Silésia austríaca

Descrição

Em preparação para a esperada conferência de paz após a Primeira Guerra Mundial, na primavera de 1917, o Ministério das Relações Exteriores britânico criou um departamento especial responsável pelo planejamento de informações de base que seriam usadas pelos delegados britânicos durante a conferência. Silésia austríaca é o Número 4 em uma série de mais de 160 estudos produzidos por este departamento, a maioria dos quais foi publicada após a conclusão da Conferência de Paz de Paris, em 1919. O ducado da Silésia austríaca consistia nos dois distritos silesianos de Troppau e Teschen, que permaneceram sob soberania austríaca após a conquista da Silésia pelo prussiano Frederico, o Grande, em 1742. O restante da Silésia foi cedido à Prússia pela Imperatriz Maria Theresa, da Áustria, no Tratado de Paz em Breslau de junho de 1742. O livro inclui seções sobre geografia física e política, sobre história política, sobre condições sociais e políticas, e condições econômicas. De acordo com o censo de 1910, a população do ducado era composta de três grupos étnicos principais: alemães (43,90%), “tchecoslovacos”, isto é, tchecos (24,33%) e poloneses (31,72%). Estes grupos viviam principalemente em distritos geograficamente distintos e mantinham relações complexas uns com os outros. Com a dissolução da Áustria-Hungria no final da Primeira Guerra Mundial, a maior parte da Silésia austríaca passou a integrar o Estado recém-criado da Tchecoslováquia.

Data de Criação

Data do Assunto

Informação da Publicação

H.M. Stationery Office, Londres

Idioma

Título no Idioma Original

Austrian Silesia

Tipo de Item

Descrição Física

3 placas, 36 páginas; 22 centímetros

Observações

  • Da série: Manuais da Paz

Coleção

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 21 de março de 2014