O Alcorão na primeira versão impressa, com a vida e os ensinamentos de Muhammad, e outros trabalhos

Descrição

Este volume contém a primeira impressão do Alcorão, apresentada na tradução em latim pelo estudioso inglês Roberto de Ketton no século XII. Esta tradução foi encomendada pelo abade Pedro, o Venerável, do mosteiro de Cluny, na França, que também foi responsável por mosteiros na Espanha. Na década de 1300, o Islã ainda tinha uma forte presença na Espanha, embora o controle muçulmano da Península Ibérica estivesse diminuindo. Quando esta edição foi impressa, 400 anos depois, o Islã voltou a ser uma grande preocupação para as autoridades cristãs: em 1529, o sultão turco-otomano, Solimão, o Magnífico, cercou Viena. Uma característica notável é o prefácio de Martinho Lutero, que encontrou um manuscrito da tradução de Ketton e o preparou para impressão. Lutero queria que os cristãos soubessem sobre o Islã, para que pudessem refutar suas posições teológicas, "para a propagação da fé cristã e da Santa Igreja". Lutero foi criticado por esta publicação. Os críticos sustentavam que mesmo imprimindo o Alcorão para fins polêmicos, era um reconhecimento perigoso de sua importância. Além da tradução do próprio Alcorão, o volume contém "as refutações de muitos dos autores árabes, gregos e latinos mais dignos, juntamente com um prefácio do teólogo mais excelente, Martinho Lutero", tornando-o o conjunto mais abrangente de materiais sobre o assunto disponível no Ocidente na época. Estes escritos incluem Confutatio legis latae Saracenis a maledicto Mahometo (Refutação da lei promulgada pela maldição dos Sarracenos, Maomé), de Ricoldo da Monte Croce (por volta de 1243-1320), com tradução paralela em grego; Historiae de Saracenorum sive Turcarum origine, moribus, nequitia, religione, rebus gestis (História da origem, comportamento, maldade, religião e história saracena ou turca), prefaciado por Lutero; e o original em grego e a tradução para o latim de Contra Mahometicam fidem Christiana & orthodoxa assertion (Contra o Islamismo e uma afirmação de fé cristã ortodoxa), de João VI Cantacuzeno, Imperador do Oriente (1292-1383).

Data de Criação

Informação da Publicação

Johannes Oporinus, Basileia

Título no Idioma Original

Machvmetis Saracenorvm Principis eivsq́ve svccessorvm vitae, ac doctrina, ipséqve Alcoran

Outras Palavras-Chave

Tipo de Item

Descrição Física

860 páginas; 30 x 20,5 x 6 centímetros

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 6 de abril de 2015