A nau dos insensatos

Descrição

Das Narrenschiff (A nau dos insensatos) do advogado da Basileia Sebastian Brant (entre 1458 e 1521) foi uma das primeiras obras ricamente ilustradas a ser impressa em língua alemã no século XV e uma das mais populares. Após a primeira edição, que foi impressa em 1494 pelo antigo colega de universidade de Brant, Johann Bergmann, a sátira de Brant sobre a insensatez humana tornou-se um best-seller europeu. Em 1574, mais de 40 edições do texto haviam surgido, incluindo traduções para o latim, o francês, o inglês, o holandês e o baixo-alemão. O texto descreve uma viagem fictícia por mar de 112 insensatos, cada um representando um certo tipo de conduta humana, para a terra prometida de “Narragônia”. A sucessão de insensatos é liderada pelo leitor tolo: convencido de sua aprendizagem, ele está empenhado em espantar as moscas que zumbem em torno de sua mesa abarrotada de livros, mas ele não abre os livros para adquirir conhecimentos. Brant não critica tanto a insensatez, mas o fato de permanecer insensato por não reconhecer as próprias falhas. Uma das razões para o grande sucesso da obra foi, sem dúvida, as xilogravuras de alta qualidade que introduzem e complementam o texto. Entre os artistas que colaboraram com Brant nesta obra está o jovem Albrecht Dürer, que logo após a conclusão desta obra deixou a Basileia e foi para Nuremberg. O livro encontra-se na Biblioteca Estatal da Baviera, em Munique, Alemanha.

Data de Criação

Data do Assunto

Informação da Publicação

Johann Bergmann, Basileia

Título no Idioma Original

Das Narrenschiff

Tipo de Item

Descrição Física

159 folhas: ilustrações

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 30 de abril de 2014