Três canções Noh: Takasago, Kamo e Kantan

Descrição

Este grande livro de manuscrito data de meados do período Edo (1600-1867). O título é encontrado no rodapé, no interior da capa da frente. O livro contém o libreto e as anotações musicais dos três cantos ou canções Noh, Takasago, Kamo e Kantan, acompanhados por seis ilustrações coloridas de atores Noh. O papel tem desenhos pintados em dourado por baixo do texto. Noh, uma forma clássica de drama musical japonesa, desenvolveu-se na Idade Média. Atores, coro e músicos aparecem juntos no palco. A música, como o movimento, é despojado para criar uma atmosfera simples e concentrada. Takasago é uma obra-prima de Zeami (1363-1443), que estabeleceu o Noh como uma arte clássica teatral. É a história do encontro de um sacerdote xintoísta com os espíritos de duas árvores antigas, um em Takasago, na província de Harima e outro na província de Settsu. Os espíritos revelam que eles são marido e mulher, e apesar de separados por uma grande distância seus corações estão unidos. Diz-se que Kamo é de Konparu Zenchiku (por volta de 1405-1469), que desenvolveu o teatro Noh depois de Zeami. Kamo conta a origem do Santuário Kamo, em Quioto, com cantos elegantes e graciosos. Kantan é uma fábula com moral de iluminação, com base no Zhenzhong ji (História em um travesseiro), um conto chinês da dinastia Tang (618-907). Um jovem, dormindo em uma pousada em um travesseiro mágico emprestado, sonha com uma vida gloriosa, na qual ele reina por 50 anos. Acordando de seu breve sonho, ele entende que a vida em si é apenas curta e frágil.

Última Atualização: 19 de junho de 2017