10 de fevereiro de 2011

Plano de Independência da América Setentrional (México)

Agustin de Iturbide foi um oficial monarquista na Guerra de Independência Mexicana que combateu o líder insurgente Vicente Guerrero. Tendo falhado em derrotar a insurreição, Iturbide adotou a causa da independência e aliou-se a Guerrero (um evento conhecido como o "Abraço de Acatempan"), possibilitando, assim, acabar com a guerra e assegurar a independência da Espanha. Em 24 de fevereiro de 1821, Iturbide promulgou o Plano de Iguala (nome de uma cidade no atual estado de Guerrero, no sul do país), e com isso, declarou a independência da então chamada América Setentrional (México). Após a proclamação da independência, ele prosseguiu com a criação do "México Imperial. " Seu exército foi denominado Três Garantias: Catolicismo, Independência e União (das partes rivais após a guerra). A independência do México foi consumada após a entrada de Iturbide na Cidade do México, no comando de suas tropas, em 27 de setembro de 1821.

Declaração ao Mundo por Agustin de Iturbide ou Ante Observações para a História

Este manuscrito, manchado de sangue e descoberto entre a faixa e a camisa de Agustín de Iturbide após sua execução pelo esquadrão de fuzilamento na Cidade do México, em 19 de julho de 1824, é uma defesa emocional da carreira pública de Iturbide. Um ex oficial monarquista que aderiu à luta pela independência mexicana, Iturbide foi coroado imperador do México em 21 de maio de 1822, sob o nome de Agustín I. No entanto, ele foi incapaz de conquistar a paz e abdicou, em 19 de março de 1823 e foi para o exílio. Sem saber que ele havia sido declarado traidor e fugitivo, ele retornou ao México em 14 de julho de 1824, onde foi detido e executado na aldeia de Padilla, no atual estado de Tamaulipas. Este manifesto foi escrito por Iturbide durante seu exílio na Itália e é dirigido ao embaixador britânico. "Não tenho a presunção dos literatos, nem o orgulho que, muitas vezes, se atribui àqueles em posições similares àquela que eu deixei; meu desejo é, apenas, responder honestamente aos meus detratores, que me caluniam, bem como àqueles que se opõem a sentimentos tais como o amor pela humanidade, a reverência ao meu país e o desejo pela ordem, juntamente com o desejo de expulsar do meu país a escravidão e ignorância que lá subsistem."

Um Mapa da Propriedade de Peter Langford Brooke, Advogado, Chamada de O Bosque, Situada na Paróquia de São João, Antígua

No período colonial, a família Langford Brooke, de Mere, em Cheshire, Inglaterra, possuíadiversas propriedades na ilha de Antigua. Este mapa de 1821, baseado, em parte, em um mapa anterior, mostra a propriedade de O Bosque com seus 24 campos dedicados ao cultivo de cana-de-açúcar. O índice à direita indica as obras e os edifícios na propriedade, e a dimensão exata dos diferentes campos. Uma planta baixa suplementar, preparada pelo mesmo topógrafo, mostra as obras da propriedade e dos edifícios em maiores detalhes. Os primeiros habitantes de Antígua foram os povos Siboney, seguidos pelos Aruaques e índios Carib. O primeiro europeu a visitar a ilha foi Cristóvão Colombo, em 1493, que deu o nome à ilha de "Santa Maria de la Antigua." Em 1632, os britânicos estabeleceram uma colônia em Antígua e começaram a importar um grande número de escravos da África para trabalhar em suas plantações de cana-de-açúcar. Os escravos foram libertados em 1834, mas muitos dos ex-escravos continuaram a trabalhar nas plantações de açúcar. Em 1981, Antígua tornou-se independente como parte do país de Antígua e Barbuda.

Quatro Canções: Robin de Annandale; A Donzela dos Olhos Azuis; As Bétulas de Aberfeldy; Por Tudo Isto e Mais Isto

Robert Burns (1759-1796) é mais conhecido por seus poemas e canções que refletem a herança cultural da Escócia. Ele nasceu em Alloway, Ayrshire, na Escócia, o primogênito dos sete filhos de um fazendeiro arrendatário, William Burnes, e sua esposa, Agnes Broun. Burns tinha pouca educação formal, mas lia literatura inglesa e absorvia as tradicionais canções folclóricas e contos do seu ambiente rural, em sua maioria no dialeto escocês. Ele começou a compor canções em 1774 e publicou seu primeiro livro, Poemas, Principalmente no Dialeto Escocês , em 1786. O trabalho foi um sucesso de crítica, e seus poemas tanto em escocês como em inglês, sobre vários temas, sedimentaram o enorme encanto de Burns. Ao mesmo tempo em que construía sua reputação literária, Burns trabalhava como fazendeiro e, em 1788, ele foi nomeado fiscal de imposto de consumo, em Ellisland. Ele passou os últimos 12 anos de sua vida coletando e editando canções folclóricas escocesas, que incluíam, entre outras, O Museu Musical Escocês e Uma Coleção Selecionada de Canções para Voz em Escocês de Airs Original Burns contribuiu com centenas de canções escocesas para estas antologias, muitas vezes reescrevendo as letras tradicionais e adaptando-as em músicas novas ou revistas. As obras de Burn foram amplamente distribuídas em folhetos por toda a Escócia e muito além. Estes folhetos de oito páginas, pequenos e baratos, eram, muitas vezes, ilustrados com xilogravuras e impressos em papel grosseiro. Os folhetos (Chapbooks) (chamados de antologias [garlands], se incluíssem canções), eram uma forma popular de diversão no século XVIII e início do século XIX, e o modo principal pelo qual as pessoas comuns travavam conhecimento com canções e poesias. Esses eram distribuídos por "chapmen", vendedores ambulantes que vendiam os livros nos mercados e de porta em porta nas zonas rurais. Muitas vezes os folhetos incluíam poemas de vários autores, e esses não eram identificados. Este livro, da Coleção G. Ross Roy, na Universidade da Carolina do Sul, inclui "A Donzela dos Olhos Azuis", "As Bétulas de Aberfeldy" e "Por Tudo Isto e Mais Isto", de Burns.

Quatro Canções Novas: Jamie, O Imbecil; Os Dois Emigrantes; A Carruagem do Prado; Punhos de Espada Irlandeses para Lâminas Inglesas

Robert Burns (1759-1796) é mais conhecido por seus poemas e canções que refletem a herança cultural da Escócia. Ele nasceu em Alloway, Ayrshire, na Escócia, o primogênito dos sete filhos de um fazendeiro arrendatário, William Burnes, e sua esposa, Agnes Broun. Burns tinha pouca educação formal, mas lia literatura inglesa e absorvia as tradicionais canções folclóricas e contos do seu ambiente rural, em sua maioria no dialeto escocês. Ele começou a compor canções em 1774 e publicou seu primeiro livro, Poemas, Principalmente no Dialeto Escocês , em 1786. O trabalho foi um sucesso de crítica, e seus poemas tanto em escocês como em inglês, sobre vários temas, sedimentaram o enorme encanto de Burns. Ao mesmo tempo em que construía sua reputação literária, Burns trabalhava como fazendeiro e, em 1788, ele foi nomeado fiscal de imposto de consumo, em Ellisland. Ele passou os últimos 12 anos de sua vida coletando e editando canções folclóricas escocesas, que incluíam, entre outras, O Museu Musical Escocês e Uma Coleção Selecionada de Canções para Voz em Escocês de Airs Original Burns contribuiu com centenas de canções escocesas para estas antologias, muitas vezes reescrevendo as letras tradicionais e adaptando-as em músicas novas ou revistas. As obras de Burn foram amplamente distribuídas em folhetos por toda a Escócia e muito além. Estes folhetos de oito páginas, pequenos e baratos, eram, muitas vezes, ilustrados com xilogravuras e impressos em papel grosseiro. Os folhetos (Chapbooks) (chamados de antologias [garlands], se incluíssem canções), eram uma forma popular de diversão no século XVIII e início do século XIX, e o modo principal pelo qual as pessoas comuns travavam conhecimento com canções e poesias. Esses eram distribuídos por "chapmen", vendedores ambulantes que vendiam os livros nos mercados e de porta em porta nas zonas rurais. Muitas vezes os folhetos incluíam poemas de vários autores, e esses não eram identificados. Este livro, da Coleção G. Ross Roy, na Universidade da Carolina do Sul, inclui "A Carruagem do Prado", de Burns.

Colinas de Gallowa: E Mais, Last May a Braw Wooer; Verdes Crescem os Arbustos, Oh; A Rosa Balança Docemente

Robert Burns (1759-1796) é mais conhecido por seus poemas e canções que refletem a herança cultural da Escócia. Ele nasceu em Alloway, Ayrshire, na Escócia, o primogênito dos sete filhos de um fazendeiro arrendatário, William Burnes, e sua esposa, Agnes Broun. Burns tinha pouca educação formal, mas lia literatura inglesa e absorvia as tradicionais canções folclóricas e contos do seu ambiente rural, em sua maioria no dialeto escocês. Ele começou a compor canções em 1774 e publicou seu primeiro livro, Poemas, Principalmente no Dialeto Escocês , em 1786. O trabalho foi um sucesso de crítica, e seus poemas tanto em escocês como em inglês, sobre vários temas, sedimentaram o enorme encanto de Burns. Ao mesmo tempo em que construía sua reputação literária, Burns trabalhava como fazendeiro e, em 1788, ele foi nomeado fiscal de imposto de consumo, em Ellisland. Ele passou os últimos 12 anos de sua vida coletando e editando canções folclóricas escocesas, que incluíam, entre outras, O Museu Musical Escocês e Uma Coleção Selecionada de Canções para Voz em Escocês de Airs Original Burns contribuiu com centenas de canções escocesas para estas antologias, muitas vezes reescrevendo as letras tradicionais e adaptando-as em músicas novas ou revistas. As obras de Burn foram amplamente distribuídas em folhetos por toda a Escócia e muito além. Estes folhetos de oito páginas, pequenos e baratos, eram, muitas vezes, ilustrados com xilogravuras e impressos em papel grosseiro. Os folhetos (Chapbooks) (chamados de antologias [garlands], se incluíssem canções), eram uma forma popular de diversão no século XVIII e início do século XIX, e o modo principal pelo qual as pessoas comuns travavam conhecimento com canções e poesias. Esses eram distribuídos por "chapmen", vendedores ambulantes que vendiam os livros nos mercados e de porta em porta nas zonas rurais. Muitas vezes os folhetos incluíam poemas de vários autores, e esses não eram identificados. Este livro, da Coleção G. Ross Roy, na Universidade da Carolina do Sul, inclui "Last May a Braw Wooer", "Verdes Crescem os Arbustos, Oh" e "Que Esposa Tinha Willie", de Burns.