Sidur

Descrição

Este códice é considerado um dos mais originais mahzorim (Livros de orações diárias do sagrado judaico) dos sobreviventes medievais da Espanha, que data provavelmente do início do século XIV. Escrito em hebraico sefardita em caracteres quadrados, contém duas partes distintas, que mais tarde foram unidas. A parte maior forma um Haggadah shel Pesach (o texto da ordem de serviço utilizado no início da Páscoa). Ele inclui piyutim (poemas litúrgicos, geralmente cantados ou entoados) para a Páscoa e o aramaico targum (tradução) do Êxodo, seguido da poesia litúrgica da Shavuot (que comemora a revelação da Torá aos israelitas) e da Sucot (Festa dos Tabernáculos). Mais característico é a forma como as palavras-chave da liturgia são ilustradas, os personagens se transformando em criaturas grotescas zoomórficas e antropomórficas, uma moda que foi difundida em manuscritos medievais judaicos da Espanha. O manuscrito pertenceu originalmente à famosa coleção de manuscritos e incunábulos de propriedade de Alexander, conde de Hamilton, que foi adquirida em 1882 pelo Estado prussiano. Desde 1919, os itens da coleção hebraica se encontravam em posse do Departamento Oriental da Biblioteca Estadual de Berlim.

Última Atualização: 28 de agosto de 2015