23 de dezembro de 2011

Catedral de São Procópio de Ustiug, interior, camada superior do iconóstase, Veliki Ustiug, Rússia

Esta vista leste do interior, em direção ao iconóstase, da Catedral de São Procópio de Ustiug, em Kargopol (oblast de Vologda) foi tirada em 1999 pelo Dr. William Brumfield, fotógrafo americano e historiador da arquitetura russa, como parte do projeto "Encontro de Fronteiras" da Biblioteca do Congresso. São Procópio era um comerciante alemão do século XIII que se converteu à ortodoxia em Novgorod na década de 1240 e acabou se mudando para a remota Ustiug, onde ele empreendeu um período de 30 anos de autoabnegação como um iurodivyi (Louco por Cristo). Relatos de milagres acumularam-se após a sua morte em 1303 e, em 1547, foi canonizado (o mais antigo iurodivyi a ser reconhecido pela igreja). Esta catedral, construída em tijolo pelo mestre Petr Kotelnikov, data de 1668. Foi construída com o apoio do Metropolita Jonas de Rostov e do comerciante Afanasi Guselnikov. Em 1724, as abóbadas do teto e a cúpulas foram reconstruídas. As cinco camadas magníficas do iconóstase dourado também datam do início do século XVIII e sobreviveram intactas ao período soviético. Aqui são vistas as camadas superiores: a Fileira do Festival, a Fileira da Deesis (com Cristo entronizado no centro), a Fileira dos Profetas e a Fileira dos Patriarcas. A cena da crucificação no topo está encoberta aqui por um candelabro banhado a prata (panikadilo). A igreja foi devolvida à paróquia em 1995.

Igreja de São Nicolau Gostunski (Gostinnyi) (década de 1680 e de 1720), com o campanário (década de 1720), vista do noroeste, Veliki Ustiug, Rússia

Esta vista noroeste do campanário e da Catedral de São Nicolau Gostunski, em Veliki Ustiug (oblast de Vologda), foi tirada em 1996 pelo Dr. William Brumfield, fotógrafo americano e historiador da arquitetura russa, como parte do projeto "Encontro de Fronteiras" da Biblioteca do Congresso. Durante o período medieval, Ustiug se tornou um centro importante não só para o comércio, mas também para a atividade missionária da Igreja Ortodoxa. Comércio e fé são combinados na Igreja de São Nicolau Gostunski, que foi construída na década de 1680 em uma costa íngreme acima do rio Sukhona, perto da praça do comércio principal da cidade. (Em algumas fontes a igreja é chamada de "Gostinyi", um título honorífico de "comerciante"). A igreja foi a primeira de Ustiug a ser construída em dois níveis, dos quais o inferior, com um altar dedicado a São Rufo e a São Zózimo, era usado para cultos no inverno. A estrutura foi parcialmente reconstruída na década de 1720, data em que um campanário foi erguido no norte da igreja. O conjunto é notável por seus detalhes decorativos delineados em preto nas fachadas de tijolos caiados de branco. A igreja culmina em uma torre de octógonos que apoia uma cúpula. O interior da igreja superior não possui pilastras e é amplamente iluminado por grandes janelas. Durante o período soviético, a igreja foi, por um tempo, usada como uma serraria. A restauração de 1986 converteu-a em uma galeria de arte local.

Igreja da Ascensão (1648-1649, década de 1670, 1742) vista do leste, Veliki Ustiug, Rússia

Esta vista leste da Igreja da Ascenção em Veliki Ustiug (oblast de Vologda) foi tirada em 1996 pelo Dr. William Brumfileld, fotógrafo americano e historiador da arquitetura russa, como parte do projeto "Encontro de Fronteiras" da Biblioteca do Congresso. Da cidade de muitas igrejas notáveis, a mais intricadamente decorada é a Igreja da Ascensão, financiada pelo comerciante Nikifor Reviakin. Construída em 1648-1649 em um floreado estilo moscovita do século XVII, é a mais antiga estrutura da cidade existente, embora com acréscimos nas décadas de 1670 e 1742. Nesta vista, a decoração começa com os azulejos dos frisos da janela em abside tripartite. A estrutura principal de tijolo caiado é coberta com padrões que se elevam em direção a uma cornija elaborada e três fileiras de frontões decorativos (kokoshniki). A exibição festiva termina com cinco cúpulas sobre cilindros decorados, ou tambores. Como muitas igrejas russas, a Igreja da Ascensão tem capelas (pridely) anexadas à estrutura principal. A Capela da Ressurreição (à direita) é na realidade uma segunda igreja e rivaliza com a igreja principal em decoração, que inclui azulejos e sua própria escadaria exterior. Além do altar principal, a capela também tem um altar dedicado ao czarevich Demétrio, bem como altares no nível mais baixo dedicados à Epifania e a Elevação da Cruz.

Igreja de São Nicolau Gostunski (Gostinnyi) (década de 1680 e de 1720), com o campanário (década de 1720), vista do leste, Veliki Ustiug, Rússia

Esta vista leste do campanário e da Catedral de São Nicolau Gostunski, em Veliki Ustiug (oblast de Vologda), foi tirada em 1996 pelo Dr. William Brumfield, fotógrafo americano e historiador da arquitetura russa, como parte do projeto "Encontro de Fronteiras" da Biblioteca do Congresso. Durante o período medieval, Ustiug se tornou um centro importante não só para o comércio, mas também para a atividade missionária da Igreja Ortodoxa. Comércio e fé são combinados na Igreja de São Nicolau Gostunski, que foi construída na década de 1680 em uma costa íngreme acima do rio Sukhona, perto da praça do comércio principal da cidade. (Em algumas fontes a igreja é chamada de "Gostinyi", um título honorífico de "comerciante"). A igreja foi a primeira de Ustiug a ser construída em dois níveis, dos quais o inferior, com um altar dedicado a São Rufo e a São Zózimo, era usado para cultos no inverno. A capela inferior (visível no centro) foi reconstruída na década de 1720 e um campanário foi erguido no norte da igreja. O conjunto é notável por seus detalhes decorativos delineados em preto nas fachadas de tijolos caiados de branco. A igreja culmina em uma torre de octógonos que apoia uma cúpula. O interior da igreja superior não possui pilastras e é amplamente iluminado por grandes janelas. Durante o período soviético, a Igreja foi, por um tempo, usada como uma serraria. A restauração de 1986 converteu-a em uma galeria de arte local.

Igreja da Ascensão (1648-1649, década de 1670, 1742), interior, parede leste e iconóstase, Veliki Ustiug, Rússia

Esta vista do iconóstase da Igreja da Ascenção em Veliki Ustiug (oblast de Vologda) foi tirada em 1998 pelo Dr. William Brumfileld, fotógrafo americano e historiador da arquitetura russa, como parte do projeto "Encontro de Fronteiras" da Biblioteca do Congresso. Colonizada por russos desde o século XII, Veliki Ustiug se tornou um importante centro durante o período medieval, não só para o comércio, mas também para a atividade missionária da Igreja Ortodoxa. De muitas igrejas da cidade, a mais ornamentada é a Igreja da Ascensão, financiada pelo comerciante Nikifor Reviakin e construída em 1648-1649 em um floreado estilo moscovita do século XVII. O iconóstase magnífico de cinco camadas foi concluído por volta de 1750, tornando-o um dos primeiros iconóstases barrocos notáveis de Ustiug. Esta vista inclui todas as cinco camadas: a Fileira Local, com a Porta Real (primorosamente entalhada e dourada) no centro, a Fileira do Festival, a Fileira da Deesis, com o Cristo entronizado, a Fileira dos Profetas e a Fileira dos Patriarcas. As camadas culminam em um grande crucifixo entalhado, com uma pintura de Jerusalém na parede do fundo. Esta construção elevada termina no topo da abóbada com uma representação da Ascensão, ladeada por anjos esculpidos em vestes vermelhas. A visão dos artistas utiliza totalmente o espaço arquitetônico.

Mosteiro do Arcanjo Miguel, Catedral do Arcanjo (1653-1656) e cúpulas (final do século XVIII) vistos do oeste, com a Igreja de Pentecostes (ou São Cipriano) (1710) em primeiro plano, Veliki Ustiug, Rússia

Esta vista noroeste da Catedral monástica (sobor) do Arcanjo Miguel em Veliki Ustiug (oblast de Vologda) foi tirada em 1996 pelo Dr. William Brumfileld, fotógrafo americano e historiador da arquitetura russa, como parte do projeto "Encontro de Fronteiras" da Biblioteca do Congresso. Colonizada por russos desde o século XII, Veliki Ustiug rapidamente se tornou um centro de comércio e atividade missionária. Crônicas medievais indicam que o Mosteiro do Arcanjo Miguel, um dos mais antigos no norte da Rússia, foi fundado pelo venerável monge Cipriano em 1212. Em 1653 a sua antiga catedral em troncos de madeira com múltiplas cúpulas, dedicada ao Arcanjo Miguel, deu lugar a uma grande estrutura modular financiada pelo comerciante Nikifor Reviakin. Concluída em 1656, a estrutura está elevada em uma base alta (podklet) e tem cinco cúpulas e quatro pilastras interiores. A parte superior das paredes é decorada com frontões curvos (zakomary) sob a cornija reta do telhado. Esta forma retangular está incluída dentro de uma galeria contendo afrescos notáveis sobre as provações da vida monástica. O canto noroeste é ancorado por um campanário (visível na extrema esquerda) com uma torre em forma de tenda. Em primeiro plano sombreado está a pequena Igreja de Meso Pentecostes (1710), também conhecida como a Igreja de São Cipriano, construída sobre o túmulo do fundador do mosteiro.