Saltério da Rainha Isabel da Inglaterra

Descrição

O ricamente iluminado saltério de Isabella contém o texto dos salmos em latim e anglo-normando. É provável que o códice tenha sido um presente de casamento do rei Eduardo II da Inglaterra (1284-1327) a sua esposa Isabella de França (1292/1296-1358), apresentado em 1303-1308. A inicial para o Salmo 119 mostra uma rainha, provavelmente Isabel, ajoelhando-se entre os brasões da Inglaterra e da França. Escrito para a diocese de York, provavelmente na oficina do convento agostiniano perto de Nottingham (como revelado pelo calendário), o saltério foi iluminado pela oficina do saltério de Tickhill (conservado na Biblioteca Pública de Nova York, Spencer 26). Ambos os saltérios estão entre os mais ricamente iluminados saltérios ingleses do século XIV. O saltério de Isabel conta com três ciclos independentes de iluminuras com cenas do Antigo Testamento. O primeiro mostra cenas da Criação. O segundo é um ciclo da vida do Rei Davi, com cenas especiais relevantes para uma rainha, incluindo um casamento e a ocultação do rei. Um terceiro ciclo, no final da página da versão anglo-normanda do saltério, mostra cenas e animais de um bestiário, em grande parte com base no Fisiólogo (um bestiário popular medieval, derivado de uma fonte grega anterior), enquanto as iniciais do texto anglo-normando mostram brasões de armas, a maioria de cavaleiros ingleses. O saltério de Isabel permaneceu na Inglaterra até o século XVII ou início do século XVIII. Ficou na biblioteca de Maximiliano I José da Baviera (1756-1825, rei da Baviera entre 1806-1825) e, posteriormente, tornou-se parte da atual Biblioteca Estatal da Baviera.

Última Atualização: 28 de agosto de 2015