas, tanto em escocês como em inglês, sobre vários temas, sedimentaram o enorme encanto de Burns. Ao mesmo tempo em que construía sua reputação literária, Burns trabalhava como fazendeiro e, em 1788, ele foi nomeado fiscal de imposto de consumo, em Ellisland. Ele passou os últimos 12 anos de sua vida coletando e editando canções folclóricas escocesas, que incluíam, entre outras, O Museu Musical Escocês e Uma Coleção Selecionada de Canções para Voz em Escocês de Airs Original. Burns contribuiu com centenas de canções escocesas para estas antologias, muitas vezes reescrevendo as letras tradicionais e adaptando-as em músicas novas ou revistas. "Tam de Shanter: Um Conto" foi publicado em 1791 no As Antiguidades da Escócia, segundo volume. Entre aqueles a quem Robert Burns enviara cópias separadas do seu poema estava o advogado e historiador Alexander Fraser Tytler (1747-1813). Tytler escreveu uma resposta detalhada e deveras agradecida, mas aconselhou a Burns que cortasse as quatro linhas que ele marcara nesta cópia como inapropriadas. Burns aceitou este conselho quando fez a reimpressão de "Tam de Shanter" em Poemas, Principalmente no Dialeto Escocês. A nota, na parte inferior o hológrafo, diz: "Burns removeu estas quatro linhas a meu pedido, por serem incongruentes com as outras circunstâncias de puro horror."

Além das Altas Montanhas Musgosas, Tão Altivas e Vastas

Robert Burns (1759-1796) é mais conhecido por seus poemas e canções que refletem a herança cultural da Escócia. Ele nasceu em Alloway, Ayrshire, na Escócia, o primogênito dos sete filhos de um fazendeiro arrendatário, William Burnes, e sua esposa, Agnes Broun. Burns tinha pouca educação formal, mas lia literatura inglesa e absorvia as tradicionais canções folclóricas e contos do seu ambiente rural, em sua maioria no dialeto escocês. Ele começou a compor canções em 1774 e publicou seu primeiro livro, Poemas, Principalmente no Dialeto Escocês , em 1786. O trabalho foi um sucesso de crítica e seus poemas, tanto em escocês como em inglês, sobre vários temas, sedimentaram o enorme encanto de Burns. Ao mesmo tempo em que construía sua reputação literária, Burns trabalhava como fazendeiro e, em 1788, ele foi nomeado fiscal de imposto de consumo, em Ellisland. Ele passou os últimos 12 anos de sua vida coletando e editando canções folclóricas escocesas, que incluíam, entre outras, O Museu Musical Escocês e Uma Coleção Selecionada de Canções para Voz em Escocês de Airs Original. Burns contribuiu com centenas de canções escocesas para estas antologias, muitas vezes reescrevendo as letras tradicionais e adaptando-as em músicas novas ou revistas. Este é o manuscrito de um poema curto publicado em 1792, no Museu Musical Escocês, Volume 2, com a primeira linha alterada para "Além das Agrestes Montanhas Musgosas", entre outras alterações textuais. A carta que o acompanha está datada de 1829, e é de José Elias Perochon, um monarquista francês que se estabelecera em Dumfries em virtude de sua visão. Destacando as origens do manuscrito, ele conta que Burns "enviou esta canção para minha esposa, no primeiro ano em que começou a compor seus versos inimitáveis." Sua esposa, Agnes Eleanor, fora a filha mais velha da Sra. Dunlop, que que havia sido grande amiga de Burns. A correspondência entre os dois começara em 1786, poucas semanas antes de sua partida para Edinburgh, quando a Sra. Dunlop solicitou seis cópias de seus Poemas, Principalmente no Dialeto Escocês. Os dois continuaram o intercâmbio franco de idéias sobre assuntos pessoais e poesia até a morte de Burns.

Remanescentes das Antiguidades Existentes em Puteoli, Cumae e Baiae

Paolo Antonio Paoli, presidente da Academia Pontifical Eclesiástica em Roma (1775-1798), foi um acadêmico e historiador pioneiro das civilizações antigas da região de Campânia, na Itália meridional. Ele completou este trabalho fundamental sobre as colônias gregas e romanas na região de Pozzuoli, perto de Nápoles, em 1768. Avanzi delle antichità esistenti a Pozzuoli Cuma e Baia. Antiquitatum Puteolis Cumis Baiis existentium reliquiae (Remanescentes de antiguidades existentes em Puteoli, Cumae e Baiae) apresenta 69 placas com desenhos entalhados, que são explicados em um texto anexo, impresso em italiano e latim, em duas colunas emolduradas. Os entalhos são de Giovanni Volpato, Antoine Cardon, Francesco La Marra e Johann Dominik Fiorillo, baseados em desenhos de Natali, Ricciarelli, Magri e outros. Três dos entalhes ocupam páginas duplas, e tem-se uma vista da costa de Pozzuoli, apresentada em várias folhas dobradas. A informação do preço, no colofão, indica que o livro foi vendido por 15 ducados napolitanos.