Rutênia húngara

Descrição

Em preparação para a esperada conferência de paz após a Primeira Guerra Mundial, na primavera de 1917, o Ministério das Relações Exteriores britânico criou um departamento especial responsável pelo planejamento de informações de base que seriam usadas pelos delegados britânicos durante a conferência. Rutênia húngara é o Número 7 em uma série de mais de 160 estudos produzidos por este departamento, a maioria dos quais foi publicada após a conclusão da Conferência de Paz de Paris, em 1919. A Rutênia húngara é definida no livro como sendo composta pelos condados de Maramaros, Bereg e Ugocsa, localizados na parte sul das Montanhas dos Cárpatos, no nordeste da Hungria. Maramaros hoje pertence à Romênia; Bereg, à Hungria; e Ugocsa está dividida entre Romênia e Ucrânia. Em 1910, a população total da região era de 686.071, dos quais 43% eram rutênios, 30,5% magiares (húngaros), 13,8%, romenos e 12,2%, alemães. O total de magiares inclui um grande número de judeus falantes do húngaro que viviam nas principais cidades. Rutênio era um termo aplicado a um povo essencialmente ucraniano, mas que vivia sob domínio polonês ou austro-húngaro. O estudo descreve uma região economicamente atrasada, em que 90% da população dependia da agricultura para obter seu sustento e 75% da população era analfabeta.

Data de Criação

Informação da Publicação

H.M. Stationery Office, Londres

Idioma

Título no Idioma Original

Hungarian Ruthenia

Tipo de Item

Descrição Física

3 placas, 24 páginas; 22 centímetros

Observações

  • Da série: Manuais da Paz

Coleção

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 21 de março de 2014