O livro sobre a divisão das fronteiras geográficas com referência às estrelas

Descrição

A antiga astronomia chinesa foi usada para fazer prognósticos sobre assuntos próprios do homem ao equiparar os corpos celestes com municípios, prefeituras e pessoas. Desse modo, as previsões poderiam ser feitas sobre desenvolvimentos favoráveis ou desastres que poderiam ocorrer a uma determinada localidade ou pessoa com base nos movimentos do sol, da lua ou das estrelas. Esta metodologia foi chamada de fen ye (divisão das fronteiras geográficas com referência às estrelas). A metodologia e a teoria na qual era baseada existiam desde a dinastia Han (por volta de 206 a.C.-220 d.C.), e ao longo dos séculos o sistema tornou-se mais complicado e a divisão de fronteiras geográficas e astronômicas mais complexa. Durante a dinastia Tang (618-907), o sistema foi revisado e foi adotado e usado séculos mais tarde. Da Ming qing lei tian wen fen ye zhi shu (O livro sobre a divisão de fronteiras geográficas com referência às estrelas) é um livro raro, escrito no início da dinastia Ming por Liu Ji, e apresentado ao primeiro imperador Ming, Hongwu, no 17º ano de seu reinado (1384). O arranjo da compilação é único, como as tentativas de demarcar as divisões geográficas com referência às 12 estrelas em relação aos municípios e prefeituras designados pelo Departamento de Astronomia Ming. Seu conteúdo é semelhante ao de uma obra anterior, Tang shu tian wen zhi (Tratados astronômicos dos registros da dinastia Tang). Com base em tratados astronômicos em Tang shu (O livro de Tang), por volta de 941 e Jin shu (O livro de Jin), de 648, o autor introduz cada uma das divisões dos órgãos administrativos em relação às posições das 12 estrelas. O significado e a origem dessas posições estelares foram baseados em 28 casas lunares e elas foram nomeadas em homenagem a grandes personagens, nações históricas e totens de aves. Em função de Hongwu haver estabelecido sua capital em Nanjing, Jiangsu, no sudeste da China, o autor começou com a posição da estrela Douniu Wuyue (Boi de luta dos estados de Wu e Yue) e a área geográfica correspondente às províncias de Jiangsu e Zhejiang. Algumas histórias locais até foram escritas usando este sistema, o que explica por que esse título em particular foi incluído no Xu xiu Si ku quan shu (Suplemento do catálogo da Coleção Siku) como uma obra geográfica na seção de história. A obra possui grande valor histórico, pois fornece informações sobre a evolução das divisões administrativas durante o final da dinastia Yuan e início da dinastia Ming. Ela possui 24 juan, em dez volumes.

Última Atualização: 25 de novembro de 2013