5 de dezembro de 2011

Mapa arqueológico do Iraque

As primeiras civilizações do mundo cresceram no vale fértil situado entre os rios Tigre e Eufrates, na região do Oriente Médio por muito tempo conhecido como Mesopotâmia (do grego “entre dois rios”), correspondendo aproximadamente ao atual território do Iraque. Estas antigas civilizações incluiam a Suméria, o Império Babilônico e o Império dos Assírios. Este moderno mapa produzido pela Direção-Geral de Antiguidades do Iraque mostra a localização dos sítios arqueológicos e monumentos em pedra do país. A tabela no canto inferior esquerdo apresenta períodos cronológicos do Paleolítico ao Islâmico. O quadro no canto superior direito apresenta nomes de locais antigos como Ashur, Babilônia e Nínive, e seus equivalentes em árabe moderno.

A cidade de Salvador

Este mapa de 1671 da cidade de Salvador na costa nordeste do Brasil, faz parte da monumental obra do escritor holandês Arnoldus Montanus (1625-83), De Nieuwe en Onbekende Weereld: Of Beschryving van America en ’t Zuid-land (O novo e desconhecido mundo: Ou descrição da América e da terra do sul). Montanus foi um pastor protestante e diretor da Escola de Latim da cidade de Schoonhoven. Ele escreveu livros sobre história da igreja e teologia, a história dos Países Baixos e dos povos e culturas das Américas e Austrália. (A “ Terra do Sul” no título do seu livro refere-se a recém-descoberta Austrália.) Montanus nunca visitou o Novo Mundo e sua obra contém inúmeros erros e fantásticas concepções sobre o povo das Américas. No entanto, tornou-se numa obra padrão na Europa e foi amplamente lida por muitos anos. O editor da obra foi Jacob van Meurs, livreiro e gravador de Amsterdam, que esteve em atividade de 1651 a 1680 e se especializou em obras de história, geografia, e narrações sobre viagens.

6 de dezembro de 2011

Nova Constituição–Vida radiante

Este livro foi publicado em 1947 para popularizar a nova Constituição japonesa. Intitulado Atarashii Kenpō Akarui Seikatsu (Nova Constituição–Vida radiante), foi distribuído a todos os lares do país. Entre os objetivos da ocupação aliada do Japão que se seguiu à Segunda Guerra Mundial estavam o estabelecimento de um governo democrático, com base em uma nova constituição liberal e a expressão da vontade do povo japonês. A Kenpo Fukyū Kai (Sociedade da Popularização da Constituição) foi fundada em 1º de dezembro de 1946, como resultado da pressão das autoridades de ocupação para "popularizar totalmente o espírito da nova Constituição, através de atividades de sensibilização, de modo a tocar todos os aspectos da vida dos cidadãos". A sociedade continuou a desempenhar as suas funções por um ano ou mais após a promulgação da Constituição de 1947.

10 ilustrações explicativas da Constituição do Japão

Estas ilustrações coloridas foram produzidas pela Universidade Nihon em 1947 para fornecer uma explicação clara dos princípios fundamentais da nova Constituição japonesa. Elas transmitem temas como "os direitos e deveres do povo", "os direitos do indivíduo" e "igualdade dos povos", usando belas cores e ilustrações bem-humoradas. Estas ilustrações, juntamente com livros e documentos, foram encomendadas pela Kenpo Fukyū Kai (Sociedade da Popularização da Constituição), que foi fundada em 1º de dezembro de 1946 para popularizar o espírito da nova Constituição e sensibilizar a população em geral.

Secando as Roupas na Beira do Rio Sukhona, Tot'ma, Rússia

Esta fotografia oe dia de lavagem de roupa, no Rio Suklona, em Tot'ma, foi tirada em 1998 pelo Dr. William Brumfileld, fotógrafo americano e historiador da arquitetura russa, como parte do projeto "Encontro de Fronteiras" da Biblioteca do Congresso. O Sukhona liga a parte centro-meridional de Vologda Oblast ao nordeste e durante séculos foi parte de uma importante rede de comercialização que se estendeu até o norte, no Mar Branco. O Sukhona corre pelas cidades históricas de Tot'ma e Velikii Ustiug, ambas as quais são conhecidas pelas igrejas de tijolos dos séculos XVII e XVIII, patrocinadas por comerciantes locais. Embora os interiores das igrejas de Tot'ma tenham sido severamente danificados durante a era soviética, as estruturas ainda se mantêm em pé e formam uma das mais brilhantes páginas da cultura russa setentrional. A prosperidade destas aldeias ribeirinhas setentrionais baseava-se em sua localização ao longo de uma importante rota comercial e em seus laços estreitos com as maiores cidades da Rússia, São Petersburgo e Moscou. Com efeito, a influência de Tot'ma se estendeu até o Novo Mundo, através do Alasca. Dentre os notáveis cidadãos de Tot'ma, estava Ivan Kuskov, o primeiro comandante de Fort Ross, na Califórnia. .Embora Sukhona tenha, há tempos, perdido sua importância como uma das principais artérias de transporte, ainda desempenha um papel essencial nos eternos ritmos desta pequena cidade de passado glorioso.

Egito e Arábia Pétrea

Este mapa ilustrado do Egito e da Península do Sinai é um mapa Tallis, identificável pelo estilo pergaminho nas bordas e pelas cenas ricamente ilustradas nele inscritas. John Tallis e Cia. era uma empresa britânica de cartografia que funcionou mais ou menos entre 1835 a 1860. Egito e Arábia Pétrea faziam parte de seu projeto em grande escala, o Atlas Ilustrado e História Mundial Moderna, Geográfica, Política, Comercial & Estatística, publicado em 1851. A Arábia Pétrea era um nome que remontava ao Império Romano, consistindo nas terras onde hoje ficam a Península do Sinai egípcia, a Jordânia moderna, a Palestina, Israel, a Síria meridional e a Arábia Saudita Ocidental. Os mapas foram elaborados e gravados pelo cartógrafo John Rapkin, enquanto outros ilustradores gravaram as vinhetas. Os mapas Tallis eram conhecidos por seus desenhos precisos, numerosos topônimos, detalhes e informações geográficas, bem como pela utilização de áreas sombreadas para indicar características topográficas. A elaboração clara e informações detalhadas dão aos mapas uma aparência moderna, em comparação a técnicas cartográficas mais antigas. Estas produções são frequentemente descritas como as últimas da tradição dos mapas decorativos.