Alta Silésia

Descrição

Em preparação para a esperada conferência de paz após a Primeira Guerra Mundial, na primavera de 1917, o Ministério das Relações Exteriores britânico criou um departamento especial responsável pelo planejamento de informações de base que seriam usadas pelos delegados britânicos durante a conferência. Alta Silésia é o Número 40 em uma série de mais de 160 estudos produzidos por este departamento, a maioria dos quais foi publicada após a conclusão da Conferência de Paz de Paris, em 1919. A Alta-Silésia, também conhecida como Oppeln, foi um dos três distritos governamentais da província prussiana da Silésia, sendo os outros Breslau e Liegnitz. De acordo com o censo de 1910, a população total da Alta Silésia era de cerca de 2.207.000, dos quais cerca de 1.250.000 pessoas eram de etnia polonesa. Nesta época, ainda não existia uma Polônia independente e o estudo cita uma passagem das memórias do antigo chanceler Otto von Bismarck, explicando que a preocupação com a minoria polonesa na Silésia foi um dos motivos que “nos levou a retardar, tanto quanto possível, a abertura da questão polonesa”. A seção sobre as condições econômicas enfatiza a importância da Alta Silésia para a indústria alemã, que se fiava principalmente na produção de carvão extraído das grandes minas, que iam das fronteiras até o que era então a Silésia austríaca e a Polônia russa. Após a Primeira Guerra Mundial, a Alta Silésia se tornou parte do Estado polonês reconstituído.

Data de Criação

Informação da Publicação

H.M. Stationery Office, Londres

Idioma

Título no Idioma Original

Upper Silesia

Tipo de Item

Descrição Física

43 páginas; 22 centímetros

Observações

  • Da série: Manuais da Paz

Coleção

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 21 de julho de 2014