Os heróis retornam à verdade

Descrição

Este trabalho foi publicado em 1861 durante a Rebelião Taiping, uma grande revolta política e religiosa contra a dinastia Qing da China, que durou mais de dez anos. Muito poucos livros foram produzidos nesse período, portanto, publicações daquela época são raras. O autor principal desta obra foi He Chunfa, ministro do gabinete de punições da corte de Gan Wang (Guarda do rei), um título conferido por Hong Xiuquan (1813-1864), o líder Taiping, a Hong Rengan (1822-1864), um de seus primos. Em 1851, Hong Xiuquan estabeleceu o Taiping Tianguo (Reino Celestial da Grande Paz) em partes da China controladas pelos Taipings e levou o título de Rei Celestial. Após Hong Rengan juntar-se aos Taipings em 1859, ele rapidamente ganhou posições elevadas, incluindo generalíssimo, primeiro-ministro, ministro das Relações Exteriores, e, mais tarde, regente do filho mais novo de Hong Xiuquan. Em sua juventude, Hong Rengan foi professor e mais tarde aprendeu a cultura ocidental e os ensinamentos cristãos em Xangai e em Hong Kong. Ele foi o compilador chefe de três livros, dos quais este livreto faz parte, impresso em sua corte. A obra possui sua capa original e uma etiqueta de livro, na qual consta o título: Qin ding ying jie gui zhen (Os heróis retornam à verdade, publicado por ordem imperial). Os caracteres menores à direita da página de rosto indicam que foi publicado pelo "Primeiro Ministro e Generalíssimo da Guarda do Rei," e os quatro caracteres à esquerda indicam: “Publicado por ordem imperial”. O caracteres menores na parte superior da página dizem: "Recém-impresso no ano xinyou [1861] do nosso Pai, Irmão e Rei do Reino Celestial da Grande Paz". A obra proclama o pensamento revolucionário dos Taipings. Sua finalidade é claramente delineada no prefácio: convocação de heróis e figuras proeminentes para crer na verdade e para ajudar o mundo. Acreditava-se que os autores, que estavam presentes quando Hong Rengan concedeu audiência aos visitantes, tomaram notas cuidadosas de seus bao xun (preciosos ensinamentos) e os colocou no livro. Ele toma a forma de um diálogo entre Hong Rengan e um desertor do acampamento Manchu, com Hong expondo sobre vários sistemas de etiqueta e decoro do Taiping e afirmando que é preciso saber que o movimento do corpo celestial é a ordem da natureza. O livro, em um juan, possui grande valor de pesquisa.

Última Atualização: 1º de abril de 2014