Vida e feitos do pícaro Guzmán de Alfarache

Descrição

Vida y hechos del picaro Guzman de Alfarache (A vida e feitos do pícaro Guzmán de Alfarache) é um importante exemplo do início da novela picaresca, um gênero de ficção que se desenvolveu na Espanha e que leva o nome de picaro, uma palavra espanhola que significa patife ou malandro. Escrito mais como um discurso moralizador do que como diversão, Guzmán de Alfarache oferece todas as características da novela picaresca. O autor, Mateo Alemán (nasceu em Sevilha, em 1547 e morreu no México por volta de 1615), desenvolveu um estilo pessoal original, ainda não explorado em La vida de Lazarillo de Tormes y de sus fortunas y adversidades (A vida de Lazarillo de Tormes e de suas fortunas e adversidades), a novela anônima publicada em 1554 que lhe serviu de modelo. Na primeira e na segunda parte da obra o enredo é complementado com contos curtos, brincadeiras e anedotas que permitem que o autor reflita sobre temas como justiça, honra e perdão, mesmo quando eles interrompem a narrativa principal de Guzmán, um personagem sem escrúpulos que comete inúmeras fraudes e enganos. Um sentimento de tristeza permeia a história, atraindo o leitor para a realidade complicada do século XVI na Espanha e na Itália, e refletindo o espírito da Contra-Reforma, então em curso. A primeira parte foi publicada em Madri, em 1599 e foi um sucesso notável. A publicação da segunda parte seguiu-se em 1604. O trabalho foi muito popular e foi logo traduzido em Inglês, francês, alemão, italiano e latim. Esta edição da Biblioteca Nacional da Espanha foi impressa em 1681.

Última Atualização: 29 de setembro de 2014