Sobre “Dos Céus” de Aristóteles

Descrição

Em colaboração com o estudioso chinês Li Zhizao (1565-1630), o missionário português Fu Fanji (Francisco Furtado, 1587-1653) traduziu duas obras ocidentais para o chinês. Elas eram Huan you quan (Sobre o céu e a terra), uma tradução com comentários acadêmicos sobre De Coelo et Mundo de Aristóteles, e Ming li tan (Investigações sobre os princípios de nomes), uma tradução parcial e livre da lógica aristotélica. Uma obra de cosmologia em vez de religião, o primeiro livro foi originalmente uma parte dos oito volumes de Commentarii Collegii Conimbrincensis Societatis Iesu, in quator libros De Coelo … Aristotelis Stagiritae, elaborado e publicado em 1592 pelos jesuítas no Colégio de Coimbra, Portugal, com Pedro de Fonseca como editor-chefe. Furtado traduziu do latim para o chinês, que era então polido por Li Zhizao. No final de cada juan há uma inscrição de Li Zhizao, declarando que foi traduzido pelo missionário português Furtado e aperfeiçoado por ele mesmo, em seu jardim Cunyuan perto do Lago Oeste. Quando a tradução se completou, Furtado tinha dominado o chinês tão bem que “gradualmente, ele pôde dizer o que queria dizer”. A colaboração de Furtado e Zhizao Li em Ming li tan então prosseguiu. Qian qing tang shu mu (A bibliografia de Qian qing tang), o catálogo de uma coleção abrangente das obras da dinastia Ming e algumas bibliografias mais tarde identificam erroneamente o autor desta obra como Fu Zhaoji e o trabalho como taoísta. Esta cópia tem seis juan, em um total de 375 folhas. Um prefácio de Li Zhizao precede o texto principal. A inscrição no final do índice indica que ele foi impresso por Li às suas próprias custas e que ele possuía os blocos de impressão. O juan 1 oferece o esboço em cinco parágrafos; juan 2 a 6 contém 15 ensaios e um apêndice. No final do trabalho, Li também listou os nomes dos revisores de conteúdo e de estilo, incluindo Li Ningshi (Pedro Ribeiro, 1572-1640), Dezhao Zeng (Alvaro Semedo, 1585-1658), Fei Lede (Rodrigue de Figuerdo, 1594-1642 ), e Yang Manuo (Emmanuel Diaz, 1574-1659). Ele também forneceu a data de conclusão da tradução (1625) e da impressão (1628). A impressão é primorosa e é surpreendente que nunca tenham publicado nenhuma reimpressão. Esta cópia é uma das primeiras impressões. O juan 6 e o índice são transcrições manuscritas.

Última Atualização: 21 de junho de 2012