Pintura do governador, prefeitos e governantes do México

Descrição

Este manuscrito pictográfico do século XVI, escrito no México, contém as declarações dos réus e das testemunhas em uma investigação sobre acusações de má gestão e abuso contra o vice-rei Don Luis de Velasco e outras autoridades espanholas na Nova Espanha, como o México era chamado na época. A investigação foi realizada em 1563-1566 por Dom Jeronimo de Valderrama, que foi enviado ao México com esse propósito, por ordem de Filipe II da Espanha. As pessoas e as suas declarações são representadas através de pictogramas, seguidas de uma explicação em náuatle e em castelhano para os notários, com as declarações dos indígenas traduzidas por intérpretes de náuatle. Os desenhos são uma fonte inestimável de informações sobre a vida cotidiana do México colonial. Eles retratam edifícios civis e religiosos; a construção de casas; obras públicas, incluindo sistemas de canais, pontes e estradas; vestuário masculino e feminino dos espanhóis e dos índios; profissões e atividades econômicas, incluindo a agricultura, coleta de frutos, limpeza e decoração; utensílios e os instrumentos para fabricá-los e a moeda utilizada (ouro ou cacau) para pagar impostos. A expedição militar para a Flórida é representada por um homem a cavalo carregando a bandeira decorada com a águia sobre uma opuntia, seguido por quatro nativos vestidos com roupas castelhanas, acompanhando os soldados espanhóis. O documento também é conhecido como o códice Osuna, em homenagem ao seu proprietário, o duque de Osuna e Infantado, cuja biblioteca se tornou parte da Biblioteca Nacional da Espanha em 1883, mas não é um códice como tal. Na verdade, trata-se de um documento administrativo, que em algum momento foi separado por causa de seus desenhos atraentes, do volumoso arquivo relativo à viagem de Valderrama ao México. O documento de 39 páginas mantém a sua foliação original (463-501), prova de que fazia parte de um arquivo maior.

Última Atualização: 25 de outubro de 2012