Mugan. Assentamento de Petropavlovskoe. Uma Rua (Setenta e Sete Famílias)

No começo do século XX, o fotógrafo russo Sergei Mikhailovich Prokudin-Gorskii (1863-1944), usou um processo especial de fotografia colorida para criar um registro visual do Império Russo. Algumas fotografias de Prokudin-Gorskii datam de 1905, mas a maior parte de seu trabalho é do período entre 1909 e 1915 quando, com o apoio do Czar Nicolau II e do Ministério dos Transportes, ele empreendeu extensas viagens por muitas partes diferentes do império.

Vitebsk. Parte da Cidade com o Duína Ocidental

No começo do século XX, o fotógrafo russo Sergei Mikhailovich Prokudin-Gorskii (1863-1944), usou um processo especial de fotografia colorida para criar um registro visual do Império Russo. Algumas fotografias de Prokudin-Gorskii datam de 1905, mas a maior parte de seu trabalho é do período entre 1909 e 1915 quando, com o apoio do Czar Nicolau II e do Ministério dos Transportes, ele empreendeu extensas viagens por muitas partes diferentes do império.

Vitebsk. Visão Geral da Parte Meridional da Cidade

No começo do século XX, o fotógrafo russo Sergei Mikhailovich Prokudin-Gorskii (1863-1944), usou um processo especial de fotografia colorida para criar um registro visual do Império Russo. Algumas fotografias de Prokudin-Gorskii datam de 1905, mas a maior parte de seu trabalho é do período entre 1909 e 1915 quando, com o apoio do Czar Nicolau II e do Ministério dos Transportes, ele empreendeu extensas viagens por muitas partes diferentes do império.

Vitebsk. Iconostases na Catedral da Assunção

No começo do século XX, o fotógrafo russo Sergei Mikhailovich Prokudin-Gorskii (1863-1944), usou um processo especial de fotografia colorida para criar um registro visual do Império Russo. Algumas fotografias de Prokudin-Gorskii datam de 1905, mas a maior parte de seu trabalho é do período entre 1909 e 1915 quando, com o apoio do Czar Nicolau II e do Ministério dos Transportes, ele empreendeu extensas viagens por muitas partes diferentes do império.

Mosteiro para Mulheres Spaso-Evfrosinevskii, Três Vestas, a partir da Cidade de Polotsk. Vista do Sul.

No começo do século XX, o fotógrafo russo Sergei Mikhailovich Prokudin-Gorskii (1863-1944), usou um processo especial de fotografia colorida para criar um registro visual do Império Russo. Algumas fotografias de Prokudin-Gorskii datam de 1905, mas a maior parte de seu trabalho é do período entre 1909 e 1915 quando, com o apoio do Czar Nicolau II e do Ministério dos Transportes, ele empreendeu extensas viagens por muitas partes diferentes do império.

Tecelagem e Barragem no Rio Polot

No começo do século XX, o fotógrafo russo Sergei Mikhailovich Prokudin-Gorskii (1863-1944), usou um processo especial de fotografia colorida para criar um registro visual do Império Russo. Algumas fotografias de Prokudin-Gorskii datam de 1905, mas a maior parte de seu trabalho é do período entre 1909 e 1915 quando, com o apoio do Czar Nicolau II e do Ministério dos Transportes, ele empreendeu extensas viagens por muitas partes diferentes do império.

Campo Colhido

No começo do século XX, o fotógrafo russo Sergei Mikhailovich Prokudin-Gorskii (1863-1944), usou um processo especial de fotografia colorida para criar um registro visual do Império Russo. Algumas fotografias de Prokudin-Gorskii datam de 1905, mas a maior parte de seu trabalho é do período entre 1909 e 1915 quando, com o apoio do Czar Nicolau II e do Ministério dos Transportes, ele empreendeu extensas viagens por muitas partes diferentes do império.

Mulheres Armênias (Católicas) em Trajes Típicos. Artvin

No começo do século XX, o fotógrafo russo Sergei Mikhailovich Prokudin-Gorskii (1863-1944), usou um processo especial de fotografia colorida para criar um registro visual do Império Russo. Algumas fotografias de Prokudin-Gorskii datam de 1905, mas a maior parte de seu trabalho é do período entre 1909 e 1915 quando, com o apoio do Czar Nicolau II e do Ministério dos Transportes, ele empreendeu extensas viagens por muitas partes diferentes do império.

A Terra, conforme vista pelos astronautas Eugene Cerna, Ronald Evans e Harrison Schmidt da Apollo 17

A missão Apolo XVII, que ocorreu no período de 7 a 19 de Dezembro de 1972, foi a última das missões para a lua realizada no final dos anos 60 e início dos anos 70 pela Nasa. Agência Nacional Aeronáutica e do Espaço (NASA). Astronautas Eugene A. Cernan, Ronald B. Evans, e Harrison H. Schmitt realizaram a missão, que durou 12 dias, 13 horas, e 52 minutos e incluia uma estadia de 75 horas na superfície lunar. O local do desembarque na lua era as terras altas e a área do vale de Taurus-Litrow  (20º 16’ latitude norte, 30º 77’ leste de longitude). A missão recolheu 110,4 kg de material lunar e estabeleceu a sexta estação automática de pesquisa da Nasa. Esta fotografia mostra a terra da forma como teria aparecido aos astronautas durante sua jornada de volta para casa.

Vista do Vale do Rio, Monumento Nacional 'Canyon de Chelly', Arizona (Orientação Vertical), por Ansel Adams

Em 1941, o Serviço de Parques Nacionais dos Estados Unidos contratou o famoso fotógrafo Ansel Adams (1902-84) para criar um mural fotográfico para o prédio do Departamento do Interior, em Washington, DC. O tema seria a natureza como exemplificada e protegida pelos parques nacionais e monumentos nacionais dos Estados Unidos. O projeto foi interrompido por causa da Segunda Guerra Mundial, e nunca mais foi retomado. O acervo da Agência de Fotografia dos Arquivos Nacionais dos Estados Unidos inclui 226 fotografias tiradas para este projeto, a maioria delas assinadas e legendadas por Adams. As fotografias do Parque Nacional Kings Canyon foram tiradas em 1936, quando a criação do parque estava sendo proposta e foram adicionadas por Adams ao projeto do mural . A única fotografia de Yosemite foi um presente de Adams ao chefe do Serviço de Parques Nacionais (National Park Service), Horace Albright, em 1933. Aqui, uma vista do Monumento Nacional Canyon de Chelly, no Arizona, criado em 1931 pelo presidente Herbert Hoover após aprovação pelo Congresso e pelo Conselho Tribal da Nação Navajo. O Canyon de Chelly está inteiramente localizado em terras tribais fiduciais dos Navajo e continua abrigando essa comunidade.