A flauta mágica

Descrição

Die Zauberflöte (A flauta mágica) está entre as mais conhecidas das 22 óperas escritas pelo compositor austríaco Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791). Mozart compôs a ópera na primavera e no verão de 1791, com exceção da Abertura e da Marcha dos Sacerdotes no início do Ato II. Estas partes foram concluídas apenas alguns dias antes da estreia em 30 de setembro daquele ano. Aqui é mostrada a partitura manuscrita original de Mozart. Durante a fase inicial da obra, Mozart normalmente escrevia apenas a parte da melodia e da linha de baixo, bem como diversas figuras estruturalmente significativas na faixa intermediária. Apenas mais tarde ele adiciona os instrumentos restantes, em alguns casos usando uma cor diferente de tinta. Várias cores de tinta podem ser vistas em muitas páginas da partitura e as diferenças entre elas fornecem uma visão do processo de composição de Mozart. A ópera final de Mozart, A flauta mágica foi controversa por aquilo que ele revelou sobre a maçonaria, uma vez que tanto o compositor como o libretista Emanuel Schikaneder eram maçons. A ópera é uma alegoria sobre a luta entre a Rainha da Noite, que representa a escuridão e a repressão do conhecimento e Sarastro, um monarca benevolente e iluminado, cujo governo é baseado na sabedoria e na razão. Tamino e Papageno lutam por tentativa e erro entre essas forças opostas para encontrar um paraíso na Terra e o amor duradouro. A fábula é ao mesmo tempo profunda e fantástica e a obra é uma peça básica das casas de ópera em todo o mundo.

Data de Criação

Data do Assunto

Idioma

Título no Idioma Original

Die Zauberflöte

Outras Palavras-Chave

Tipo de Item

Descrição Física

Partitura: 224 páginas

Observações

  • KV 620; partitura autografada

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 24 de maio de 2012