10 de fevereiro de 2011

Queixa de Alguns Membros da Igreja Reformada Holandesa, Vivendo em Raritan, etc em [...] Nova Jersey [...] sobre o Comportamento [...]de Dominie Theodorus Jacobus Frilinghuisen e seu Conselho Eclesiástico

Em 1664, a colônia holandesa de Nova Holanda cessou de existir quando o Governador Peter Stuyvesant foi forçado a entregar Nova Amsterdam - que logo recebeu o novo nome de Nova York - a uma flotilha inglesa. Muitos moradores do que se transformou nas colônias britânicas de Nova York e Nova Jersey continuaram a falar holandês e a frequentar as igrejas onde as missas eram realizadas em holandês. Este panfleto, publicado em Nova York em 1725, diz respeito a uma disputa dentro de uma congregação da Igreja Reformada holandesa em Raritan, "na Província de Nova Jersey, na América do Norte, sob a Coroa da Grã-Bretanha", envolvendo o ministro Theodorus Jacobus Frelinghuysen e membros de sua congregação. Nascido nos Países Baixos em 1691, Frelinghuysen estudou teologia e foi ordenado ministro da Igreja Reformada Holandesa aos 26 anos de idade. Em 1720, ele emigrou para Nova Jersey a fim de estabelecer uma igreja para as colônias holandesas ao longo do Rio Raritan, nos condados de Somerset e Middlesex, Nova Jersey. Muitos de seus sermões foram publicados tanto no holandês original quanto em traduções em inglês. Frelinghuysen teve cinco filhos, todos os quais se tornaram ministros, e duas filhas, ambas casadas com ministros, e é considerado o fundador da família Frelinghuysen em Nova Jersey.

Canções Ilustradas de Burns, Número 1

Robert Burns (1759-1796) é mais conhecido por seus poemas e canções que refletem a herança cultural da Escócia. Ele nasceu em Alloway, Ayrshire, na Escócia, o primogênito dos sete filhos de um fazendeiro arrendatário, William Burnes, e sua esposa, Agnes Broun. Burns tinha pouca educação formal, mas lia literatura inglesa e absorvia as tradicionais canções folclóricas e contos do seu ambiente rural, em sua maioria no dialeto escocês. Começou a compor canções em 1774 e publicou seu primeiro livro, Poemas, Principalmente no Dialeto Escocês, em 1786. O trabalho foi um sucesso de crítica, e seus poemas tanto em escocês como em inglês, sobre vários temas, sedimentaram o enorme encanto de Burns. Ao mesmo tempo em que construía sua reputação literária, Burns trabalhava como fazendeiro e, em 1788, ele foi nomeado fiscal de imposto de consumo, em Ellisland. Ele passou os últimos 12 anos de sua vida coletando e editando canções folclóricas escocesas, que incluíam, entre outras, O Museu Musical Escocês e Uma Coleção Selecionada de Canções para Voz em Escocês de Airs Original Burns contribuiu com centenas de canções escocesas para estas antologias, muitas vezes reescrevendo as letras tradicionais e adaptando-as em músicas novas ou revistas. Os trabalhos de Burns foram amplamente distribuídos em folhetos por toda a Escócia e muito além. Estes folhetos de oito páginas, pequenos e baratos, eram, muitas vezes, ilustrados com xilogravuras e impressos em papel grosseiro. Os folhetos (Chapbooks) (chamados de antologias [garlands], se incluíssem canções), eram uma forma popular de diversão no século XVIII e início do século XIX, e o modo principal pelo qual as pessoas comuns travavam conhecimento com canções e poesias. Esses eram distribuídos por "chapmen", vendedores ambulantes que vendiam os livros nos mercados e de porta em porta nas zonas rurais. Muitas vezes os folhetos incluíam poemas de vários autores, e esses não eram identificados. Este livro, da Coleção G. Ross Roy na Universidade da Carolina do Sul, inclui 24 canções de Burns.

Uma Antologia de Novas Canções: Bess, A Desengonçada; Feliz Era Ela; Um Homem de Yorkshire em Londres; Reze, Senhora

Robert Burns (1759-1796) é mais conhecido por seus poemas e canções que refletem a herança cultural da Escócia. Ele nasceu em Alloway, Ayrshire, na Escócia, o primogênito dos sete filhos de um fazendeiro arrendatário, William Burnes, e sua esposa, Agnes Broun. Burns tinha pouca educação formal, mas lia literatura inglesa e absorvia as tradicionais canções folclóricas e contos do seu ambiente rural, em sua maioria no dialeto escocês. Ele começou a compor canções em 1774 e publicou seu primeiro livro, Poemas, Principalmente no Dialeto Escocês , em 1786. O trabalho foi um sucesso de crítica, e seus poemas tanto em escocês como em inglês, sobre vários temas, sedimentaram o enorme encanto de Burns. Ao mesmo tempo em que construía sua reputação literária, Burns trabalhava como fazendeiro e, em 1788, ele foi nomeado fiscal de imposto de consumo, em Ellisland. Ele passou os últimos 12 anos de sua vida coletando e editando canções folclóricas escocesas, que incluíam, entre outras, O Museu Musical Escocês e Uma Coleção Selecionada de Canções para Voz em Escocês de Airs Original Burns contribuiu com centenas de canções escocesas para estas antologias, muitas vezes reescrevendo as letras tradicionais e adaptando-as em músicas novas ou revistas. Os trabalhos de Burns foram amplamente distribuídos em folhetos por toda a Escócia e muito além. Estes folhetos de oito páginas, pequenos e baratos, eram, muitas vezes, ilustrados com xilogravuras e impressos em papel grosseiro. Os folhetos (Chapbooks) (chamados de antologias [garlands], se incluíssem canções), eram uma forma popular de diversão no século XVIII e início do século XIX, e o modo principal pelo qual as pessoas comuns travavam conhecimento com canções e poesias. Esses eram distribuídos por "chapmen", vendedores ambulantes que vendiam os livros nos mercados e de porta em porta nas zonas rurais. Muitas vezes os folhetos incluíam poemas de vários autores, e esses não eram identificados. Este livro, da Coleção G. Ross Roy na Universidade da Carolina do Sul, inclui "Feliz Era Ela", de Burns.

Canções Populares de Burns

Robert Burns (1759-1796) é mais conhecido por seus poemas e canções que refletem a herança cultural da Escócia. Ele nasceu em Alloway, Ayrshire, na Escócia, o primogênito dos sete filhos de um fazendeiro arrendatário, William Burnes, e sua esposa, Agnes Broun. Burns tinha pouca educação formal, mas lia literatura inglesa e absorvia as tradicionais canções folclóricas e contos do seu ambiente rural, em sua maioria no dialeto escocês. Ele começou a compor canções em 1774 e publicou seu primeiro livro, Poemas, Principalmente no Dialeto Escocês , em 1786. O trabalho foi um sucesso de crítica, e seus poemas tanto em escocês como em inglês, sobre vários temas, sedimentaram o enorme encanto de Burns. Ao mesmo tempo em que construía sua reputação literária, Burns trabalhava como fazendeiro e, em 1788, ele foi nomeado fiscal de imposto de consumo, em Ellisland. Ele passou os últimos 12 anos de sua vida coletando e editando canções folclóricas escocesas, que incluíam, entre outras, O Museu Musical Escocês e Uma Coleção Selecionada de Canções para Voz em Escocês de Airs Original Burns contribuiu com centenas de canções escocesas para estas antologias, muitas vezes reescrevendo as letras tradicionais e adaptando-as em músicas novas ou revistas. As obras de Burn foram amplamente distribuídas em folhetos por toda a Escócia e muito além. Estes folhetos de oito páginas, pequenos e baratos, eram, muitas vezes, ilustrados com xilogravuras e impressos em papel grosseiro. Os folhetos (Chapbooks) (chamados de antologias [garlands], se incluíssem canções), eram uma forma popular de diversão no século XVIII e início do século XIX, e o modo principal pelo qual as pessoas comuns travavam conhecimento com canções e poesias. Esses eram distribuídos por "chapmen", vendedores ambulantes que vendiam os livros nos mercados e de porta em porta nas zonas rurais. Muitas vezes os folhetos incluíam poemas de vários autores, e esses não eram identificados. Este livro, da Coleção G. Ross Roy, na Universidade da Carolina do Sul, inclui 30 canções de Burns.

Bess, A Estúpida; E Mais Novamente o Anseio pela Hora Festiva; Sinto Tristeza na Alma; Patty das Faces Rosadas; O Captão Wattle e a Srta. Roe; Querido É o Meu Vale Natal

Robert Burns (1759-1796) é mais conhecido por seus poemas e canções que refletem a herança cultural da Escócia. Ele nasceu em Alloway, Ayrshire, na Escócia, o primogênito dos sete filhos de um fazendeiro arrendatário, William Burnes, e sua esposa, Agnes Broun. Burns tinha pouca educação formal, mas lia literatura inglesa e absorvia as tradicionais canções folclóricas e contos do seu ambiente rural, em sua maioria no dialeto escocês. Ele começou a compor canções em 1774 e publicou seu primeiro livro, Poemas, Principalmente no Dialeto Escocês , em 1786. O trabalho foi um sucesso de crítica, e seus poemas tanto em escocês como em inglês, sobre vários temas, sedimentaram o enorme encanto de Burns. Ao mesmo tempo em que construía sua reputação literária, Burns trabalhava como fazendeiro e, em 1788, ele foi nomeado fiscal de imposto de consumo, em Ellisland. Ele passou os últimos 12 anos de sua vida coletando e editando canções folclóricas escocesas, que incluíam, entre outras, O Museu Musical Escocês e Uma Coleção Selecionada de Canções para Voz em Escocês de Airs Original Burns contribuiu com centenas de canções escocesas para estas antologias, muitas vezes reescrevendo as letras tradicionais e adaptando-as em músicas novas ou revistas. As obras de Burn foram amplamente distribuídas em folhetos por toda a Escócia e muito além. Estes folhetos de oito páginas, pequenos e baratos, eram, muitas vezes, ilustrados com xilogravuras e impressos em papel grosseiro. Os folhetos (Chapbooks) (chamados de antologias [garlands], se incluíssem canções), eram uma forma popular de diversão no século XVIII e início do século XIX, e o modo principal pelo qual as pessoas comuns travavam conhecimento com canções e poesias. Esses eram distribuídos por "chapmen", vendedores ambulantes que vendiam os livros nos mercados e de porta em porta nas zonas rurais. Muitas vezes os folhetos incluíam poemas de vários autores, e esses não eram identificados. Este livro, da Coleção Roy G. Ross, da Universidade da Carolina do Sul, inclui uma homenagem a Robert Burns, "Novamente o Anseio pela Hora Festiva."

Quantro Canções Excelentes: O Senhor de Cockpen; A Donzela de Arranteenie; A Taberna de Mirren Gibb; Jack É o Rapaz

Robert Burns (1759-1796) é mais conhecido por seus poemas e canções que refletem a herança cultural da Escócia. Ele nasceu em Alloway, Ayrshire, na Escócia, o primogênito dos sete filhos de um fazendeiro arrendatário, William Burnes, e sua esposa, Agnes Broun. Burns tinha pouca educação formal, mas lia literatura inglesa e absorvia as tradicionais canções folclóricas e contos do seu ambiente rural, em sua maioria no dialeto escocês. Ele começou a compor canções em 1774 e publicou seu primeiro livro, Poemas, Principalmente no Dialeto Escocês , em 1786. O trabalho foi um sucesso de crítica e seus poemas, tanto em escocês como em inglês, sobre vários temas, sedimentaram o enorme encanto de Burns. Ao mesmo tempo em que construía sua reputação literária, Burns trabalhava como fazendeiro e, em 1788, ele foi nomeado fiscal de imposto de consumo, em Ellisland. Ele passou os últimos 12 anos de sua vida coletando e editando canções folclóricas escocesas, que incluíam, entre outras, O Museu Musical Escocês e Uma Coleção Selecionada de Canções para Voz em Escocês de Airs Original Burns contribuiu com centenas de canções escocesas para estas antologias, muitas vezes reescrevendo as letras tradicionais e adaptando-as em músicas novas ou revistas. As obras de Burn foram amplamente distribuídas em folhetos por toda a Escócia e muito além. Estes folhetos de oito páginas, pequenos e baratos, eram, muitas vezes, ilustrados com xilogravuras e impressos em papel grosseiro. Os folhetos (Chapbooks) (chamados de antologias [garlands], se incluíssem canções), eram uma forma popular de diversão no século XVIII e início do século XIX, e o modo principal pelo qual as pessoas comuns travavam conhecimento com canções e poesias. Esses eram distribuídos por "chapmen", vendedores ambulantes que vendiam os livros nos mercados e de porta em porta nas zonas rurais. Muitas vezes os folhetos incluíam poemas de vários autores, e esses não eram identificados. Este livro, da Coleção G. Ross Roy, na Universidade da Carolina do Sul, inclui "O Senhor de Cockpen", de Burns.