Refutando a heresia

Descrição

Pi xie lun (Refutando a heresia) é de Yang Guangxian (1597–1669) de Shexian, província de Anhui, um feroz oponente dos primeiros missionários cristãos na China. A partir de 1659 aproximadamente, Yang autointitulou-se um ativista contra os missionários. Em 1644, foi pedido ao jesuíta alemão Johann Adam Schall von Bell (por volta de 1592-1666) que preparasse um calendário para a nova dinastia Qing com base em cálculos matemáticos ocidentais. Schall mais tarde foi nomeado diretor do Conselho Imperial de Astronomia. Yang apresentou um documento ao Conselho de Cerimônias, acusando Schall de cometer erros nos cálculos astronômicos e acusando-o e a outros missionários de conspirarem contra o Estado e de doutrinar o povo com falsas ideias. Schall, sete astrônomos chineses e outros chineses foram presos em 1665 e condenados à morte. Os três outros missionários envolvidos foram Ferdinand Verbiest, Lodovico Buglio e Gabriel de Magalhães, que foram sentenciados a serem açoitados e exilados. Schall e a maioria dos chineses foram libertados mais tarde, mas cinco astrônomos, todos eles cristãos convertidos, foram executados. No mesmo ano, Yang foi nomeado chefe do Departamento de Astronomia, mas ele foi removido em 1668 e substituído pelo jesuíta Verbiest, que provou os erros de cálculo feitos por Yang. O caso de Schall, que já estava morto, foi revisado e Yang foi condenado ao banimento. Mais tarde, libertado do exílio devido à sua idade avançada, ele morreu a caminho de casa. Esta cópia do manuscrito, em um volume, é representativa do trabalho de Yang contra calendários baseados em cálculos matemáticos ocidentais. Ele consiste de três juan, cada qual com um subtítulo. No final do texto estão cinco apêndices de outros trabalhos de Yang publicados entre 1662 e 1678, incluindo Hun tian shi er gong tu shuo (Doze divisões ilustradas da esfera celeste). Esta é uma cópia muito rara.

Última Atualização: 25 de novembro de 2013