Alcorão de Sevilha do século XIII

Descrição

Este manuscrito do início do século XIII está entre os poucos Alcorões datados sobreviventes da Espanha islâmica. Concluído em Sevilha, em 1226 d.C. (624 A.H.), ele foi resgatado da destruição durante a Reconquista por refugiados muçulmanos que fugiram da Espanha para o Norte da África. Em 1535, quando o imperador romano Carlos V (entre 1500 e 1558) conquistou Túnis em uma expedição contra os piratas bárbaros, suas tropas confiscaram o Alcorão e o levaram de volta para a Europa. Posteriormente, o manuscrito passou para as mãos de Johann Albrecht Widmanstetter (entre 1506 e 1557), diplomata e orientalista cuja biblioteca mais tarde se tornou a base para a biblioteca da corte de Munique. O texto foi escrito em pergaminho na escrita andaluza condensada. O dourado predomina na coloração da página dupla de abertura, nos títulos das suratas (capítulos), nos marcadores dos versículos e nos ornamentos nas margens que se referem às prostrações e à divisão do Alcorão em seções. A página final com o colofão é adornada com uma roseta rodeada por uma moldura quadrada. O manuscrito encontra-se na Biblioteca Estatal da Baviera, em Munique, Alemanha.

Data de Criação

Informação da Publicação

Sevilha

Idioma

Título no Idioma Original

13th-Century Qur’an from Seville

Tipo de Item

Descrição Física

130 folhas, papel: ilustrações; 22 x 20 centímetros

Observações

  • Código BSB: Cod.arab. 1

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 28 de agosto de 2015