Versos de Baba Tahir

Descrição

Este fragmento caligráfico inclui vários trechos de prosa e verso. No painel central azul, versos de Baba Tahir, poeta persa do século XI, descrevem sua impotência e inferioridade: “Eu sou aquela formiga que é esmagada com os pés / Não a abelha de cuja picada todos sofrem”. Outros versos persas aparecem tanto acima como abaixo do painel central, e à esquerda, na vertical, um registo apresenta uma elaborada du‘a’ (oração em prosa) desejando ao rei prosperidade e felicidade. Os textos estão escritos em estilo nasta‘liq preto em papéis de cores variadas decorados com desenhos dourados, cortados individualmente e colados para formar uma composição. Áreas triangulares sem escritos e formadas pela interseção das linhas diagonais do texto e de quadros retangulares são preenchidas com iluminuras azuis e douradas. O painel de texto inteiro está colado num papel maior de cor creme, decorado com pinguinhos dourados e firmado com um papelão. O fragmento não apresenta data nem assinatura. No entanto, ele parece ter sido produzido no Irã do século XVI ou XVII e mais tarde adicionado a um muraqqaʻ (álbum) de caligrafias.

Última Atualização: 30 de setembro de 2016